Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

El Poker – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Garra – Haras Do Morro

Zolano – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Useirovizeiro – Stud Cariri do Recife

Green Century – Stud Palura

Penelope Charming – Haras do Morro

Ghoul – Stud Verde

Mstraubarry – Stud Verde

El Poker – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Imperador Frances – Daniel Netto Filho

Green Century – Stud Palura

Verso E Prosa – Stud Ilse

Lorenzo – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Mem Cade Ce – Stud Verde

Jeffa – Stud H & R

Irreverente Acteon – Stud H & R

Imperador Francês – Daniel Netto Filho

Famous Italian – Stud Palura

Ghoul – Stud Verde

Sapo Boi – Coudelaria Pelotense

Baccos – Stud Cajuli

Evoque – Haras Do Morro

Ympossible Blade – Stud Cajuli

Jackson Acteon – Stud H & R

Querida Niquita – Stud Cariri do Recife

Ombak Bagusse – Haras Clark Leite

Natural Champion – Coudelaria Jessica

Jorge Cassas – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Bebê Francês – Stud Ilse

Kurdish – Stud Capitão








Junho | 2018

Cerca móvel de 12 metros é tema polêmico
03/06/2018 - 10h33min

O acidente no quinto páreo, de ontem à tarde, no Hipódromo da Gávea, com o potro Olympic Ibope, do Haras Regina, que trazia o triunfo praticamente assegurado e, de repente, se atirou em direção a cerca móvel de 12 metros, nos metros finais, reacende a discussão sobre o tema cerca móvel. Se por um lado, não se pode negar a necessidade de preservar a raia de grama do prado carioca, castigada pelo número expressivo de páreos nesta pista semanalmente, de outro vale analisar até que ponto os jóqueis e os puros-sangues, ficam em risco nestas circunstâncias. 

O ritmo veloz das corridas, em que os cavalos alcançam 65km por hora, e o peso destes corredores gira em torno de 500 quilos, deixa evidente o quanto o turfe é um esporte perigoso. Tanto é assim, que uma ambulância do próprio hipódromo acompanha de perto os páreos, na raia de dentro, para em caso de queda prestar socorro imediato aos pilotos acidentados. Ou seja, este tipo de incidente pode ocorrer também numa prova sem cerca móvel, evidentemente.

Um debate sobre este tema, entre dirigentes, proprietários e jóqueis, as partes mais interessadas nesta polêmica, talvez fosse interessante. Seria possível avaliar, de forma criteriosa, até que ponto a redução da distância desta cerca alternativa, não diminuiria de maneira proporcional o risco para jóqueis e cavalos. Num acidente como o de ontem, os apostadores também são atingidos. Aqueles que jogaram no potro da farda rubro-negra do modelar, Haras Regina, viveram a frustração de ter de rasgar as suas pules. Teria acontecido o mesmo acidente numa raia normal, sem a presença da cerca móvel de 12 metros? Talvez sim. Talvez não.

por Paulo Gama


<< Anterior Próxima >>










12.948

12.844

















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Clark Leite

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Cezzane

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud H & R

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street
  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês