Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Jimi Woods - Coudelaria Jessica

Bobita - Sinval Domingues de Araujo

Joka Tango - Stud Lagoa 26

Data Certa - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Umbelievable - Sinval Domingues de Araujo

Energia Goal - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Time Is Money - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Selo Achaque - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Joe Mccartney - Stud Rotterdam

Jet The Hill - Sinval Domingues de Araujo

Lucky Winner - Sinval Domingues de Araujo

Gigante de Ouro - Sinval Domingues de Araujo

Vizir de Bagé - Sinval Domingues de Araujo

Kohinoor - Coudelaria Mont Blanc 2009

Jaboticaba Hill - Sinval Domingues de Araujo

Impasable Hill - Sinval Domingues de Araujo

Energia Hollister - Stud Capitão

Surf The Waves - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Jet Set Event - Sinval Domingues de Araujo

Eurozone - Stud Eternamente Rio

Ponto Negro - Sinval Domingues de Araujo

Ponto Pacífico - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Sheikra - Haras do Morro

Ultra Querida - Sinval Domingues de Araujo

Jet The Hill - Sinval Domingues de Araujo

Janet Jackson - Sinval Domingues de Araujo

Banana Nanica - Julio Cesar Ferreira Moreira

Joe Maccartney - Stud Rotterdam

Time Is Money - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Time Is Money - Ronaldo Cramer Moraes Veiga






Neste espaço são publicadas as manifestações dos nossos leitores.

O RAIA LEVE acolhe opiniões sobre todos os temas ligados ao turfe.
Reserva-se, no entanto, o direito de rejeitar ofensas, acusações insultuosas e/ou desacompanhadas de documentação. Eventualmente, os e-mails poderão ser checados. O site não tem o compromisso de publicar todas as mensagens recebidas. A publicação, quando ocorrer, se dará na íntegra ou parcialmente, privilegiando-se os trechos mais relevantes.

O Raia Leve, depois de pedidos de leitores e deliberação da diretoria da ACPCPSI decide que além da checagem de CPFs e identidade virtual costumeiramente feitas, só publicará mensagens de internautas que respondam e-mail confirmando a identidade. Desta forma, a editoria do site pede aos internautas que respondam e-mail da associação com a máxima rapidez possível quando solicitados a fim de ter a liberação de seu comentário, bem como assegurem-se que o e-mail raialeve@raialeve.com.br esteja definido como um endereço que não seja encaminhado para a caixa de Spam.





Abril | 2016

Nilton Flora (30/04/2016) - São Paulo/SP

Bom dia, tenho teleturfe no rio a mais ou menos uns 15 anos sexta feira dia 29 como de costume fiz uma trasferencia para a conta do bradesco , moro em Sao paulo, fiquei tentado passar via 08004046006 ( porque trabalho via celular como de costume ) para passar a trasferencia e logo tem uma gravacao dizendo para voce ligar para 40620610 achei que o 0800 estava com defeito mais nao TURFISTA de sao paulo tem que fazer interurbano para 40620610 esse telefone novo do JCB e o mesmo que tem nas grandes bancos como Itau E Bradesco que quando voce precisa resolver alguma coisa com eles e obrigado a ligar para os telefones ( 4004 deles ) e resolver alguma coisa no banco e COBRADO u ma taxa por ligacao que voce faz . Alem de voce esta apostando gastando seu dinheiro SUADO TRABALHADO porque nao cai do CEU , ainda tem que pagar pela ligacao para o teleturfe . Pedi para o sr. Daniel que diz ser encarregado do teleturfe devolver meu dinheiro que tinha feito a trasferencia el me disse que para devolver o dinheiro eu tinha que apostar ou CANCELAR MEU TELETURFE optei por CANCELAR MEU TELETURFE o Numero de e 20008-5 aproveitando voces do RAIALEVE nao podem entran no PROCON ai do Rio quanto a uma medida dessas se voces quiserem entrarem com alguma solicitacao e so me avisar pelo meu E-mail que voces tem ai sem mais obrigado

Luis Alberto Rodrigues de Souza (29/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Estréia hoje o Blog do Italiano, do amigo Miguel Angelo, com indicações e comentários das corridas da Gávea. 

Obrigatória a consulta para o aprimoramento dos estudos.

Boa sorte!!!

Francisco Rodrigues (29/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Os animais que correm com lasix e esse lasix e ministrado"aplicado" por um veterinário do jockey . Então como pode esses boatos de animais correndo acima do permitido. 

Desde já agradeço quem entenda do assunto.


Roberto Fonseca (29/04/2016) - Brasília/DF

Que saudades da Comissão de Corridas do Vecchio! Em mais uma decisão equivocada, a Comissão de Corridas do Jockey Club do Rio Grande do Sul mostrou que não entende do riscado. Ao julgar a reclamação do nono páreo desta quinta-feira (28/4), simplesmente confirmou o páreo na ordem de chegada. Não é possível que os misters Magoos da CC não viram o evidente prejuízo provocado pelo jóquei do Fun Fest contra o do Vida de Rico. Entrou na baliza 15 e foi parar na dois! Houve o choque entre os animais em pelo menos duas oportunidades. E no disco, a diferença foi de pescoço! Decisões como essas merecem uma sonora vaia da comunidade turfistica. Eis que pergunto aos comissários:< br /> 

1) Qual foi o placar da votação? Quais os argumentos dos comissários que não entenderam que o prejuízo alterou o resultados dos páreos?

2) As carreiras são transmitidas para o exterior? Qual imagem os apostadores de fora ficarão do Cristal? Vale tudo na raia?

Senhores comissários, depois que a credibilidade vai embora, já era. Confiança é algo que se constrói com o tempo. E, em menos de um ano, decisões para lá de equivocadas são tomadas no Cristal.

Pasqual Evangelista (28/04/2016) - Valinhos/SP

DIFERENÇA DE RATEIO NO FECHAMENTO DO PÁREO E NO PAGAMENTO

Nunca fiquei prestando atenção a esse detalhe mas ontem dia 28/4/16 no último páreo apostei algumas poules no cavalo número 7 e na partida do páreo a tela de aposta ainda estava aberta e o rateio desse animal era de 3,30 por 1. No encerramento do páreo quando apareceu os rateios do páreo ele caiu dos 3,30 para 2,50 por um.

Alguém mais percebeu isso? ou pode explicar isso. Num país cheio de maracutaia como o nosso quanto maior transparência melhor.

Helio J B Balsa (28/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia, Dr. Luiz Fernando Dannemann

Obrigado por sua atenção. Se porventura, alguém não tenha entendido o que acontece no JCB no período desta "Administração", acho que depois desta sua explanação, quero quer, não exista mais nenhuma dúvida, por que mais claro impossível. 

Helio Balsa

Marco Antonio Santos (28/04/2016) - Niterói/RJ

Vencedor de 30 estatísticas anuais, 26 no Brasil e 4 na Argentina. Com 477 vitórias estabeleceu o recorde de vitórias em uma temporada no Brasil. Recorde de carreiras ganhas na Argentina em uma temporada 467.Vencedor de mais de 170 provas de G1. Na América Latina venceu prova de G1 em todos os países que atuou. Por seis vezes venceu a prova mais importante do turfe sulamericano.

Vencedor de 2 GP Brasil e 2 GP São Paulo.

A lenda em breve estará de volta e a legião de admiradores clama pela seu regresso.

Vinícius Guimarães (28/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados Senhores,

Já não é hora do nosso Ricardinho voltar para à Gávea? 

Não estão dando o prestígio ao jóquei mais conhecido do mundo.

Acho que ele, depois que seu contrato com o Rubio B, ficou sem chance de ultrapassar Russel Baze, se continuar atuando na Argentina.

Abraços,

Vinícius.

Orlando Motta Filho (28/04/2016) - São Paulo/SP

De qualquer forma,o vencedor dessa ’disputinha’ particular pelo maior ganhador,só os levará àquele livrinho de recordes.Pois no mundo e até em seus rincões jamais serão os MELHORES,apenas os maiores ’privilegiados’ de seu tempo.Luiz Rigoni(que não batia,tocava violino)e Antonio Bolino(que não se AFOBAVA desde jovem)só para citar alguns entre nós,estavam anos luz a frente de qualquer outro.Mas isso,é para quem não viu e não sabe.Ou para quem viu e se esqueceu.

Agora,ter que ver velho(como eu)bater em cavalo com bengala vai ser patético.Isso,se chegarmos até la,no turfe brasileiro.

Marco Antonio Santos (27/04/2016) - Niterói/RJ

Senhores : Antonio Moura e Sidney Neves.

A disputa esta apenas começando. Como o próprio Ricardo disse " Se o Baze montar até aos 70 anos eu vou montar até aos 71 anos" .

Antonio Moura (27/04/2016) - Niterói/RJ

A SAGA DE RICARDINHO

Sr. Sidney Neves,

Como não jogo favoritos e conheço o personagem bem de perto, prefiro acreditar que é possível sim, ainda assistirmos o grande profissional brasileiro como número um em vitórias. Vento que venta cá, venta lá e se Baze está fadado a um período relativamente longo afastado das pistas, Ricardo penou em duas oportunidades do mesmo percalço por motivos paralelos.

Por outro lado, é óbvio que Ricardinho financeiramente está com a manada na sombra. Quando afirmei que o sr. não conhecia o homem, quis me referir a uma característica que todos os milionários portam - parcimônia nas despesas. Num português mais definitivo: sovinice. Na verdade só entrei no Espaço para uma irrelevante informação -Tio Patinhas continua sendo o personagem dos melhores sonhos de Jorge Antonio.

Antonio Moura

Sandro R.Vivaqua Rocha (27/04/2016) - Campos dos Goytacazes/RJ

Bom dia turfistas

Mais uma semana encerrada (desta vez com apenas três reuniões), e que marcou a vitória de Celson Afonso do site oficial do JCB. Vejam como foi o resultado:

1) Celso Afonso - 9

2) André Cunha - 7

Júlio Ponte - 7

Miguel Leão - 7

5) Lucas Eller - 6

Hermes Martins - 6

7) Fernando Lopes - 5

8) Miguel Italiano - 4

Dessa forma, ficou assim a classificação geral:

 

1) Lucas Eller 143

2) André Cunha 131

3) Júlio Ponte 127

4) Celson Afonso 114

5) Miguel Leão 113

6) Fernando Lopes 108

7) Miguel Italiano 105

8) Hermes Martins 103

Pouca coisa mudou em relação à semana anterior e Lucas Eller segue firme na liderança. André Cunha parece ter se firmado na dupla e Celson Afonso em franca recuperação ultrapassou o rei das pules altas Miguel Leão, e já ocupa a quarta posição.

Até semana que vem.

Sandro

Luiz Fernando Dannemann (27/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Helio Balsa,

As pessoas me pedem para explicar o mandato do Palermo. Eu tenho tido muita paciência para responder que não houve nada pior desde 1958 quando comecei a frequentar o JCB. Se o japonês vai estar lá eu não sei... Eu vou.

- O valor do título foi rebaixado a zero a partir de um pedágio de 100 mil reais (esta semana me disseram que três sócios entregaram o título);

- O turfe perdeu a meia página que ainda tinha no caderno de esportes do jornal O Globo no mandato LECCA;

- Não houve um único patrocinador para as corridas de cavalo (nem uma padaria), não tiveram o cuidado de realizar um Grande Premio Parque da Bola; um Grande Prêmio Rio Open; e por aí vai, como se diz na gíria “o JCB cantou pra maluco dançar”;

- Ninguém sabe o que está escrito no contrato da PMU; ninguém sabe o valor que vai para uma tal de LARC que está no lugar da CODERE (que dizem ter a sede num paraíso fiscal);

- Abusaram de fazer obras eleitoreiras (o Parque Infantil só pode ser utilizado dois meses por ano porque se não queima a mão da criança);

- O síndico teve a cara-de-pau de ficar habitué do GP Arco do Triunfo em Paris;

- Os handicaps “chilenos” estão acabando com o turfe carioca;

- Os valores gastos com Podas de Árvore, empresa de Segurança (me disseram que no dia 30 de março deste ano saiu um cheque para uma tal GPS no valor de R$ 3.658.857,12), transportes, reembolso de viagem (vários países), cuja soma daria para pagar o salário dos inativos do estado;

- Fechou a Sede do Centro (apertando o botão do f...) fazendo dela “terra arrasada”, deixando que uma série de ativos saíssem do clube; 

- Sofreu uma derrota acachapante quando tentou alienar o prédio do clube sem concorrência, passando por cima de um Edital contratado com o escritório da filha;

- O MGA está pior do que a ciclovia;

- Recém utilizou o dinheiro do clube para produzir um caderno de 24 páginas, financiando a sua campanha (uma vergonha mundial).

Enfim amigo, vou parar por aqui senão vou gastar todas as páginas do site e não conseguirei relacionar todas as porcarias que o síndico fez e as tantas que não conseguiu fazer ao arrepio de uma OPOSIÇÃO que praticamente levou ele no colo até a cadeira de presidente. Estou muito ansioso para chegar no dia 19 de maio para mandar uma mensagem pra ele:

Tchau querido!!!

Jorge Varetta (27/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Miguel Leão,fico agradecido e ate emocionado com suas lembrancas de 25 anos atras(acho que são mais).Realmente eu usava Hulk,Thor e ate outros super herois daquela epoca.Ganhei alguns bolos usando uma tatica que um dia te falo.É porque so tinha fera fazendo o bolo e pra encarar esses profissionais so buscando alternativas.So peço desculpas,por so agora estar respondendo a sua postagem de 19/04.É que me encontro no Nordeste,mais precisamente na Paraiba onde costumo vir de 3 a 4 vezes por ano pra "esfriar"ou esquentar,que aqui so faz calor e estive na fazenda sem acessar o Raia Leve.Como devo voltar na outra semana,pretendo ir em Recife na Madalena pra apreciar a Domingue ira.O valoroso Leandro Henrique começou nos poneis, que a Gavea deveria fazer o mesmo,porque a criança ja vai perdendo o medo do animal e se identificando com ele.Ate mesmo para passeio nos fins de semana.Temos que sair dessa mesmiçe de ter de ouvir duas pessoas extremamente chatas sem perspectivas futuras.O que e bom a gente imita,concorda?Aqui na PB. tem um fenomeno,inclusive bem parecido com o Ricardinho quando era novo.Esse menino esta agora com 9 anos e é um joquei maravilhoso.So tem um serio problema que talvez possa impedilo de montar profissionalmente;É de familia rica .Bom nos como turfistas,temos que torcer pra que um dia o JCB possa direcionar para colocar novos adeptos do turfe.A pergunta;Como uma pessoa sai de casa pra ver Guerrero apanhando e resistindo jogar e deixa de ir a uma domingueira de cavalos?Não estou lembrado da sua fisionomia,so lembro do comprido,gente boa que fazia o bolo e que as vezes vejo no joquei.Mas sera um prazer,reve-lo.Abs.

Sidney Neves (27/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Ricardo atrás de Baze

Prezado Antônio Moura,

se o Ricardo , mesmo nesses ultimos tempos, 

ganhando poucas carreiras e com contratos rescindidos na Argentina, não acumulou uma fortuna impressionante para várias gerações é porque foi um perdulário a vida toda...

O Sr. Paulo Gama colocou aqui que o jóquei andou procurando apartamento para morar perto do prado carioca e e soou como uma piada. Como se ele tivesse fazendo pesquisa para morar num lugar mais em conta para o seu bolso...

Voltando o assunto da estatística eu acho que o Ricardo irá superar o Baze no dia que o sargento Garcia conseguir apanhar o Zorro...

Abraços!

Miguel Barros Camara Leão de Souza (26/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

SOBRE AS TRANSMISSÕES DA NOTURNA DE SEGUNDA FEIRA

Uma sábia medida que merece aplausos foi posta em prática durante as transmissões da corrida de ontem na Gávea. O retorno do cânter gravado das corridas de São Paulo melhorou o nível das transmissões. Dessa maneira todos os turfistas puderam ver com calma o replay dos páreos corridos daqui do RJ, assim como os proprietários dos animais vencedores de cada prova puderam aparecer ao vivo na hora da foto Estas medidas atendem muito os pedidos de vários apostadores que podem ver certos detalhes na repetição do páreo, que poderão ajuda-los em corridas futuras. Mais uma vez parabéns por estas alterações tomadas, os apostadores agradecem.

Miguel Leão

Antonio Moura (26/04/2016) - Niterói/RJ

O OBSTINADO JORGE ANTONIO

Sr. Sidney Neves,

Não há como discordar de sua recente manifestação sobre o atual momento por que passa o nosso grande jóquei em prados argentinos.

Entretanto, com relação ao último tópico, sobre cotação de imóveis em bairros próximos ao Hipódromo, diria simples e definitivamente: "ele não conhece o Ricardinho..."! Já o Paulo Gama - na palma da mão.

Antonio Moura

Márcio J.R.Oliveira (26/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde só para confirmar o horário das corridas da Gávea sexta feira dia 29/04/,está marcado no programa com montaria 15:50.

Sidney Neves (26/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

RICARDO E A ESTATÍSTICA

É certo que o J.Ricardo não é mais aquele jóquei espetacular de anos atrás. A prova disso são as barrações de várias montarias pelos proprietários argentinos, não renovação de contratos etc. E ao contrário do que dizem, não há tantos jóqueis

excepcionais na Argentina, tanto que o bridão brasileiro apenas mediano F. Leandro tem ganho muitas corridas e lidera a estatística portenha.

Pela sua grande obsessão em ultrapassar o Baze , Ricardinho deveria voltar, o mais breve possível , para o Rio montar na Gávea , onde no meio de jóqueis ainda mais fracos do que os argentinos irá conseguir com certeza diminuir a distância de vitórias wue separa de Baze.

Ricardo procurando apartamento perto do JCB para morar , senhor Paulo Gama? Achei engraçado isso. Desde quando milionário precisa disso? Aponta o melhor que ele irá comprar!

Helio J B Balsa (26/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia, Dr. Luiz Fernando Dannemann

O Sr. saberia me informar se ao final das eleições do JCB, o "JAPONÊS" estaria esperando alguém na porta. Eu acredito que não deva passar impune o que fez esta diretoria com o JCB, mesmo que tenha "respaldo" no Estatuto do JCB, veja como exemplo o que faz este correligionário na presidência da câmara, que legisla nas entrelinhas do regimento da casa.

Helio Balsa

Marco Antonio Santos (26/04/2016) - Niterói/RJ

Senhor Dannemann , grato pela atenção !

Quanto ao `dia-a dia político`do JCB, é justamente a minha indignação. Fazemos todos nós diariamente criticas a administração do país ( quase todas com fundamento ). Quando no microcosmo do JCB, se reproduzem as mesmas praticas. Não há vontade política para se fazer as mudanças necessárias . Se o senhor estiver apoiando com o sentimento de oposição, pode ter certeza que será mais uma decepção.

Att,

Luiz Fernando Dannemann (25/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Marco Antonio,

Com todo o respeito a sua proposição “Não dá pra entender” é comum apenas as pessoas que não estão ligadas ao dia-a-dia político do JCB, as demais entendem muito bem.

O ex-presidente Taunay porquanto membro do Conselho Consultivo – e não como parte da diretoria -, como é de amplo conhecimento de todos, foi CONTRA uma série de encaminhamentos da atual administração, tudo isso muito bem observado em carta que mandou para o quadro social justificando a sua candidatura. Caso você fosse sócio, também entenderia.

Não há “oportunismo” algum, tampouco o candidato da oposição possui qualquer “responsabilidade pelo desastre”, você está completamente enganado. Não apenas ele como vários outros que renunciaram o fizeram por discordar da atual gestão e assim estão absolutamente legitimados a formar uma chapa opositora.

Para finalizar se alguém deve ser “cobrado” pelo “desastre”, seguindo a lógica da sua postagem, este alguém deveria ser eu que não só apoiei como financiei a campanha do atual mandatário que, por sua vez, prometeu defender uma série de bandeiras da OPOSIÇÃO e ao assumir o cargo rasgou todas elas, eu disse todas (inclusive todas), antes de pegar um avião rumo a Paris.

Marco Antonio Santos (25/04/2016) - Niterói/RJ

O que não da para entender, é como o futuro candidato da pseudo `oposição ` ficou o tempo todo na atual administração e se afastou na reta final para as eleições , diga-se de passagem, com um instinto de sobrevivência e oportunismo eleitoral de fazer inveja ao Cunha. Como não tivesse responsabilidade alguma pelo desastre.É de bom alvitre, que os turfistas e sócios fiquem atentos aos apoios, que nestes momentos se proliferam, para serem cobradas as responsabilidades futuras e que no presente são esquecidas.

Antonio Moura (25/04/2016) - Niterói/RJ

AS ARMAS DE CADA UM

Meu amigo Luiz Fernando,

Esta semana, um amigo que ainda não conheço pessoalmente (como também é o nosso caso), disse-me com todas as letras que o tratasse com menor cerimônia, eis que aos amigos se permite tudo (quase tudo, na pior das hipóteses); também acho!

Devo confessar-lhe, então, que o texto dirigido a outro amigo aqui de São Gonçalo, o combativo Sérgio Lessa, foi apenas um estratagema para provocar a entrada do titular do Jéssica aqui no Espaço e nos informar expressamente o que está por detrás e pela frente do apoio ao ilustre Dr. Taunay à Presidência do JCB, um filme já assistido por duas plácidas e tranquilas gestões.

Permita-me, ainda, enfatizar que ’"destilar meu latim" é a única ferramenta de que disponho para defender o palco dos melhores momento que vivi nesta existência que se já faz comprida. Não poderia ser de outra forma, eis que outros poderes, a começar pelo título de sócio-proprietário, não possuo para tal.

Uma coisa é certa: gostei imenso do feliz trocadilho que define na medida certa o atual panorama das próximas futuras eleições presidenciais; diante dos fatos, sou Taunay desde criancinha!

Saudações vascaínas do

Antonio Moura.

Luiz Fernando Dannemann (25/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caríssimo Antonio Moura,

Eu não apenas “desfilei o meu latim” contra a CODERE, como subscrevi algumas ações judiciais contra este voraz instrumento predatório de MGA do turfe nacional.

Quanto ao momento político do JCB, devo dizer ao amigo que seria muito mais correto afirmar que eu vejo com muita ANTIPATIA à reeleição de Carlos Palermo... 

Com relação ao ex-presidente Taunay eu posso de adiantar que a diretoria da ACPCPI, proprietária do Raia Leve, está discutindo com ele uma série de aspectos programáticos, dentre eles o aumento dos prêmios (algo fundamental para toda a cadeia do turfe), entre outras “bandeiras” que são desfraldas pelo site durante um longo período.

Contudo, devo dizer (na verdade repetir pela décima vez) que a CODERE que entrou pelas mãos de Taunay era completamente diversa daquela que foi beneficiada com um Termo Aditivo aprovado pelo LECCA e que seguiu, nadando de braçada, durante os TERRÍVEIS quatro da (indi) Gestão Palermo.

Portanto, caríssimo Antonio, não pense o amigo que estamos – tanto eu quanto o Raia Leve que foram citados na sua postagem -, distantes, um metro que fosse, dos ideais que há muito defendemos, o de vermos o JCB sendo recolocado no trilho da Austeridade e da Transparência, que são pilares vitais para a retomada do seu crescimento (algo muito parecido com o que está acontecendo com o país).

Quanto a isso não pense que sou TEMER desde criancinha... Apenas penso que com a DILMA, tal como a partir do concurso do atual síndico, ambos “podadores de esperanças” (cada qual com a sua bicicleta), nós não chegaríamos ao próximo GP Brasil.

Antonio Moura (24/04/2016) - Niterói/RJ

SE NÃO ME FALHA A MEMÓRIA

Meu Gonçalense amigo (Sérgio Lessa),

Nota-se que é bem recente o seu salutar hábito de entrar no Espaço do Leitor, onde o advento Codere tem sido o seu mantra nas últimas intervenções.

E se não, saberia que este seu amigo, há uma boa meia dúzia de anos, faz exatamente a mesma coisa, desfilando o seu latim inutilmente. Se formos contar, com toda a certeza beiram a uma centena os meus textos sobre este malfadado tema, assunto que já se tornou enfadonho à maioria dos leitores, mormente àqueles que aderiram irremediavelmente às corridas internacionais em detrimento dos páreos do "nosso" Hipódromo da Gávea.

Se tivermos que acrescentar um fato novo, este será a profunda estranheza do fundamental Raia Leve e principalmente o histórico Luiz Fernando Dannemann, estarem vendo com simpatia a próxima futura candidatura do Dr. Taunay, responsável maior pela entrada da banca espanhola no JCB.

Como também entendo como catastrófica a administração Palermo e não vejo no horizonte eleitoral outro candidato de expressão, teremos mesmo que nos contentar com a política do "quanto menos pior - melhor"! De qualquer forma, Sérgio Lessa, falar sobre e contra a Codere, é malhar em frio ferro. Nos vemos no Facebook!

Antonio Moura

Sergio Lessa (24/04/2016) - São Gonçalo/RJ

Amigos o conforto das instalações da agência SUA APOSTA/CODERE realmente é nota 10, o atendimento é nota 10, o que eu não acho ser nota 10 é o fato da CODERE que antes da PMU no JCB fazia concorrencia contra as corridas da gávea dentro do próprio hipódromo e não haver repasse algum,outra coisa é influenciar via on line atráves de grupos de turfe que em média tem cerca de 3.000 membros turfistas cada , pedindo permissões para publicarem suas promoções [ vejam só promoções] com o intuito de arregimentar apostadores via on line e consequentemente prejudicando o MGA do JCB visto que com ampla vantagem promocional muitos turfistas apostadores estão se debandando inclusive saindo do RJ para irem a agência em Niterói ao passo de que não se oferecem para patrocinar um desses grupos com qualquer valor em espécie para melhorar os prêmios visto que grande maioria de grupos e sites tem torneios com premios ,quer dizer querem nos dar a mão mas não querem nos dar os anéis,creio mesmo que se tratando de corridas nacionais só com o JCRSUL E TARUMÃ pois não acredito que o JCB vai ficar inerte caso explorem as corridas da Gávea enquanto isso a CODERE acumulando lucros e o JCB lutando contra a maré baixa para melhorar o MGA que é a fonte energética do turfe .por esses motivos sou contra a Codere.

Claudio da Silva (24/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia, acho que não se deve considerar o MGA de sábado e domingo, haja vista que é um fim de semana atípico.

Luiz Antonio Molleta (24/04/2016) - São José dos Pinhais/PR

Bonito de ver....

Dos oito páreos disputados em Cidade Jardim neste sábado, seis foram destinados à produtos da nova geração.

Luiz

Waldir Alves de Souza (23/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

MGA na Gávea, hoje: 11 páreos = R$730.339,00.

Média de R$66.394,45, por páreo. 

Conclusão:

O turfe está soçobrando há anos. Pelo visto, está provado que não existe alguém capaz na Comissão com expertise suficiente para reverter essa situação. Pelo contrário, tenta-se soluções mirabolantes [primeiro Codere, agora PMU] sob pretexto de serem empresas com vasta experiência na captação de apostas e, consequentemente, melhoria do MGA. Porém, o que essas empresas, tanto a anterior quanto a atual, que fincaram suas raízes no JCB, fazem de melhor, é canibalizar o MGA. De produtivo, absolutamente nada!!!

As eleições se avizinham. O retrospecto dos candidatos é de causar desânimo. Um verdadeiro deserto de valores, afinal, suas gestões falam por si só. 

God save the horse racing!!!

Olavo Cesar da Rocha e Silva (23/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Não é tempo nesta época de modernidade que possamos votar na próxima eleição pela internet? Pagamos o clube, apostamos nas corridas, etc. Obrigado

Waldir Alves de Souza (23/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

EU SOU VOCÊ AMANHÃ???

Notícia veiculada hoje, na coluna Bastidores:

"Proprietários estão descontentes, já que ainda não foram pagos os prêmios referentes ao Grande Premio Latino Americano e o Derby Carioca corridos a aproximadamente 40 dias."

Perguntar não ofende: Teriam torrado a dinheirama no restaurante Fasano???

Sergio Lessa (22/04/2016) - São Gonçalo/RJ

Não consigo entender que nos idos dos anos 70/80/90 não haviam essas tais de CODERE E PMU e no entanto o MGA da Gávea era relevante algo em torno de hum milhão por reunião,hipódromo cheio ,arquibancadas alegres e festiva aos sábados e domingo e hoje nem sombra do que era antes dessas agências internacionais a meter o bedelho em nosso turfe, não entendo o porque em nome da modernidade estariam acabando com o turfe brasileiro,acordem pessoal ainda dá tempo de salvarmos o turfe nacional expurgando essas agências estrangeiras e voltarmos ao nosso belo e bom feijão com arroz,acredito que o turfe não precisa da ajuda da PMU e nem da CODERE o que o turfe precisa é de pessoas trabalhadoras, honesta e acima de tudo que amam o turfe, que amam corridas de cavalos e cavalos de corridas,já é hora de voltarmos a ter um MGA a altura da tradição do Hipódromo da Gávea.

Luiz Fernando Dannemann (22/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Sergio Lessa e demais autores de postagem contra a CODERE,

Vocês estão absolutamente certos!

Eu quero lhes dizer que o fato da CODERE (seja com qual nome) captar apostas internacionais em agências instaladas no estado do Rio de Janeiro, é um ESCÁRNIO. Tampouco via internet, o que não é permitido pela Lei do Turfe e muito menos regulamentado pelo Ministério da Agricultura. 

Eu confesso que ainda não tinha me atentado a isso... Um ATENTADO contra todos os clubes exceto o JCRGS, que é a fonte avalizadora e portanto beneficiária.

Só dá pra compreender tal barbaridade pelo fato do JCB estar abandonado institucionalmente, admitindo que exista uma espécie de beneplácito, uma combinação de fedor com cheiro ruim.

Eu lhes prometo acionar o Ministério Público (Estadual e Federal) para estudar esta operação que muito se assemelha a uma operação de caça-níquéis.

Antonio Moura (22/04/2016) - Niterói/RJ

O HÁBITO FAZ O MONGE

Senhores,

O bicho homem é escravo dos seus hábitos e o turfista apostador fica mais perdido do que cego em tiroteio numa sexta-feira sem corridas no Hipódromo da Gávea.

Lá vou eu de novo, Facebook adentro, baixando o sarrafo em Dona Dilma e Mestre Lula, não necessariamente nesta ordem; vai sobrar, como sempre, para o Dr. Palermo e sua impávida e reconhecida incompetência.

No mais, clamar pela volta do Dr. Sérgio Barcelos na chapa de Maio; nem precisa como Presidente - basta como Diretor de Turfe - no poder total de suas atribuições estatutárias. 

Antonio Moura

Sergio Lessa (22/04/2016) - São Gonçalo/RJ

Como esperar aumentar a MGA da Gávea e a PMU tendo um forte concorrente que antes era interno com o nome CODERE e agora com o nome fantasia de "Sua Aposta", captando externamente apostas internacionais e brevemente nacionais com confortável agência em Niterói e com certeza já visualizando novas e confortáveis agências no RJ além do serviço on line competindo diretamente contra o JCB que se não mudar todo o esquema com certeza vai perder muitos apostadores que é o pilar central da Gávea.

Luiz Fernando Dannemann (22/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições no JCB parte VIII

Não faz muito tempo, com tom vanglorioso, o atual diretor da sede do Centro (na verdade aquele que administra os escombros) antecipou para vários sócios que estaria por vir “uma bomba atômica" contra o Taunay”.

Eu pensei: 

Será que o Taunay seria o sócio oculto do fundo imobiliário que quase ganhou o prédio de presente? Será que o Taunay foi flagrado colocando fogo na tribuna do hipódromo? Ou será que vão provar que a empresa que poda as árvores é de propriedade dele?

Eu estava errado... 

O tempo passou e aparecem emails contando uma potoca parecida com a estória de Ali Babá, acusando o Taunay de pagamento de propina. Neste caso a propina não teria sido utilizada para garantir a champanhe de políticos e sim o feijão na mesa de algum funcionário do JCB, algo tão real quanto uma nota de três reais.

No momento que esta turma se escondia por detrás de uma tal “Carla Santos” (residente na Vila Belmiro, prima da Carla Bruni) tentavam dar veracidade a uma passagem fictícia baseada na Arábia pré-islâmica, um conto das Mil e Uma Noites, que por sua vez possui a mesma sustentabilidade daquela versão dada do documento da posse do LULA (com uma ligeira vantagem para a explicação da presidenta).

Daí eu pensei:

Será que teria sido essa, a tal “BOMBA ATÔMICA” anunciada pelo diretor da sede (aquele que nutre um verdadeiro ódio por móveis e utensílios), um dos únicos Vice-Presidentes que ainda resistem na atual diretoria?

Se for, eu devo orientá-lo, mesmo respeitando o avançado da idade, para desconsiderar o verbete... Pois o efeito deste “estalinho” foi tão devastador quanto a queda de um guardanapo no chão de um restaurante, tão pitoresco quanto a passagem de um caminhão carregado de móveis subindo a serra de Araras.

Seria a mesma coisa que afirmar que na campanha de 2012, quando o Raia Leve publicou uma série de documentos extraídos da contabilidade do JCB, como as “Famigeradas Notas Fiscais da CODERE”, (que favoreceram a ascensão social do síndico) a propina veio do candidato vencedor. 

Ou será que a propina saiu do bolso do Afonso, aquele que cedeu os documentos????? (fiquei na dúvida)

Motivado por esta “fábula”, criada por pessoas, realmente, muito criativas, pensando naquele personagem histórico, estou muito inclinado a produzir uma nova versão para o épico. A minha estória se chamaria: “Ali Babá e as 35 garrafas de champanhe”. 

Abra-te rolha!

P.S.

Por falar em sede do centro, se a Defesa Civil der um flagra no prédio, e constatar que o acesso às escadas foi obstruído para evitar que algum sócio seja testemunha de uma autêntica barbárie ocorrida na (indi)gestão Carlos Palermo, é bem possível que leve a “Carla Santos e a Maria Ester Bueno” em cana (tomem cuidado, pois me juraram que aquele órgão não aceita propina).

Nilton Flora (22/04/2016) - São Paulo/SP

Como que tanta gente incompetente nessa tal de PMU eles mudaram o telefone 0800 que nao funciona o telefone tipo fixo voce liga e tem uma gravação de 3 ou quatro itens se voce quer saber do estado de sua tia digite 1 se voce quer saber do estado do palermo disque 2 se voce quer saber da incompetencia de quem inventou isso disque 4 segundo eles fizeram uma consulta com o publico que usa esse serviço sera que e verdade isso CAMBADA DE INCOMPETENTES essa PMU esta querendo acabar com o jogo no TELETURFE sem mais abraços

Claudio da Silva (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Francisco Rodrigues

Apenas eu coloquei minha opinião, porque está difícil do apostador acertar, assim sendo, a tendência é o MGA diminuir, conforme estamos vendo, a não ser para aqueles que vivem nos bastidores do Jockey.

Quanto a ingenuidade, é para uma postagem onde a pessoa, que eu não conheço, como se o dinheiro fosse dele, diz que se é jogo roubado, não joga.

Leonardo Porto Gadelha (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Grande duelo

BALI BALI X CHABRY DEL MAR

Nos últimos 5 anos, só um cavalo, Bali Bali , conseguiu vencer 8 corridas em um ano hípico

Chabry, já venceu 7 corridas , nesse ano hípico , e ainda faltam 2 meses

Bali Bali , foi vendido por um milhão de dólares, já Chabry foi vendido por 1.500 dólares 

O destino é cruel , na estastistica de treinadores , 5 vitorias de vantagem para Jairo Borges contra D Guignoni

Jairo Borges , foi quem comprou Chabry, quando era treinado por D.Guinoni, e tinha só 2 vitorias!!!!,ou seja Jairo Borges tem a vantagem graças a compra/venda de Chabry

Chabry, quebrará o recorde de Bali Bali e dará a vitória a Jairo Borges?

Neste final de temporada emocionante , torço para Chabry

Francisco Rodrigues (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Realmente o site e aceita várias opiniões e bem democrático, mas uma coisa e certa não há anjos nem santos no jockey e muito menos ingenuidade. 

Agora uma pena que os franceses que aportaram aqui não tem a menor idéia não conhece nada de Brasil referente a jogos de corridas de cavalo .

Cego e pouco. Para ser educado.

Carlos Cesar Ribeiro Batista (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Minha homenagem emocionada ao grande cronista Escorial. Muito aprendi sobre turfe nas suas inspiradas crônicas. Um dos maiores craques da crônica turfística.

Luiz Fernando Dannemann (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições no JCB Parte VII

Acredito que tenha gente morrendo de inveja da presidenta Dilma que está de partida para passar o feriado em Nova Iorque. 

Aliás, a chefe da nação justificou que a sua viagem é para cumprir uma agenda de trabalho com os franceses da PMU que sairão de Paris para uma rodada de encontros na quinta avenida. 

Na bagagem eles prometem levar 35 garrafas de champanhe e duas de Whisky que é pra não gerar confusão com a contabilidade do Palácio do Planalto.

Claudio da Silva (20/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Como esse Site é democrático, sei que no turfe sempre teve armação, haja vista o treinador que está na frente da estatística ja ter sido suspenso umas três vezes, inclusive o do Araras,tambem já foi suspenso. Na minha opinião, as armações, estão passando do limite, principalmente quando se trata de pequeno proprietário.

Pra encerrar, faço com meu dinheiro o que quiser, não devo satisfação a ninguém. inclusive para esses ingênuos de plantão.

Orlando Motta Filho (19/04/2016) - São Paulo/SP

Que o Raia Leve faça sua homenagem ao mais tecnico e romantico ’Colunista’ que por aqui passou para deleite nosso.E pela tristeza de agora.

"O GRANDÍSSIMO,CONNAISSANCE PROFONDE DES COURSES DE CHEVAUX(alem de outras tantas Artes),Marcos Ribas de Farias,o inesquecível "ESCORIAL".

Miguel Barros Camara Leão de Souza (19/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado Luiz Miranda

Quando escrevi neste espaço democrático sobre o aprendiz Leandro Henrique, fiz com plena consciência e com uma bagagem de 40 anos de turfe. Ao compará-lo a Juvenal Machado da Silva tomei como base sua tocada ritmada, posição, noção de percurso e coragem ao entrar na raia. Vi algumas de suas vitórias em menos de um ano de carreira que me impressionaram bastante. Se o senhor tiver tempo e curiosidade (aliás recomendo este páreo a todos turfistas), que reveja o vídeo de sua vitória em 09.10.15 com o cavalo DR NIR. Naquela oportunidade ele ainda não tinha seis meses de carreiras na Gávea e venceu um páreo de forma espetacular para cima do ótimo jóquei Carlos Lavor. Citei esta vitória como poderia mencionar outras em que esteve brilhante. O fato de ser confiável e de ter este enorme talento o levam a ser procurado frequentemente por todos treinadores que estão interessados em vencer. É óbvio que a descarga de dois quilos o ajudam nesta procura, mas temos que considerar também que por ser aprendiz, não pode montar em grandes prêmios. E estar disputando palmo a palmo a estatística com Valdinei Gil que tem todas as "máquinas" do Araras à sua disposição, só servem para enaltecer ainda mais suas qualidades.Não vejo pelo lado de estarmos com carência de bons jóqueis que fiz aquela afirmativa, e talvez eu vá ainda mais longe afirmando que ele será melhor que o grande jóquei alagoano Juvenal Machado da Silva. Só penso que infelizmente pelo seu grande talento, em breve deverá montar fora do país. Neste aspecto eu espero estar equivocado, vamos aguardar.

Um abraço

Miguel Leão

Sandro R.Vivaqua Rocha (19/04/2016) - Campos dos Goytacazes/RJ

Boa tarde turfistas

Terminou mais uma rodada do Torneio de catedráticos e encontramos um trplice empate entre Lucas Eller, André Cunha e Celson Afonso, todos com 15 acertos. Foi assim a colocação deste equilibrado final de semana, que marcou inclusive um ponto extra para Fernando Lopes que acertou English Major no domingo com rateio acima de 10,00 por 1,00.

1) Lucas Eller - 15

André Cunha - 15

Celson Afonso- 15

4) Hermes Martins - 13

Fernando Lopes - 13

6) Miguel Leão - 11

7) Julio Ponte - 10

8) Miguel Italiano - 6

Dessa forma, Lucas Eller segue firme na frente com 13 pontos de diferença em relação a André Cunha que firmou-se em segundo. Total geral ficou assim:

1) Lucas Eller - 137

2) André Cunha - 124

3) Julio Ponte - 120 

4) Miguel Leão - 106

5) Celson Afonso - 105

6) Fernando Lopes - 103

7) Miguel Italiano - 101

8) Hermes Martins - 97

Boa semana a todos

Sandro

Tomaz Leonardos (19/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

ESCORIAL

FAÇO minha homenagem postuma ao amigo HIPOLOGO e ERUDITO do turfe nacional e mundial , de muitas conversas na SOCIAL do JCB, MARCOS RIBAS de FARIA , e tambem handicapeur do JCB por longo tempo .

A noticia de sua morte e´simplesmente para nós , turfistas de muitas decadas , " trop mauvaise pour etre exacte " e por mais que nós nos esforcemos em pesquisar e ler sobre turfe em livros e revistas nacionais e estrangeiros apenas conseguiremos fazer o papel de um " cheval de jeu "para voce.

Descansa em paz AMIGO e OBRIGADO pelas centenas de colunas e cronicas turfisticas que voce escreveu...

TOMAZ H. LEONARDOS

SOCIO JCB 15339

Carlos Ferreira (19/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados, 

Volto ao site para repetir uma opinião (pela enésima vez): quem acha que um determinado jogo é roubado e continua jogando nele é, no mínimo, um tolo. Adiante, L Henrique, você está no caminho certo para ser um grande jóquei. Não ligue para os tolos.

Sds.

Luiz Miranda (19/04/2016) - Niterói/RJ

Acho o aprendiz L.Henrique bastante talentoso e com bastante potencial, mas , sinceramente, acho exagerada algumas opiniões sobre a qualidade e o desempenho do garoto.

Talvez o momento péssimo e a carência de ídolos que vivemos atualmente no turfe, estejam influenciando tais opiniões.

Para exemplificar, compará-lo ao J.M.Silva , como já vi aqui, sinceramente, me parece demais!

Ao longo dos meus 45 anos de turfista e 24 anos de proprietário ( pequeno proprietário!) já vi vários "fenômenos" aparecerem e desaparecerem rapidamente!!!

De verdade,não acho que isto irá acontecer com o L Henrique ........

Fica a dica para que ele siga trabalhando e mantendo o foco, sem levar muito em consideração tudo que ele tem visto de exagerado postado por aqui!

Quanto a preferencia dispensada pelos treinadores que estão disputando a estatistica é prudente considerar que a descarga de dois quilinhos conta muito!!!!!

Luiz Miranda

Claudio da Silva (19/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados senhores, no meu modo de ver, seja jóquei ou aprendiz, de segunda categoria, ja é praticamente jóquei. Assim, largando mal com cavalo favorito, derrubando os apostadores, é preferível jogar na loteria da CEF.

Jose Luiz Polacow (19/04/2016) - São Paulo/SP

Minha homenagem ao Marcos Ribas, o. Escorial.

Grande expert do turfe.

Apaixonado .

Extremamente correto em tudo o que tive a oportunidade de ver em suas atitudes.

Unico no seu estilo , nao deixa similar.

Eduardo Capitoni (19/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Aproveitando a deixa do Paulo Gama...

Impressionante a capacidade de alguns em julgar sem propriedade alguma um dos melhores jóqueis que apareceram nos últimos tempos na Gávea. Me atrevo a dizer que não lembro de ver alguém com tao pouca idade, talento, retidão, humildade, profissionalismo e carácter em uma unica pessoa. 

Basta ficar um tempo sem entrar no espaço ( também com tanta mala falando besteira ) em função da falta de conteúdo nos comentários e assuntos relevantes. Realmente ta chato e sinto saudade dos debates com pessoas que realmente entendem alguma coisa de cavalos de corrida e de corrida de cavalos.

Acredito ser reflexo do nosso turfe de hoje em dia e da frequência do espaço.

Ah!! L Henrique monta na sua maioria para D.Guignoni e J. Borges... Esses dois são loucos, né! 

Lembro ainda que o "mulequinho" está brigando pela estatística, juntamente com o V.Gil ( máquina e com bagagem ) em seu segundo ano hípico. Ta ruim né pai! 

Fica meu registro, apoio incondicional e torcida pelo brilhante L. Henrique o resto e choro de perdedor! Ops! É o que mais tem por aqui...

Abs

Eduardo Capitoni

Luiz António Molleta (19/04/2016) - São José dos Pinhais/PR

Excelente programação clássica para o G P São Paulo 2016 e demais provas de grupo, divulgado pela comissão de turfe.

Tem até suplente para a prova máxima....

Luiz

Paulo Gama (18/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Em defesa de L.Henrique

Os altos e baixos são comuns aos aprendizes devido a pouca idade e a inexperiência. Mas devido ao seu talento, bem acima da média, o jovem aprendiz alçou voos altos muito mais cedo e por isso vem sendo cobrado como gente grande. A história de vida de Leandro Henrique é sensacional e ele ajuda toda a sua família. É um menino educado e atencioso. Se houvesse algum dolo nos erros que ele comete em alguns páreos vocês não acham que os treinadores não seriam os primeiros a pararem de lhe dar as melhores montarias? Mas, ao contrário disso, ele monta cada vez mais e sempre para os melhores. Entre eles J.Borges e D.Guignoni, os líderes. O menino está com a pressão de disputar a estatística com V.Gil, um jóquei talentoso e experiente. E, além disso, monta favoritos de enorme responsabilidade. Por isso, as vezes comete erros. Mas quem não os comete? Por outro lado jamais um aprendiz foi campeão na Gávea. Até o V.Borges, quando trabalhei com ele, só conseguiu chegar lá no segundo ano de pois de mostrar enorme talento na primeira temporada. L.Henrique é bom caráter, bom profissional, mas não deve ser cobrado como um veterano. Ele é apenas um aprendiz com um início de carreira tão espetacular que conta com a confiança de toda a classe turfística que o adora por sua conduta e profissionalismo. Podem confiar no que digo e tenham um pouco de paciência com o garoto. Ele vai dar grandes alegrias a todos os verdadeiros turfistas!

Marco Antonio Santos (17/04/2016) - Niterói/RJ

O jockey Russell Baze, sofreu uma queda no terceiro páreo de Sábado em Golden Gates Fields.

O líder atual da estatística mundial , sofreu fratura na clavícula e vai parar por cerca de 30 dias.

Roberto Machado (17/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Descaso com o apostador por parte do jóquei M.Gonçalves montando o animal Lite My Fire no último páreo da Gávea nesse sábado em não ter reclamado na comissão de corrida do jóquei A.Mota ganhador do páreo montando o animal em virtude do flagrante prejuízo sofrido.......será que estava com pressa para ir embora? Vide páreo amigos turfistas.

Com a palavra a douta comissão de corrida.

Se eu fosse o proprietário desse animal nunca mais ele iria montar cavalos de minha propriedade, pois caso não tivesse sofrido tal prejuízo certamente teria chegado 2o. (foi terceiro empatado, perdendo o segundo na foto).

Cada vez minha tristeza por um turfe assim aumenta.

Claudio da Silva (16/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde, vejo alguns elogios para o aprendiz L.Henrique, sendo inclusive bom largador.

Entretanto, sexta, segundo páreo, favorito, larga mal e chega terceiro.

Sábado, dia 16, sexto páreo, favorito, larga mal. e não chega.

José Roberto Giancristoforo (16/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Atenção, acendeu luz de alerta, o MGA somando Cristal, São Paulo, Aqueduct e Gulfstream continua em queda e vejo que não tem luz no fim do túnel.

Só eleição pode vir a salvar o Turfe, o JCB realmente não sei como vai fechar as contas do Turfe junto da fracassada PMU , que não gosta e nem liga para corrida de cavalo e nem cavalo de corrida. As corridas da Gavea não passam mais de uma média semanal de 800 mil, gostaria de saber qual é o objetivo da Administração do JCB e da ... da PMU.

Mariel Mozart Vinicius Muller (15/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Esse site suaposta.com.br é muito mais dinâmico e apresenta ótimas opções para o apostador e o fomento do JCRS.

Uma pena a PMU apresentar essa pifia formatação de apostas, e dispor de profissionais para apresentarem pareos com 5 mil de movimento. Ate quando essa palhaçada??? E aquela entrevista de apresentação que façavam em corridas todos os dias, ate as 22h, mais uma mentira???

Paulo Rogerio Aguilar (15/04/2016) - Pelotas/RS

Senhores apenas auxiliando o Valdinei Gil foi o piloto de Magic Citizen em ambas oportunidades ,inclusive na estreia do animal do Sampaio no dia 13/02 o aprendiz L.Henrique montou no mesmo pareo Dom Arthur que finalizou na oitava colocacao.Eu vi o Alemao dando a entrevista ,mas estava no MUTE,(geralmente nao ouco)ate porque prefiro morrer sozinho com minhas conviccoes.Ate porque como ja foi falado e sabemos que o treinador fica numa saia justa.Mas conheco muitos que gostam de historinhas,depois tomam ferro e saem rusnando.

Miguel Barros Camara Leão de Souza (15/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Senhor Jorge Varetta

Concordo com suas observações sobre o garoto Leandro Henrique. Única coisa que lamento é que já ouvi uma entrevista dele dizendo que pretende no futuro montar fora do país. Dessa forma fica muito difícil formarmos ídolos neste esporte que é visto com desconfiança por muita gente. Quanto às entrevistas, penso que o senhor se referiu ao supervisor Bruno Alexandre que realmente passa bem o recado quando é entrevistado. Inclusive já o elogiei em algumas vezes no meu blog. Vários treinadores mandam bem suas informações, uns se enganam às vezes e isso faz parte do jogo.

Um grande abraço (poderia lhe chamar de Thor?). Lembro bem da parelha Hulk e Thor quando participada do "Tuturfe " cerca de 25 anos atrás.....

Miguel Leão

Jorge Varetta (15/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Vamos por partes.Sr. Marcio Oliveira,acho que o sr. nao entendeu bem o que escrevi.O turfe,como o futebol e todos os esportes,nescessita de idolos e vi nesse menino alegre,a possibilidade de acontecer no nosso turfe.Fico impressionado com suas largadas.Largou,primeiro ele e a coerencia de suas direçoes.Então vejo uma entrevista de um treinador que oferece 90% de seus animais para o V.Gil montar e esse joquei é aquele que esta disputando corretamente a estatistica com o L.Henrique.Achei uma entrevista parcial e a critica dele com o aprendiz não soou bem como o explicado acima.Então não estou me referindo a entrevistas de indicações porque,como meu volume de jogo é menor,o melhor que faço é não saber das "barbadas".Por mim ele pode dizer que seu animal é o maior craque que se não gostar,não jogo.Explicado?Agora mal comparando,tem um rapaz que é o supervisor desse treinador R.X. que acerta invariavelmente 80% do que ele diz.Siga-o.Acho que sera um otimo treinador porque alem de bem informar e com honestidade,ainda tem tambem a alegria de treinar cavalos.Abraços e muito boa sorte.Quando tiver alguma boa informação,lhe comunico atraves desse nosso grande veiculo de comunicação.

Sr. Miguel Leão,acho que o sr. entendeu bem o que quiz dizer.Me impressiona é que não vejo uma palavra dos nossos marcadores com relação a direção que esse menino da aos cavalos.Talvez haja uma explicação que não tenha conhecimento.Bom tambem ja reparei que o L.Henrique lembra muito um antigo joquei que gostava muito chamado J.Machado.Ia na cerca e perguntava;Machadinho vai ganhar?E ele respondia;Tem muita chance!Isso com todos os animais,sabe porque?Porque disputava com tudo!Um abraço,felicidades e muitos acertos. J.V.

Miguel Barros Camara Leão de Souza (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado Antonio Moura

Acredito que o senhor está com a razão em relação ao teor das entrevistas. De uma maneira geral os entrevistados são aqueles cujos animais estão mais apostados e evidentemente o otimismo é refletido na explanação dos mesmos.Tipo entrevista de jogador de futebol que entra em campo e sempre diz que seu time está bem preparado e que ele conta com a vitória. 

Em tempo, agradeço sua observação sobre nossas marcações que ultimamente estão vingando com rateios bem interessantes para os turfistas, haja visto ENERGIA GOLIAS, DESEJO OUSADO e NO NAME nesta última semana. O objetivo é sempre ajudar nossos seguidores, e temos que aproveitar que a fase está boa.

Abraço e boa sorte amanhã nas carreiras.

Miguel Leão

Miguel Barros Camara Leão de Souza (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Marcio Oliveira

Tenho a impressão que o senhor não entendeu muito bem o que escrevi. Frisei que não entendi a entrevista que o treinado J.C.Sampaio deu a respeito do cavalo MAGIC CITIZEN da Coudelaria Jéssica que venceu quando dirigido pelo Valdinei Gil. Ele realmente na entrevista antes da prova afirmou que na estreia o cavalo que havia sido pilotado pelo Leandro Henrique teria corrido um pouco abaixo da expectativa por estar ainda bobo e pela inexperiência do aprendiz ao pilotá-lo.. Acho que ele poderia ter omitido esta última parte, e nisso mantenho meu ponto de vista. Na outra entrevista que citei, ele errou por muito na sua previsão quanto ao cavalo INSTANT DANCE que reaparecia de um ano de parado (mas isso pode acontecer), e frisei que não me pareceu ter havido dolo quando ele falou. Mas continuo achando que certas entrevistas ajudam muito e outras não acrescentam muita coisa. Se é mesmo verdade que alguns treinadores estão se esquivando acredito que em determinados casos pode ser até benéfico. No geral, a maioria das entrevistas tem sido muito produtivas e algumas até bem interessantes como foi na última noturna a do veterano treinador Odir Jorge Menezes Dias a respeito da variação de peso no páreo que venceu SIXTEEN TONS. Perfeita sua manifestação sobre a citada diferença entre uma corrida e outra do cavalo dele (DESEJADO PROSPECTOR) e do cavalo vencedor treinado por Dulcino Guignoni. Costumo ir à Gávea com frequência e tenho observado que quase todos treinadores manifestam suas opiniões quando procurados pela reportagem. Deve ser uma minoria que se recusa a informar o público turfista e talvez tenham seus motivos para tal negativa.. 

Boa sorte nas próximas corridas e aconselho aos desconfiados que em caso de dúvida, é só abaixar o som da televisão.

Miguel Leão

Márcio J.R.Oliveira (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde estão crucificando o treinador porque o mesmo veio a público tentar ajudar o apostador?é isso mesmo?

Por isso que vejo vários treinadores se esquivarem de dar entrevista ao sr. smigle e acho que o motivo é este, se acertam não acrescenta nada, se erram viram alvo de criticas gratuitas,todo mundo sabe que cavalo é um ser vivo e como tal mudam de estado de uma hora para outra,uma semana está tinindo chegando á vitória e na outra pode estar em declínio levando o mesmo ao fracasso,por isso para os que gostam de entrevistas tem que dar um desconto na hora de criticar, pois de uma coisa eu tenho certeza, do jeito que os treinadores são cobrados pelos proprietários eles não levam cavalos para correr afim de perder,todos querem ganhar, só que "N" fatores influenciam para a conquista de uma vitória.

E pelo que parece este quadro por sinal deve estar com os dias contados pois duvido que algum treinador vá querer ficar se expondo gratuitamente correndo o risco de ser criticado.

Abraço a todos e boa tarde.

Antonio Moura (14/04/2016) - Niterói/RJ

OS INSONDÁVEIS MISTÉRIOS DO TURFE

Prezado Miguel Leão,

Em sua maioria, treinadores e jóqueis de cavalos de corrida possuem um interessante e peculiar linguajar: falam, falam e não dizem coisíssima nenhuma. Não é o caso do Sr. Sampaio - que se expressa num português quase acadêmico e que peca exatamente por isso; é explícito demais.

Também acompanhei a entrevista citada e o contraditório resultado na pista, mas logo entendi que o excelente treinador não levou em conta que por vezes, no animal que reaparece, aquele último trabalho que foi apenas regular, é que deixou o cavalo no ponto certo para fazer sua a vitória.

Por outro lado, o profissional não tem saída: ou enrola o interlocutor com o tal palavreado ou se expõe a contratempos desta ordem. O que também não quer dizer muita coisa, eis que o turfe está recheado de histórias parecidas.

Ah, e parabéns pelas marcações - o amigo está tinindo!

Antonio Moura

Erb Carlos (14/04/2016) - Recife/PE

E a tropa de choque do Araras vem com tudo para ajudar o V.Gil a ganhar a estatística, mas vamos continuar na torcida para o menino das vitórias Leandro Henrique, que monta como joquei faz tempo.

Sr. Jorge Varetta concordo em tudo com seu comentário, esse vai ser gênio.

Abraço a todos.

Luiz Fernando Dannemann (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições no JCB Parte VI

Preciso confessar aqui que gostei muito do slogan criado pelos marqueteiros da campanha do atual síndico. Eu até faço aqui uma sugestão para que esta turma tente, também, ofertar os seus serviços profissionais em outro palácio, o do Planalto. Favor procurar Jaques Wagner no terceiro andar. (importante que seja antes de domingo próximo).

Eu gostei tanto, mas tanto da mensagem, que mandei fotografar todo o percurso que sai de São Conrado até o Aeroporto Tom Jobim, passando pela linha vermelha (a cor do sinal que será dado a ele pelos sócios no dia 19 de maio). A ideia é fazer uma doação para que as fotos sejam também publicadas ao lado das demais que foram espalhadas pela Sede da Lagoa.

Assim os associados terão conhecimento, com a máxima clareza, que, efetivamente, o JCB sempre esteve no “caminho certo”, o caminho que levou – de classe executiva -, o nosso candidato a conhecer as principais cidades do mundo.

E viva o (santo) caixa do Jockey Club Brasileiro!!!

Antonio Moura (14/04/2016) - Niterói/RJ

SOBRE JÓQUEIS E APRENDIZES

Eivada de compreensível entusiasmo e afeição, compartilho, "Sampaio’s" à parte, a recente manifestação do turfista Jorge Varetta; estou com ele e não abro!

Antonio Moura

Miguel Barros Camara Leão de Souza (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado Jorge Varetta

A entrevista que o senhor citou em seu e-mail, eu também ouvi e na hora também não entendi muito bem o comentário feito pelo treinador conhecido como Alemão. Pode ser que ele não tenha se expressado da forma como gostaria, mas concordo que não foi uma análise das mais felizes. Aliás uns 15 dias antes numa entrevista ao mesmo repórter, ele afirmou que o cavalo INSTANT DANCE (que por sinal está inscrito amanhã), naquele dia dificilmente iria vencer, porque estava reaparecendo de longa ausência e que ele não aguardava a vitória. Não estamos afirmando que houve dolo em sua entrevista, mas o fato é que o cavalo venceu por dois corpos baixando de 87 segundos nos 1400 metros. Também não faz muito tempo, ele reapareceu o cavalo CARROCEL ENCANTADO numa prova de distância longa e o cavalo franco favorito, chegou "caindo" fora da dupla, vários corpos atrás de REI DA FLORESTA. Quero dizer com isso, que às vezes é melhor não dar entrevista, do que dar algum tipo de informação que acaba confundindo o público apostador. Quanto ao que o senhor citou sobre o menino Leandro Henrique, assino embaixo suas palavras, acreditando mesmo que estamos diante de um novo Juvenal Machado da Silva. São vitórias espetaculares (na última semana ele venceu 08 provas em 24 montarias). Quem estava no prado ou viu pela televisão seus triunfos com IT IS ROYAL no sábado e COLD CORONA no domingo), deve entender o porquê da minha comparação com o ex grande jóquei alagoano.

Um grande abraço.

Miguel Leão

Jorge Varetta (14/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Vi e ouvi um comentario do sr Sampaio,treinador,que nao entendi bem.Ele disse numa entrevista ao Smigle que o seu potro na estreia tinha se atirado pra dentro e resolveu colocar o joquei V.Gil porque o "aprendiz" nao conseguiu corre-lo.

Em primeiro lugar o sr. pode ter usado o que muitos treinadores fazem que e trabalhar distancia mais longa e estrear em distancia curta para o potro aligeirar.Deve ter sido isso,porque o potro ganhou facil e se adaptou perfeitamente a distancia.Agora comparar o "aprendiz" com V.Gil o sr. so pode estar brincando.Desde Jorge Ricardo,que um aprendiz nao disputa uma estatisca ganhando tantas corridas e com um rigor impressionante.Ganhou pareos,que poucos no mundo ganhariam,digo isto porque passei algumas ,madrugadas jogando corridas nos EUA(Alamitos)e Australia,fora e claro,as diurnas na Codere.Portanto esse "aprendiz" chamado Leandro Henrique e no minimo no momento,o melhor joquei do Brasil.Largada,rigor, fazendo sempre o percurso pelo menor caminho e correndo de tras lembra muito um genio das redeas que meu amigo Nildo apelidou de Feiticeiro um tal de Juvenal Machado da Silva.Talvez o sr nao tenha tido a felicidade de conhecer grandes joqueis.Bom o importante e que sem "cavalo" ninguem ganha corridas.Mas o mais importante e nao perder com os "imperdiveis".Estamos precisando muito daquele joquei em que podemos confiar no fecho dos Picks,concorda?O ultimo foi o Ricardinho.Entao,vamos prestigiar esse menino alegre que largou a familia e veio brilhar nesta dificil profissao.Que Deus o proteja e ao sr. tambem.Quem sabe no futuro o sr. ira prestigiar mais o menino.Ia esquecendo.O sr lembra desse menino ter largado mal com poules de 0,8?Conhece alguem que isso ja tenha acontecido?Saudacoes Fraternas.Jorge Varetta

Sandro R.Vivaqua Rocha (13/04/2016) - Campos dos Goytacazes/RJ

Caros turfistas do Raia Leve

Mais uma semana encerrada e Lucas Eller está cada muito próximo da vitória do nosso torneio. Esta semana foi assim:

1º - André Cunha - 13

2º - Julio Ponte - 12

3º - Lucas Eller - 11

Miguel Leão - 11

Fernando Lopes - 11

Celson Afonso - 11

7º Miguel Italiano - 09

8º Hermes Martins - 05

É importante lembrarmos que Miguel Leão com a pule de Energia Golias e Celson Afonso com a pule de Energia Imperador, receberam a bonificação de um ponto cada um no cômputo geral.

A classificação geral atual dessa forma fica assim:

1º Lucas Eller - 122

2º Julio Ponte - 110

3º André Cunha - 109

4º Miguel Leão - 95

Miguel Italiano - 95

6º Celson Afonso - 90

Fernando Lopes - 90

8º Hermes Martins - 84 

Mantendo esta regularidade vai ser muito difícil alcançarem Lucas Eller. A luta pela dupla segue intensa entre Julio Ponte e André Cunha.

Semana que vem tem mais

Abraço a todos

Sandro

Márcio J.R.Oliveira (12/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Roberto meu amigo,vou discordar da sua opinião novamente,o L.Henrique brigou até o final,o que acontece pelo pouco que entendo ao analisar o páreo é que o Jóquei sente que não vai passar e para não judiar do animal ele faz posição e deixa o disco chegar,pelo menos é o que eu consigo entender vendo o páreo e não existe nenhuma má fé neste ato.

Agora existem páreos que sem sombra de dúvidas o jóquei cansa e abandona a disputa pelas colocações,mais são exceções estes casos,quando converso com o jóquei que monta meu cavalo não deixo de frisar que se puder" entrar quinto, não entre sexto",deu pra entender ,um quinto lugar te ajuda a pagar a montaria a inscrição e te dá a esperança que o cavalo possa vir a ganhar logo.

Abraço amigo e sexta feira tem mais,digo sexta por que só jogo na gávea.

João Fernandes (12/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Concordo com a opinião do Sr. Carlos Roberto dos Reis, inclusive 3 páreo o Sr. W. Bland com o animal de n 7 franco favorito caiu.........que coisa heim, olho nesse jóquei comissão de corridas.

Bom dia a todos.

Francisco Rodrigues (12/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Carlos Roberto. 

O sr escalou o profissional errado,na sua última postagem aqui o acusou de não ter tentado estribar ,já que não tinha como porque o selin tinha rodado, com certeza absoluta não há a menor possibilidade de má fé do aprendiz L HENRIQUE.

Desde já peço desculpas ,mas não posso concordar com o sr.

Digo mais falo isso com bastante conhecimento do que falo.

F Rodrigues 

Stud Gata da Serra

João Orlando Tomczak (12/04/2016) - Curitiba/PR

RETIRADA ´PERCENTUAL DO BETTING DA GÁVEA;

Alguém poderia me informar, pois até onde eu sabia era de 50% (o que já é altíssimo), pois o movimento na segunda-feira superou os R$ 103.000,00 e foi distribuido R$ 41.000,00 ?.

Leonardo Porto Gadelha (12/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Quem poderia me ajudar,ou aonde posso conseguir?

A estatística dos 10 maiores vencedores nos últimos 5 anos no RIO por ano hípico em numero de vitorias 

Basicamente , quem coleciona a revista e tem a edição da primeira semana de julho dos últimos 5 anos , tem essa informação

Desde já agradeço

obrigado 

Leonardo Gadelha

Carlos Roberto dos Reis (12/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Boa noite,

Estou assistindo as corridas na minha casa pelo computador, pois não aguento mais ficar na agencia apostando, fiz um betting 5 e o que estou assistindo é uma vergonha, o joquey quando sente que não vai ganhar o páreo fica por ali esperando o páreo acabar, o L. Henrique em dois páreos podia fazer 2º tranquilo mais não quis o nono páreo foi uma vergonha.

Assistem o páreo e comprovem o que eu estou dizendo. Uma pena um aprendiz fazendo isso, talvez mal orientado por alguém.

Caso eu não esteja com razão, venho me desculpar aos entendidos de turfe.

Para mim chega de jogar dinheiro fora com essas corridas sem vergonha.

Roberto.

Artur Martins (11/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Gostaria de saber por que o site demora tanto a colocar as indicações, e quando coloca, mesmo com atraso, ainda indica cavalos que não correm. O turfista gosta de montar seu jogo co antecedência, e o site não está cumprindo seu papel principal. Criticar o trabalho dos outros é sempre mais fácil do que fazer o seu trabalho bem.

Pasqual Evangelista (11/04/2016) - Valinhos/SP

É NOS PEQUENOS DETALHES QUE SE AVALIA A QUALIDADE DE UMA EQUIPE

Se os Srs digitarem. jcb.com.br (sem o http://www.) na barra de endereço de seu navegador serão direcionado para o seguinte endereço https://webmail.jcb.com.br/owa/ e será aberta uma tela para entrada de Usuário e Senha. (sem nenhum interesse para apostadores)

Se os Srs digitarem jcsp.com.br (sem o http://www.) serão direcionado para o site do JCSP. Se fizerem o mesmo para o UOL,, Estadão, Folha de São Paulo também entrarão nos respectivos sites.

Pois bem. Porque fazemos isso?? Para simplificar e facilitar a entrada dos nossos visitantes nos nossos site, Alias se entrarem na primeira página do site do jcb na aba do lado esquerdo o endereço que aparece é sem o http://www. Só aparece jcb.com.br

Hoje se quiser acessar o site do JCB precisa digitar www.jcb.com.br.

Mais uma "melhoria" do grupo da PMU. Será que a PMU só mandou o nome para cá e montou uma equipe aqui que não entende muito de turfe e desconhece as melhores práticas da WEB????

Já abri uma ouvidoria solicitando uma melhoria para substituir essa "melhoria que fizeram"

José Roberto Giancristoforo (11/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Vamos a uma analise depois de mais de um mês da PMU dentro do JCB, gostaria de saber a que vieram, pois de cavalo de corrida e corrida de cavalo o objeto não é .É muito estranho que paga e que banca. Graças a Deus as eleições estão a porta e esse pessoal vão todos para olho da rua. Vou dar meu voto ao Taunay e assim ver essa turma de obra ir bater em outra freguesia. Gastaram o grana em obra que poderia ter sido usada para tentar levantar o turfe no Brasil.

Fizeram uma mudança de Codere para PMU sem nenhuma explicação e pior tirando o absurdo que foi conseguido , mas que era a única salvação de se colocar o turfe para cima e se conseguir aumentar a frequência na Gavea e evidentemente aumentar o estragado MGA. Obras na Sede Social que não deveria existir, pois é ela que destoa e desvia de tudo que deveria ser a prioridade dentro da Gavea, cavalo de corrida e corrida de cavalo. Vão com Deus para bem longe do JCB.

Luiz Antonio Molleta (10/04/2016) - São José dos Pinhais/PR

Quando da entrega dos troféus da premiação no dia 06. 03. 2016, na tribuna da social, em conversa com o vice presidente Vidigal, ele pediu ao meu pai para que não parássemos de inscrever animais nas corridas de Cidade Jardim... 

E assim o fizemos neste final de semana correndo 4 produtos, obtendo mais uma vitória na estréia de mais um filho do reprodutor nacional É do Sul.

Em caravana, lá estivemos para comemorar. 

E ficamos maravilhados em ver o Restaurante Charlô totalmente lotado... 

E também um bom público nas arquibancadas... 

Bom de ver

E a caderneta de poupança está crescendo. 

Luiz

Luiz Antonio Molleta (10/04/2016) - São José dos Pinhais/PR

Será que o Hipódromo de Aqueduct também está em crise? 

Terceiro páreo com apenas 4 competidores.... 

Hipódromo vazio...

Antonio Moura (10/04/2016) - Niterói/RJ

"HIPÒLOGO"

Prezadíssimo Orlando Lima,

Li a chamada sobre o seu trabalho que a partir de amanhã será publicado aqui no Raia Leve; conclamo, portanto, todos os amantes do nobre esporte a acompanhar a série. Não li ainda - mas já gostei!

Grande abraço deste seu declarado admirador.

Antonio Moura

João Orlando Tomczak (10/04/2016) - Curitiba/PR

7º.Páreo da Gávea de sábado:

Péssima a condução do M.S,Machado no dorso do favorito Céu de Brigadeiro.

Largou muito bem, mas recolheu tanto o cavalo que ficou para penúltimo. Acho que ele pensou que estava pilotando um craque. Daí na reta, quando procurou o mesmo, este não descontou nada e ainda deixou o cavalo se atirar para dentro, por isso não formou a dupla. Continue assim Muriel, que voce vai voltar ligeirinho para o cristal, como seu irmão L.S,Machado.

Pasqual Evangelista (09/04/2016) - Valinhos/SP

JCSP

Li atentamente o comentário do Sr. Paulo Gama e fiquei aqui pensando qual terá sido o motivo desse comentário.

Começa reconhecendo que a programação do JCB dessa semana está fraca para falar que mesmo assim tem mais que o triplo de cavalos do que o JCSP e ainda compara com o JCRGS. O obvio foi dito o JCSP passa por dificuldades. Mas isso todos nós já sabemos não tem nenhum novidade ai.

Nesse caso eu me pergunto o que aconteceria se a mesma situação acontecesse com o JCB. Será que os proprietários daqui agiriam como os de lá?? Com todos os problemas ainda tem corrida em São Paulo e na minha opinião a crise que afeta o clube não fez com que os páreo fossem adequados à crise como os daqui. Aqui foi criado o índice técnico que na minha opinião não agrega nada ao Turfe. Acabaram com os faixas para aumentar o número de competidores gerando inúmeras reclamações dos turfista quanto a lisura dos resultados.

Em seguida ele sugere que os clubes coirmão deveriam se reunir para que tivéssemos um bom Grande Premio São Paulo para fazer o JCSP se levantar e evitar o êxodo dos profissionais de turfe para outros clubes que não tem infra estrutura para recebe-los (me fez lembrar da imigração que ocorre na Europa) 

Aqui também não entendi. No começo reclama da programação fraca da semana e agora acha que o êxodo dos profissionais pode atrapalhar por falta de estrutura. Como pode atrapalhar se os treinadores estão trazendo seus cavalos. Com isso a programação daqui deve melhorar e os jóqueis que tem vindo de lá para cá estão disputando as montarias e todos vencendo.

Se fosse assim o turfe Argentino deveria estar fulo com nosso jóqueis brasileiros. Quantos estão lá? e todos fazendo sucesso e todos muito bem aceitos por eles.

Aprecio muito os comentários do Sr. Paulo Gama mas desse eu não gostei, Sou paulista adoro jogar no Turfe do Rio de Janeiro mas acredito que o JCSP vai liquidar suas dívidas e voltar a brilhar. 

Aqui se reclama dos gastos do Presidente do Clube lá se ouve falar que o presidente está pondo dinheiro do bolso para amenizar a crise.

Fernando Iaccarino (08/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Em tempos de lava a jato, que tem mostrado, diariamente, o quanto de políticos e empresários corruptos o Brasil tem , ao lermos a carta da Diretoria do JCB, assinada por diversos proprietários de cavalos, defendendo a apalermada administração atual do JCB, fica uma pergunta: O que faz esses proprietários defenderem o indefensável. Torço para surja alguém com a coragem e inteligência do Juiz Sergio Moro e que tenhamos uma operação Cavalo a Jato para, se, possível,termos ilustres proprietários de cavalos na cadeia.

Anderson Farias Lima (08/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Observem o absurdo do décimo páreo desta quinta-feira, 07 de abril, no Cristal.

O cavalo número 2 - Desejado Guest era a maior cravação do programa...

Correu o tempo todo com o jóquei olhando para fora, desde os 100 metros... quase não solicitou seu cavalo, so o fazendo para se assegurar na ponta ATÉ O CAVALO NÚMERO 7 - VAMOS PARA CUBAI, QUE ERA SUA PARELHA, passar por ele... Simplesmente um absurdo!!! Basta ver o replay do páreo...

Marcelo Colameo (06/04/2016) - São Paulo/SP

FATO GERADOR

Sr. Miguel Leão / Sr. Antonio Moura

Ao que tudo indica, há tempos esta tecla está extremamente gasta, e os "técnicos especializados", não tem interesse ou capacidade de arrumá-la.

É por essa, e muitas tantas quanto essa, que faz com que o Turfe brasileiro seja, sem dúvida, o

PIOR TURFE DO MUNDO. !!!!!!!!!

P.S. Muitos que se achavam acima do bem e do mal, verdadeiros escroques, estão amargando com a LAVA JATO.

Antonio Moura (06/04/2016) - Niterói/RJ

O FATO GERADOR

Sr. Miguel Leão,

Sou do tempo em que o treinador quando tinha na cocheira um animal "com o páreo na boca" forçava a inscrição de um outro ainda se arrumando, com o claro objetivo de formar o páreo. Obviamente, o treinador e os proprietários sabiam claramente quem era a força e quem ia simplesmente fazer número, a mesma ótica do apostador atento e cuidadoso no formatar das apostas.

Não é isso que ocorre agora (não estou fazendo referência ao caso do L.Henrique, com toda a certeza uma excepcionalidade); o treinador inscreve dois, três, quatro animais e sistematicamente prevalece o azar em detrimento do mais visado.

Todos nós sabemos que cavalo não fala e treinador e jóquei, donos de um palavreado peculiar, falam mas só o que interessa. O que não pode é a reincidência específica e nos enfiarem a coisa goela abaixo como se naturalíssimo fosse; "o apostador que se vire e passe a considerar a possibilidade de golpe em seus estudos. É assim que estou agindo e não posso me queixar dos resultados.

Se o prezado turfista tivesse considerado esta possibilidade "naquela" sua aposta, não estaríamos aqui agora trocando figurinhas. 

Vida longa aos grandes treinadores do glorioso Hipódromo da Gávea!

Antonio Moura

Luiz Fernando Dannemann (06/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições no JCB Parte IV

Muito interessante o Editorial do Raia Leve que mostra, claramente, que o mandato Palermo é a continuidade do mandato LECCA, diferenciado apenas pela quantidade de entrada de recursos a partir do fechamento da principal sede (hoje completamente abandonada) e pelo aumento das Taxas de Transferência e Manutenção, já que os pilares (principalmente a “chefe” do departamento de obras) continuam os mesmos. Comparem as obras da guarita com as obras do Parque Infantil, são farinhas do mesmo saco.

Não apenas na engenharia como na "chefia" jurídica que entendeu de seguir brigando judicialmente contra o pagamento do Quinquenio dos funcionários e agora o clube amarga um contencioso que vai daqui a PARIS, a cidade preferida do atual síndico.

O Parque Infantil pode ser tomado de exemplo para mostrar o quanto os atuais mandatários tentam jogar a INSTITUIÇÃO na lata do lixo para desespero do amigo Paulo Gama. Um Parque Infantil implantado num clube hípico por MEIO MILHÃO DE REAIS teria que ser, obrigatoriamente, um PARQUE TEMÁTICO, cujo tema deveria ser o CAVALO, com brinquedos que remetessem ao nosso ator principal. 

Qual criança que não gostaria de brincar de jóquei?

Mas não. No JCB da era Palermo o tema utilizado foi o AVIÃO. Tudo circulou em torno de vôos internacionais; de cartões de embarque; das principais capitais do mundo; de gastanças irreais; da falta absoluta de austeridade e principalmente da ausência de transparência que deve ter sido afogada no Rio dos Macacos. O mandato Palermo foi marcado, fundamentalmente, pelos páreos de índice técnico importados de uma tribo onde se pratica um esporte muito parecido com o turfe.

Não vejo a hora do clube, dos proprietários, dos turfistas, dos funcionários antigos (não me refiro aos marajás) e principalmente dos profissionais se desvencilharem desta página escura (como os ladrilhos da piscina). É importante que não viremos, apenas, a página, torna-se imperativo que joguemos o livro no lixo.

Rafael Cavalcanti (06/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

O amigo Paulo Gama tem um dom único de dar um tom jornalístico em todos os seus textos. Uma espécie de voz da tribuna, aquela dos apostadores, dos turfistas da arquibancada, do profissional do turfe, do carioca, brasileiro. E tem total razão do distanciamento do esporte dos reis cada vez maior do seu público alvo. Mais uma vez, senti na pele este muro invisível que ainda separa o turfe dos novos frequentadores, e dos atuais, como eu. No senegalês sábado do Rio, fui ao prado, na Especial, onde pode bermuda e chinelo. Porém, fui literalmente barrado na nova loja da PMU por estar com havaiannas. Acreditem, vejam só: o chinelo que faz parte da vida de qual quer carioca, não é permitido naquele ambiente. São estas restrições, como a calça na social e o terno no Brasil, que ajudam a afastar o turfistas das tribunas, como se não bastasse uma incompetência monstruosa para fazer o turfe acontecer de fato...fica o recado, abçs

Miguel Barros Camara Leão de Souza (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Antonio Moura

Quando mandei a mensagem anterior quis apenas manifestar minha opinião sobre a direção do Leandro Henrique no dorso do animal Cayman Bank .Se o selim correu não há como condenar o garoto nem suspeitar sobre algum ato leviano de sua parte. As outras "coincidências" estamos já habituados a vê-las em diversas oportunidades com alguns profissionais. 

Sábado tem mais.

Abraço

Miguel Leão

Antonio José Moura (05/04/2016) - Niterói/RJ

O PIOR CEGO É O QUE NÃO QUER ENXERGAR

Prezado Sr. Miguel Leão,

Tiremos Camões do ostracismo: "coincidências" ocorrem eventualmente; o que não é exatamente o caso. Este escriba já desperdiçou sua parca gramática em diversas oportunidades dissertando sobre o tema.

Resumindo e dando nome aos bois: em razoável latim e à luz meridiana da verdade vamos nos referir ao fato como "modus operandi"!

Lamento, no entretanto, que o arguto apostador tenha deixado de engordar sua conta bancária naquele malfadado último páreo. Sexta-feira tem mais!

Antonio Moura

Miguel Barros Camara Leão de Souza (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados turfistas

Não acredito sinceramente que o aprendiz Leandro Henrique tenha tido algum tipo de culpa no que aconteceu com seu cavalo CAYMAN BANK no último páreo da noturna de ontem. Mas que deveriam os responsáveis virem a público esclarecer o que houve, não resta a menor dúvida. Um páreo que o favorito é treinado por Fabrício Borges filho do treinador Jairo Borges que disputa a estatística e de propriedade do Stud Tiepo Borges que todos sabemos quem é o proprietário. Para completar a coincidência incrível, eis que ganha a prova o cavalo IKER CASILLAS que é treinado por Jairo Borges. È de fato uma "verdaeira salada" de Borges numa mesma competição. E torno a inocentar completamente o garoto pernambucano. Só para constar, eu que fechava o Superbetting acumulado em mais de R$ 90.000 com a exata favorita 03 = 08. Pelo menos ganhei o do dia e vida que segue. 

Abraços a todos.

Miguel Leão

Sandro R.Vivaqua Rocha (05/04/2016) - Campos dos Goytacazes/RJ

Boa tarde turfistas

Mais uma semana encerrada do Torneio dos Catedráticos, e cada vez está mais próxima a vitória de Lucas Eller analista do site Raia Leve. Esta semana quem venceu foi Julio Ponte também do site Raia Leve que retomou a dupla na contagem geral. A título de curiosidade, um dos nossos participantes faturou o Superbetting de segunda feira, recebendo mais de RS 22.000,00. Trata-se de Miguel Leão que conseguiu um ponto extra em nosso Torneio, já que marcou Seresteira no nono páreo da noturna com rateio de 12.10. Segue a pontuação da semana:

1º) Julio Ponte - 14

2º) André Cunha - 12

3º) Lucas Eller - 11

Miguel Italiano - 11

Celson Afonso - 11

6º) Miguel Leão - 09

Fernando Lopes - 09

8º) Hermes Martins - 07

Dessa forma, a classificação geral fica assim:

1º) Lucas Eller - 111

2º) Julio Ponte - 98

3º) André Cunha - 96

4º) Miguel Italiano - 86

5º) Miguel Leão - 84

6º) Celson Afonso - 79

Fernando Lopes - 79

Hermes Martins - 79

Se mantiver o mesmo ritmo, dificilmente Lucas Eller irá perder, já que tem mantido ótima regularidade. 

Até semana que vem.

Sandro

João Fernandes (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

É lamentável essa Comissão de Corridas do JCB, não conseguem montar um PROGRAMA completo, nem com essa porcaria de nível técnico, animais vindo SP, clima mais ameno, gostaria de saber o motivo.

Inicio de mês a galera recebendo seus salários suas aposentadorias para ajudar a fazer suas apostas e não tem programa, agora depois do dia 15 começam a montar 11, 12 páreos todos cheios.

Infelizmente como velho viciado continuo nessa fazendo o que eles querem

Desculpem,

Boa tarde a todos boa semana.

Márcio J R Oliveira (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

O selim do cavalo rodou,o aprendiz nâo teve culpa nenhuma,está disputando a estatistica e pelo que conheço é um garoto muito sério e centrado na profissão,não julguem com a emoção,pois correm o risco de execrar um menino do bem que está procurando o seu espaço com muito trabalho,e tenho certeza que não se prestaria a qualquer tipo de atitude de dolo.Vamos refletir antes de julgar para não cometer uma injustiça com a pessoa errada.

OBS:Os comentaristas chamaram a atenção para o fato ocorrido.

Sergio de Souza Leite (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Caro Paulo:

Quem não chora não mama, situação que agora, com sua anotação, mais uma vez é confirmada, pois me gratificou muitíssimo, até mais que se houvesse sido citado da primeira vez. Obrigado pelas palavras, parceiro e, mais uma vez, parabéns por sua memória na área de bebidas e comidas. Vá em frente, cada vez mais, e fique com Deus. Nos veremos em breve. Sergio.

Waldir Alves de Souza (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Minha opinião sobre a condução do aprendiz L. Henrique, no último páreo:

Acho que o promissor aprendiz não merece ser tratado tão duramente. Porém, nunca é demais lembrar que toda e qualquer ocorrência deve ser devidamente informada, afinal o livro de ocorrências existe para isso. Lembro ainda, que o treinador também deixou de informar a ocorrência.

É bom frisar, que não basta a comissão de corridas apenas julgar os páreos, mas, também analisar se houve algum tipo de ocorrência na pista envolvendo os competidores durante a disputa da prova. É o mínimo desejável. 

Quanto aos instrutores da EPT– que, diga-se de passagem, realizam um excepcional trabalho – sugiro recomendar aos seus pupilos que jamais deixem de comunicar as ocorrências de pista, pois elas são muito importantes para o estudo dos apostadores. 

Onde não há um bom conselho, frustram-se os projetos.

Mario Veloso (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

DESAPRENDENDO SE É QUE APRENDERAM ALGUMA COISA

Tomando como base a recente postagem do Paulo Gama; além das chamadas sofríveis, formação de páreos por índice técnico fantasmagórico e de claiming’s maquiados. 

Vê-se que o(s) (técnico(s)) é/são cego(s), surdo(s) e fraco(s)...

Novamente no muro das lamentações do Raia Leve, chorando (de raiva)

QUE FASE !!! 

E os dias que não passam !!!

Paulo Gama (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Querido amigo turfista Sérgio Souza Leite. O motivo de não ter lhe citado nos agradecimentos é que não tinha visto a sua postagem. Justamente por ter sido a primeira eu comecei a ler no sentido contrário, ou seja, as últimas mensagens são sempre as primeiras no Espaço do Leitor. Agradeço a sistemática consideração por mim e as contínuas demonstrações de apoio e incentivo ao meu trabalho. Foi apenas um mal entendido. Não foi esquecimento. São coisas que acontecem quando a gente vai ficando velho, a miopia aumenta e a gente passa a não enxergar o que está diante do nosso nariz. Nada que não se possa concertar com uma caipirosca (vodca) cuada, sem açúcar, e um balde de gelo, abrindo o apetite para um picadinho de carne, com arroz branco, farofa de ovos e um ovo poche. Bons tempos de restaurante na Tribuna Social na sua companhia e na torcida para os seus cavalos treinados pelo craque José Luiz Pedrosa Júnior. Mais uma vez desculpe a nossa falha.

Francisco Rodrigues (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Não tem nada haver se alguém foi suspenso em Recife, só pelo fato L Henrique ser oriundo do Recife-PE. Não recai sobre ele e nem pode essas ilações. 

O garoto não merece isso ,

O selin rodou só isso e ponto.

Carlos Roberto dos Reis (05/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Hoje no último páreo vimos o aprendiz L. Henrique correr seu cavalo o tempo todo com os pez fora do estribo. Sendo que o animal era o favorito e o feche do superbet era com ele para primeiro.

Não afirmo se houve ma fé por parte do piloto mais ele não tentou em parte alguma do percurso colocar os pez no estribo.

Gostaria que comentassem a respeito do assunto.

Lembro que a pouco tempo um aprendiz de quarta categoria foi suspenso por um ano em pernambuco porque se jogou do cavalo grande favorito.

Roberto

Sergio de Souza Leite (04/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Amigo Paulo; Embora tenha sido o primeiro a comentar sua crõnica, nem como amigo nem como tricolor fui citado por vc. nos agradecimentos feitos. Saiba que fiquei decepcionado. Abraço. Sergio Leite

Paulo Gama (04/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Agradecimento

Obrigado pelos elogios feitos por Miguel Ângelo Paolino, grande marcador, Omar Tarik de Medeiros Vargens, emérito proprietário, Olavo César da Rocha e Lima, gentil turfista e aos amigos e tricolores George Sanches e Luiz Alberto Rodrigues de Souza, companheiros de tantas jornadas. A gente vai ficando velho e começa a ter estes acessos de saudade dos velhos tempos. Mas, dizem que recordar é viver. Então, esta nostálgica crônica, pelo menos serviu para a gente relembrar que com certeza todos nós fomos muito felizes. Um abraço a todos e obrigado por toda esta gentileza.

Mario Veloso (03/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Leonardo Porto Gadelha

se serve de consolo, bolada nas costas não é privilégio do amigo

forte abraço

Mario Veloso (03/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Leonardo Porto Gadelha

em passado recente circulou pelas tribunas sociais relatos envolvendo o animal Dubone que me deixou bastante decepcionado, se tem fundamento ou não não sei dizer, apenas informo que a conversa circulou por um bom tempo.

George Sanches (03/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Paulo Gama,

Obrigado pela volta ao passado que você deu à minha cabeça!! Só tenho a lamentar que minhas filhas e neta não poderão usufruir do que vi e convivi!!

Saudações tricolores

Luis Alberto Rodrigues de Souza (03/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Querido amigo Paulo Gama,

Li sua crônica de hoje e, me desculpe a ousadia, me revi nela...parece mesmo a minha vida com algumas pequeninas diferenças.

Sou um pouco mais velho que você, nasci em 51 e como você nasci e fui criado em Copacabana, bem no posto 5.

Meu pai foi turfista desde sempre e comecei a acompanha-lo desde criança, o primeiro pareo que guardo na memória foi a vitória de Orthon, um lindo tordilho da farda do Haras Santa Anita batendo o recorde dos 1300 na areia.

Roxy, Metro, Bruni, Copacabana, Caruso e Rian (onde sempre o antigo jóquei F. Conceição era o primeiro da fila quando um filme entrava em cartaz) ajudavam a preencher a semana em dias que não havia corridas.

Depois veio a proibição de menores frequentarem as tribunas e nos juntamos uns tantos ali no estacionamento e sempre conseguíamos alguém para fazer nossas apostas num guichet onde hoje existe o Palaphita.

Consegui transmitir a paixão pelo turfe para o André, meu outro filho chegou a frequentar mas depois se desinteressou.

Vejo com muita tristeza, e já tive oportunidade de externar isto por aqui, o declínio desta atividade que nos cativou em outros tempos mas tenho o prazer e a honra de ter feito ótimas amizades no turfe, amizades que mantenho até hoje e entre elas está você, com certeza!

Mais uma vez me desculpando por usar seu belíssimo texto, receba um grande abraço do amigo Beto!

Luiz António Molleta (03/04/2016) - São José dos Pinhais/PR

Vou puxar a sardinha para o nosso lado.... 

Quatro filhos do garanhão nacional É do Sul correram desde Janeiro até ontem... Em oito corridas, três venceram, 5 vitórias. Um G 3, um listed, uma copa velocidade São Paulo, um clássico em Maronas e uma vitória comum. 

Luiz

Miguel Angelo Paolino (03/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado Paulo Gama,

Parabeniza-lo por esta obra prima de texto, é pouco. Quem viveu esta época,, tenho a certeza que ficou encantado e emocionado, com a riqueza do seu texto. Um verdadeiro "CRAQUE das palavras!

Flamarion Fuhro (03/04/2016) - Campinas/SP

Concilium

Após + está vitória (GP Osvaldo Aranha),Não poderia deixar de agradecer a Dra Bruna Ibiapina, Dr Christian Schlegel e Dr Leo, equipe de veterinários que,após Concilium ter vencido o GP Copa dos Campeões, submeteram-no a uma Cirurgia( Dezembro de 2012!!!) e, após reaparecer 20 meses Depois( Agosto 2014), seguiu fantástica campanha(3o GP SP, 2o GP Brasil( largou parado),1o GP Consagração, nunca mais descolocando-se em 

nenhum GP).Tb houve a louvável e infinita paciência de Marcel Figer(Haras Tango), Criador e Proprietário do mesmo!!!!!

Flamarion Fuhro

Omar Tárik de Medeiros Vargens (02/04/2016) - Brasília/DF

Senhor Paulo Gama, 

recentemente ressaltei com o Arthur Stern sobre minha alegria em ler suas manifestações no site, pois estavam elas habitualmente centradas na paixão comungada por nós, as corridas de cavalo. Pode parecer pouco, mas pra quem visceralmente sente e se arrepia quando cada pinça desses cascos empurra o piso pra trás, a física se converte em arte.

A memória - pois nostalgia pode ser eventualmente interpretada de forma pejorativa - é indispensável pra qualquer indivíduo ou sociedade. Afortunados aqueles que têm o que contar... Não há nada melhor na vida. Mais felizes são os que têm a sabedoria de ouvir e desfrutar de mundos não vividos materialmente, gozando, nesta viagem, apenas das alegrias e júbilos de um tempo não vivenciado.

Estou por aqui desde dezembro de 79. São duas décadas apenas de atraso. Por graça, fui apresentado ao mundo do turfe com fraldas de pano. Tomei o mate batido do Pelé (com gorjeta tinha chorinho), recortei brinde da revista pra não pagar entrada na Tribuna Especial, tentei fraudar a segurança que impedia impúberes de assistir às noturnas, entre muitas outras experiências de que nunca me esquecerei. 

Contudo, deve admitir que, em seu dias de moleque, assim como hoje, muitos problemas assolavam nossa cidade de sonhos e esse país sofrido. Meu pai costuma dizer que as dezenas de "bolas" são sempre esquecidas, ficando os triunfos guardados imemorialmente. 

Mas assim deve ser! Disso vive o Homem! Corridas de cavalos, como a nossa existência, dependem de romantismo. Por esta única razão, mesmo lendo por aqui comentários que muito pouco agregam ao espírito, busco sempre valorizar o que temos pra hoje.

O que é bom vai ficar entre nós. E o turfe é uma dessas obras que jamais nos deixarão. Como disse, nasci com vinte anos de atraso, mas até hoje curto Stones, Bob Dylan, Cartola, Noel, Candeia, Renaud, Caetano, entre outros gênios. Nem por isso deixei de ir 

a bailes funks em comunidades e clubes do nosso Grande Rio. As emoções se valem de outros meios de manifestação. Nada demais. Seus filhos hoje vibram com Federer e Djokovic, a elegância e talento não respeitam nacionalidade. Neymar? È craque sim, como eu sou turfista!

A vida é assim mesmo, o passado é sempre a certeza que nos seduz, como bem refletiram Nei Lopes e Wilson Moreira, com interpretação sublime de Clara Nunes (Coisa da Antiga) ou até mesmo Woody Alen em "Meia Noite em Paris".

O momento, entretanto, é de, a partir do que queremos resgatar, trilharmos agendas positivas pra este futuro bem próximo. Eu realmente acredito no que é bom.

O turfe, tão bem retradado por Degas ou Gardel, nunca cairá no esquecimento.

Obs: feliz, evidentemente, com sua presença na foto da Holandesa Vip ontem.

Antonio Moura (02/04/2016) - Niterói/RJ

DOS FRACOS NÃO REZA A HISTÓRIA

Sr. Leonardo Porto Gadelha,

Em primeiro lugar para dizer que apreciei imenso seu singelo texto sobre a saga do bravo Chabry Del Mar, não só porque pudemos, o signatário, o sr. Leão e os demais turfistas que entram no Espaço do Leitor, - entender como se processaram os acontecimentos , mas também pela citação a antigos treinadores.

Mário Mendes, chegado a uma troca de animais (o Tuchaua e o Barbante que o digam) e o Paulo Duranti, que tinha o peculiar hábito de correr todos os seus animais na pista de areia ferrados a ferro, uma artimanha para que o apostador atento não pudesse diferenciar o cavalo que ia de filete daquele que efetivamente ia de ferro; quando isto ocorria o segundo não chegava na foto e o rateio era mais gorducho que o Mário Mendes. Por isso, prefiro citar Gonçalino Feijó, Paulo Margado, Celestino Gomes e principalmente mestre Ernani de Freitas, todos eles com admirável folha de serviço.

Mas não posso deixar de invejar a coragem do seu ato de contrição, um retrato em preto e branco sobre as agruras a que estão sujeitos os proprietário de PSI, as quais só podem ser atenuadas quando a relação com o treinador é de absoluta confiança. Parece que neste seu caso o problema era do animal - quem sabe uma rejeição absoluta ao cavalariço ou aos ares da Serra.

Em última análise, devemos entender que nem super-campeões estão livres de sofrer peças desta natureza e é bom que assim seja, eis que é do imponderável e por vezes do desconhecido que se alimenta a paixão de todos nós pela maravilhosa atividade que é o Turfe.

Finalmente, como o sobrenome Gadelha é tradicional na Gávea, presumo que o prezado turfista seja filho ou parente próximo do sr. Meton Borges Gadelha, cujos animais abrilhantaram nossas corridas durante tantos anos.

Desejo-lhe melhor sorte no próximo leilão.

Antonio Moura.

Olavo Cesar da Rocha e Silva (02/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Realmente o artigo do Paulo Gama de hoje é para deixar todos nós emocionados. Sugiro que a APPC ou o proprio JCB ou outra organização patrocine um livro ou um documento do PG, contando a historia do turfe na linha, por exemplo, do feito por Ruy Castro recentemente sobre a música brasileira.

Leonardo Porto Gadelha (02/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Quanto aos comentários da venda do chabry del mar , não tinha , não precisava vender um cavalo ´são, por 5.500 reais!! outro dia escutei um comentário de um locutor que admiro, que entende que a inscrição da égua FLUTE no pareo de claiming era para luta pela estatistica !!
realmente a égua ganhou fácil ... e foi comprada  Não sei se ela tem algum problema !!
outra égua vendida no claiming e adquirida pelo Jairo Borges, que não conheço, mas gostaria de conhecer foi a égua EFERVESCENTE , que também foi uma ótima compra sou propriOTARIO ,há mais de 40 anos.

Tinha parado , mas o nível dos profissionais ´´´´´´e o mesmo daquele tempo SOU da época de Mario Mendes , Paulo DURANTE , E o cavalo é um mistério

Me disseram que o Chabry del mar não tinha menor chance de ganhar um pareo de turma ,tão cedo ganhou 5 corridas , so um claiming , campeão desse ano , 7 vitorias tirou ainda dois segundos , um terceiro correu 8 vezes depois que eu DEI , de 21 /12 ate hoje quase 3 vezes POR mês !!!

QUEM NAO TERIA TER UM CAVALO DESSE!!

E ERA O UNICO CAVALO QUE EU TINHA !!!!

TODOS MEUS AMIGOS ME SACANEAM

E O PIOR .. OU MELHOR , PORQUE TORÇO POR ELE, deve estar inscrito semana que vem no mais alto índice técnico 52!!!

Como dizia o VESPA

DEIXA PRA LÀ

DIZER O QUE ?

LEONARDO GADELHA
PropiOTARIO DO ANO

Segio de Souza Leite (02/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Amigo Paulo: Mais do que uma estória de sua vida no turfe que nos foi exposta, sua crônica de hoje nos leva a lembrar de fatos e hábitos que, sem dúvida, estão sendo massacrados por pessoas recalcadas e sem passado turfístico. Felizes somos nós que vivemos tantas coisas bonitas e arrebatadoras. Quando a eles, como classificar? De qualquer forma, os profissionais e os animais que você relaciona, e que não se repetirão mais, ocupam um espaço nobre em nossas cabeças, enquanto nas deles temos o vazio e o cinismo, juntos com a pior ambição. São dignos de pena e não de raiva, Os vencedores, por muitos e muitos corpos de vantagem, somos nós. Parabéns prá gente. Sergio Leite.

Antonio Moura (01/04/2016) - Niterói/RJ

Sr. Miguel Leão,

Permita-me discordar:

a) Não imaginava que o responsável pelo animal fosse um treinador de ponta e muito menos o consagrado D.Guignoni;

b) A mesma percepção do Sr. Jairo Borges no que se refere ao potencial do atleta, deveria ter sido compartilhada pelo então treinador e desaconselhada a sua participação em páreos de Claiming; custa a acreditar que exista proprietário cabeça dura a ponto de não levar em consideração os argumentos de tão notável conselheiro;

c) Registre-se que já comprei e já vendi cavalos nesta modalidade e sei perfeitamente como as coisas funcionam numa sadia relação treinador-proprietário;

d) Mas, enfim, admito que nesta atividade (e daí o encanto) tudo pode acontecer - até mesmo ter havido sintonia de pensamento entre as partes para efeito de inscrição.

Então, palmas de pé, como na ópera para o Sr. Jairo!

Antonio Moura

Miguel Barros Camara Leão de Souza (01/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Antonio Moura

O treinador de Chabry del Mar antes de ser vendido era por um "tal’ de Dulcino Guignoni, apenas um supercampeão. Resta saber se o antigo proprietário queria vender seu animal, e nisso o treinador nem sempre pode interferir. Agora é óbvio que o titular do Stud Golden Horses fez uma compra espetacular e também parece claro que o treinador Jairo Borges tem importante papel em todo este processo da compra e principalmente na manutenção em forma soberba do cavalo. Não concordar com isso, parece ir contra ao bom senso. Mas tem muito turfista que tem uma curiosa preferência por treinadores que vivem sendo suspensos por medicação ou troca de cavalos, não é mesmo?

Miguel Leão

Antonio Moura (01/04/2016) - Niterói/RJ

A ARTE DE BEM CAVALGAR TODA A SELA

Sr. Leonardo Porto Gadelha,

Sobre o bravo Chabry, portador de nada menos do que sete vitórias no último ano hípico, resta dizer que o proprietário jamais teria oferecido o seu animal em páreo de claiming sem a interveniência do seu treinador - que por sinal, ignoro quem ele seja.

Ao profissional, portanto, deveriam ser dirigidos todos os comentários pertinentes. Quanto ao olho clínico do Sr. Jairo Borges, pode ser que seja apenas simples questão de sorte - mas também pode ser que não seja!

Antonio Moura

Luiz Fernando Dannemann (01/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições no JCB Parte III

Lendo com muita atenção o comunicado do JCB acerca dos gastos com segurança, tentando chamar a atenção dos sócios para o fato do clube ser um lugar seguro, devo concluir que o nosso síndico, signatário do documento, foi muito bem até a última linha quando faz comparação dos seus gatos em segurança com os gastos em segurança da administração Taunay.

Um amigo meu, Luis Sergio Pereira, sócio do clube, frequentador, não muito assíduo, do tênis, acaba de me dizer que votará no ex-presidente, justamente baseado no email que recebeu, já que no mandato Taunay os investimentos em segurança eram bem maiores do que agora e a taxa de manutenção infinitamente menor.

Sugiro ao marqueteiro do Presidente (torço para que não seja o “assessor de assembleias” que passa no caixa todos os meses para retirar 11 mil pratas dos associados) que reveja os textos que escreve, pois assim pode enterrar a campanha do síndico antes de findar o prazo de validade.

Acho que estávamos todos bêbados quando aceitamos a indicação deste personagem, um autêntico néscio.

Leonardo Porto Gadelha (01/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Para apostar no tele turfe , você tem que ter uma paciência
20 minutos para alguém atender
vergonha !!
vou fazer greve , 30 dias sem olhar para o turfe
deviam implorar para o apostador
mas , é um sofrimento
coisa de louco

Leonardo Porto Gadelha (01/04/2016) - Rio de Janeiro/RJ

Voces sabem qual foi o cavalo que mais vitoria teve no ano hipico 2015-2016?
Parabens , Chabry del mar , 7 vitorias
Voces sabem quem foi o PROPRIOTÁRIO ,nesse periodo,?
foi o Stud PRINCIPESSA DI CAPRI , QUE ENTREGOU O CAVALO EM UM CLAIMING!!
QUANDO TINHA DUAS VITORIAS !!!
PARABENS AO TREINADOR JAIRO BORGES QUE COMPROU ESSA MOLEZINHA!!!
COM ELE GANHOU 5 CORRIDAS !!!!!
O TURFE NAO EVOLUI
PAREI
É IGUAL A 30 ANOS ATRAS












12.641

12.812



























  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês