Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Charles Aznavour - Stud TNT

First Night - Stud Eternamente Rio

Feia Que Dói - Stud Eternamente Rio

Ta-Maluca - Stud São Francisco da Serra

Dawn Surprise - Sinval Domingues de Araujo

Inocupé - Stud Eternamente Rio

Ta-Maluca - Stud São Francisco da Serra

First Night - Stud Hulk

Energia Frizor - Haras Planície

Iron Man - Stud Doce Ilusão

Casual Elegance - Stud Catilena

Idiome - Stud Eternamente Rio

Bebe Real - Stud Ilse

Alpine Point - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Gabriela - Stud Eternamente Rio

Alpine Point - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Ponto Pacífico - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Naonda - Stud Eternamente Rio

Leme Norte - Stud São Francisco da Serra

Bala Jujuba - Haras Santa Rita da Serra

Hide Park - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Carminha - Haras Santa Rita da Serra

Belvoir - Stud Daltex

Fernando - Stud Daltex

Sempre Bem - Stud Daltex

Fernando - Stud Daltex

Conforto - Stud Daltex

Senhor Tricolor - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Ilha de Pascoa - Stud Iposeiras & Rotterdam

Gigante de Ouro - Sinval Domingues de Araujo









Neste espaço são publicadas as manifestações dos nossos leitores.

O RAIA LEVE acolhe opiniões sobre todos os temas ligados ao turfe.
Reserva-se, no entanto, o direito de rejeitar ofensas, acusações insultuosas e/ou desacompanhadas de documentação. Eventualmente, os e-mails poderão ser checados. O site não tem o compromisso de publicar todas as mensagens recebidas. A publicação, quando ocorrer, se dará na íntegra ou parcialmente, privilegiando-se os trechos mais relevantes.





Abril | 2015

Sergio Lessa (26/04/2015) - São Gonçalo/RJ

Aló srs responsáveis pelo JCB não adianta algumas pessoas tentarem fazer o impossível para melhora o mga e um marketing do Hipódromo e suas reuniões enquanto esse novo site do JCB não estiver 100% pois só vive saindo do ar,além de existirem várias reclamações quanto a qualidade do serviço apresentados no tocante a informações precisas com ref.a ferregeamento,forfait,e pista,enquanto estiver desse jeito não tem como o investidor em apostas jogar o seu dinheiro na Gávea, abrem o olho porque muita gente está deixando de apostarem em corridas por causa dessas desinformações .

Antonio Moura (25/04/2015) - Niteroi/RJ

CODERE X PMU

Caríssimos,

Como já circulam intensamente notícias de que, no final que se aproxima acerca do contrato com a Codere, esta dará lugar à PMU, gostaria de saber pela boca de quem entende do riscado se:

a) estamos diante de um passo à frente em favor do tufe nacional ou se

b) está se trocando simplesmente seis por meia dúzia.

Como já acho uma pedreira as apostas nacionais e, portanto não arrisco meu dinheiro internacionalmente, agradeceria se recebesse mais informações sobre a referida alteração.

Antonio Moura

Sidney Morihiro Kanashiro (25/04/2015) - São Paulo/SP

O turfe em São Paulo, cada vez mais decadente, pareos vazios e apenas duas vezes por semana, que saudades da época, que tinha cidade jardim sábado, domingo e segunda feira, trote na terça e sexta, quarta feira São Vicente, quinta Campinas, enfim a semana inteira hoje se não tivéssemos, Gávea e Rio Grande do Sul quase não teríamos opções para as corridas, enfim vivemos do passado.

Luiz Alberto Demenjour dos Santos (24/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

O site raia leve era o melhor site disparado de turfe, mas decaiu nas informações e no espaço do leitor por algum motivo. Diariamente entro no site e observo a sua decadência informativa, é uma pena, espero ansiosamente o seu retorno de uns tempos atrás.

Waldir Alves de Souza (24/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado PG:

Grato pelo elogio.

Seu comentário sobre o momento do Turfe é rigorosamente perfeito, pois aborda com precisão cirúrgica as mazelas que todos (criadores, proprietários, profissionais, turfistas e apostadores) enfrentamos a anos. Por isso seus textos são de grande importância. Grande abraço e saudações tricolores!!!

Paulo Gama (24/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Parabéns ao Waldyr Alves de Souza pela vigilância permanente das coisas do turfe. Os erros encontrados sistematicamente em todos os seguimentos do turfe brasileiro e carioca fazem parte de um período de absoluta falta de gestão e de comprometimento dos diversos setores administrativos. Há muito tempo as coisas têm sido feitas de qualquer maneira. Não existe cobrança. As chamadas das programações não tem participação efetiva de profissionais na sua elaboração. O planejamento das corridas muito menos. As reuniões são realizadas para hipódromos vazios por falta absoluta de divulgação nos meios de comunicação. Os profissionais recebem incontáveis multas, o que sacrifica ainda mais uma classe já achatada por viver de comissões de prêmios defasados. Em São Paulo os prêmios não são pagos. E no Rio, o espaço do hipódromo é invadido para que qualquer atividade chinfrim seja realizada. Enquanto isso, as corridas de cavalos, razão de ser de um clube hípico, são colocadas de lado. Mas nós, os chatos, continuamos a cobrar e a sonhar com melhores dias para este esporte maravilhoso.

Waldir Alves de Souza (24/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Apenas retificando:

Onde se lê: "o bravo Illusionnisme", leia-se: "a brava Illusionnisme".

Waldir Alves de Souza (24/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

STUD BOOK COMENDO MOSCA

Illusionnisme (Refuse To Bend e Lost In Love, por Put It Back), cria e propriedade do Stud Capitão, possui em sua campanha 1 (uma) vitória alcançada no 10º páreo de 01/03/15, sobre Alamoud e Ocean Way, segundo e terceiro lugares, respectivamente, no Hipódromo da Gávea.

No Stud Book, pasmem, a campanha do bravo Illusionnisme exibe apenas 5 apresentações e cinco colocações na Gávea. É o caso de perguntar: Cadê a vitória do Illusionnisme??? 

Alô Stud Book... ACORDA!!!

Waldir Alves de Souza (23/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

SOBRE JOE CLOONEY, INSCRITO EM 26/04/15:

Não é estreante. Atuou em 20/04, segunda-feira. Foi 7º(08) para Hotel Dorchester, que deu vareio na parceirada. Era 3ª força, rateio de 4,0, porém mostrou muito pouco já que chegou a vários corpos em penúltimo.

Antonio Moura (23/04/2015) - Niteroi/RJ

CONSEQUÊNCIAS INESPERADAS

DE PARTICIPAÇÕES DESPRETENSIOSAS

Sr. Milton Lodi,

Parabenizo e agradeço ao histórico homem do turfe que o senhor efetivamente é, pela singular e irretocável crônica ora publicada no site oficial.

A simples referência a expoentes como Elamiur e Viziane, que nos remete a um tempo em que a atividade desfrutava de prestígio que hoje, infelizmente, por um motivo ou por outro, inexiste, - vale por si só a releitura deste seu trabalho.

Antonio Moura

Antonio Moura (22/04/2015) - Niteroi/RJ

MALHANDO EM FRIO FERRO

E de repente, não mais do que de repente, fez-se o silêncio; entra dia e sai dia e nada de novo (ou por demais antigo) no Espaço do Leitor.

Sinto falta de Luiz Fernando Dannemann, de sua metralhadora giratória, implacável e justiceira.

Sinto falta de todos aqueles, de "A" a "Z" que podem e devem manifestar sua intolerância com a atual administração do glorioso Jóquei Clube Brasileiro; o poder pertence somente a quem pode exercê-lo em proveito do bem comum.

Dito isto, parece que está mais do que na hora de recarregar baterias e defender o que mais importa - o turfe nacional! 

Até amanhã, se Deus permitir.

Antonio Moura

Marco Antonio Santos (20/04/2015) - Niteroi/RJ

Ricardo novamente em grande forma !

Falta assumir mais compromissos de monta em La Plata, para dar caça ao R. Baze .

Pedro Baluardo (20/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Nilton Flora.

Ontem, Andre Cunha havia informado através da tv turfe que algumas linhas telefônicas do JCB estavam com problemas. Citou dois números (não lembro agora) que estariam disponíveis para os apostadores do teleturfe.

Nilton Flora (20/04/2015) - São Paulo/SP

Desde ontem por volta 11.30 da manha estou tentando passar uma trasferencia que fiz pelo telefone 08000230144 e nao consigo sera que esse pessoal da diretoria pagou a conta do dito cujo quem pode me ajudar sera que mudou o numero do telefone e ninguem avisou

Pedro Baluardo (19/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

13:30h., no site do hipódromo promotor das corridas de hoje, nada de animais desferrados. Enquanto isso, no site do JCSP, todas as informações necessárias para o apostador. Descaso total. Será que ainda estão correndo atrás de autógrafo do Usain Bolt?

Waldir Alves de Souza (19/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

São 11:35 horas. No site do JCB, "tudo como antes no quartel de Abrantes". Informações do interesse do turfista/apostador, nada! Pista, forfaits, medida do penetrômetro e ferrageamento, nem pensar. O descaso é total. Devem estar preocupados em puxar o saco do Usain Bolt.

Waldir Alves de Souza (18/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

É lamentável a falta de respeito com o apostador, senão vejamos:

São mais de 10:00 horas e o site do JCB, não fornece a pista e o penetrômetro. As informações existentes são de 16/04, pasmem. Atitude bizarra para quem almeja crescimento de MGA.

Os agentes credenciados abrem as 09;00 horas. Será que não existe um Diretor que coloque ordem na casa e determine a disponibilização, antes do horário de abertura dos ACs, de pelo menos, pista, forfaits e ferrageamento. 

Impressiona o descaso com os apostadores!!!

Gilberto Werneck de Capistrano (18/04/2015) - Curitiba/PR

E NÓS, OS TURFISTAS?

“Os fracos usam a força, os fortes usam o diálogo. Os fracos dominam os outros, os fortes promovem a liberdade...” (Livro O Mestre Inesquecível) Augusto Cury

O diálogo aproxima as pessoas, resolvem os problemas difíceis e esclarece as questões complicadas. 

É uma ferramenta poderosa para solucionar mal entendidos e transformar campos de guerra em ambientes de paz. 

Um bom diálogo exige saber escutar.

Sabemos que falta pagamento. Mas o Tarumã está sobre intervenção. Cortar o sinal radicalmente resolve o problema. Será que não era hora de um representante da Gávea realmente dialogar com o atual interventor – que não tem culpa - e colocar toda a situação e tentar resolver as questões.

Será que não faltou diálogo da Gávea com o Tarumã.

O que é uma Intervenção:

Intervenção é o substantivo feminino que significa o ato ou efeito de intervir e indica uma intercessão ou mediação em alguma situação adversa.

Em inglês, a palavra intervenção é traduzida por intervention. Numa intervention, os amigos identificam o problema e se DISPONIBILIZAM A AJUDAR no que for preciso.

"A maior fronteira entre dois seres é a ausência de compreensão e a falta de diálogo."

FlavioSouza

Rafael Cavalcanti (17/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Seguindo boas práticas de regulamentação, o JCB abriu consulta pública para a proposta do novo código de corridas, obsoleto e que precisa urgentemente ser revisto. Lamentavelmente são apenas 30 dias e o site da consulta, porém, está fora do ar, impedindo conhecermos o texto e emitirmos contribuições. Falho e amador, como quase tudo no JCB. Mesmo assim, os turfistas em geral devem se debruçar e participar, opinar, assim que possível. 

Diga-se de passagem, coincidência ou não, a safra de chilenos aparece em altíssima conta esta semana. Qualquer dia a Gávea vira Bangu, caminho sem volta....

Priscila Beloch (17/04/2015) - Lexington/KY

Sobre corridas no Chile: 

Gostaria de acrescentar que a grande maioria dos cavalos no Chile que formam os 19 páreos correm toda semana, muitos correm de 3 em 3 dias, é comum ver, por exemplo, um 5 anos com mais de 300 atuações. 

Eles separam o "joio do trigo" assim: os bons cavalos são poupados e treinados com respeito e cuidado e o mínimo de humanidade. 

Os cavalos que não se destacam são tratados como robôs sem importância alguma, só de jogo, e sujeitos a esse esquema assassino de correr toda hora, mesmo mancos, o que dá ao Chile o récorde mundial de quebradeira e eutanásia na raia. O que se vê cavalo caindo no meio do percurso, aleijado, é de arrepiar de medo e tristeza qualquer um que goste de cavalo. 

Não há nada do que admirar e espero que JAMAIS esse esquema de treinamento (ou falta DE) venha a se repetir em qualquer outro país. Teria sim, que ser extinto!

Aliás, os jóqueis que montam no Chile, por consequência, também correm muito mais riscos. São muito corajosos! 

Abraços

Priscila

Antonio Moura (17/04/2015) - Niteroi/RJ

OLHO MECÂNICO

Tipo de decisão para olho mecânico, esta de saber quem consegue pior administrar um Clube de corridas de cavalo. Em Cidade Jardim, com a saída do lusitano Horácio, cheguei a imaginar que houvesse um sopro de competência no gerenciamento de turfe; ledo engano!

No atual quadro e apenas com uma reunião por semana, não há como deixar de louvar a turma do Cristal que, bravamente, apanha e resiste. Até quando, Dr. Vecchio?

Antonio Moura

Oswaldo Guimarães (17/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia, Acertei uma acumulada de duplas em 3 nas corridas da gávea, gostaria de saber a comissão.Desde de já fica meus agradecimento e tenham um grande final de semana.

José Flavio Garcia (17/04/2015) - Londrina/PR

Está sacramentado o maior vexame da história do JCSP. A semana do GP São Paulo, com provas de grupo e páreos normais, terão seu prêmios ainda retidos, situação que vem desde a reunião de 13 de dezembro, ou seja, mais de 4 meses. Na íntegra, o comunicado da diretoria sobre o assunto: “As negociações com a Prefeitura Municipal de São Paulo, para liberação formal da comercialização das Transferências do Direito de Construir (TDC’s) do Hipódromo Paulistano, dentro dos parâmetros considerados por nós como sendo justos e inquestionáveis, têm demorado mais do que o previsto. Conforme exposto na última Assembleia Geral Ordinária, realizada em 31 de Março de 2015, nosso empenho s e dá no sentido de garantir recursos financeiros em escala representativa, que possibilitem não apenas o acerto das obrigações imediatas, mas também garantam o fôlego necessário para o vital investimento em infraestrutura social e turfística, garantindo a perenidade do Jockey Club de São Paulo. Sendo assim, não será possível iniciar, no momento, a quitação dos prêmios aos proprietários e criadores, conforme estipulado em comunicado oficial, publicado em 13 de janeiro de 2015.Informamos que os prêmios serão corrigidos pela taxa do CDI, desde as respectivas datas originais dos créditos. Aqueles casos em que os juros devidos forem menores do que as taxas de inscrição e taxas de Added, debitadas durante o ano corrente, as mesmas serão estornadas junto ao respectivo valor. Agradecemos a compreensão tão amplamente demonstrada e reiteramos o nosso compromisso de colocar os prêmios em dia tão logo os direitos do Jockey Club de São Paulo estejam devidamente garantidos pelo Poder Públ ico Municipal. A diretoria”. Trocando em miúdos, ad eternum.!

Francisco Rodrigues da Silva (17/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Esta última punição ao treinador J.Borges foi no grito do turfista a egua correu o claiming K e voltou para o claiming L e com descarga.

Agora querem copiar o Chile.

Em primeiro lugar tem que se abolir a diversidade para depois pensar em CHILE. E tem mais la o jockey paga para voce escrever e pode da galope a vontade. Sao as regras de la.

Mario Veloso (16/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

PAULISTA É CORAJOSO !!! CARIOCA TAMBÉM !!! RECONHEÇO !!!

A recente debandada de animais da gávea para o sul não será tão sentida nas programações se confirmadas expectativas e bem provável debandada de São Paulo para o Rio. O JCB sequer terá de se preocupar com aumento de prêmios, a programação vai estar sempre bem concorrida e com muitas inscrições, melhor baixa premiação do que nenhuma !!!

Leilão de potros que se anuncia e GP São Paulo...

Vão mesmo enviar animais de outros prados para competir? 

E o leilão de potros? o pessoal vai mesmo partir pras compras? 

Isso sim é paixão incondicional !!!

Thiago Godoy Vilela (16/04/2015) - Jaboatão Guararapes/PE

Que "BELA" resposta aos turfistas dada pela diretoria do JCSP !! Prova de compromisso e empenho rumo ao fechamento do clube... Transferir a culpa para a prefeitura é, realmente, genial !!! os proximos capítulos dessa novela mexicana, deverá ser uma, enorme, debandada de profissionais e proprietarios rumo ao JCB !!! Será que Cristal estáa preparado para ser a segunda força do Turfe Nacional ????

Pasqual Evangelista (16/04/2015) - Valinhos/SP

JOCKEY RIO

Indignação. Amadorismo Total.

Obrigam-nos a usar um novo site de apostas e quando tenta acessá-lo ocorre isso

1) Recebo a mensagem que minha senha é inválida. MENTIRA Comprovada quando recebo um email confirmando minha senha

2) Tento novamente e

Ocorreu um erro ao tentar exibir a página. 

Tente novamente mais tarde ou, se preferir, volte para a página inicial.

Será que esse pessoal faz os testes em produção...... Clientezinho bom esse JCB

Renato Borda (16/04/2015) - Porto Alegre/RS

Boa noite, amigos.

APÓIO TOTALMENTE O CONTEÚDO RELATIVO AO COMENTÁRIO DO SR. MARCELO ALMEIDA, POSTADO EM 11/04 ÚLTIMO.

Graças às seguidas e liberadas, DIVERGÊNCIAS DE PERFORMANCES, comuns aos páreos da Gavea, bem como, sob minha análise, Picks 7 - devidamente "trabalhados..." - desde Junho de 2014, me afastei completamente dos estudos (por puro desperdício energético ), bem como das carreiras, minha paixão de 40 anos e vários acertos em Picks 7, concursos de 7 pontos na Gávea e Concurso Simples no JCRGS. 

Afastado deste então e saudoso principalmente dos amigos, adentrei HOJE ao Espaço do Leitor deste site maravilhoso, do qual, me considero co-fundador e me deparo com a continuidade lamentável dos vergonhosos acontecimentos de pista, que limitou ou interromperam de forma definitiva minha vivência e envolvimento praticamente diário em relação ao turfe e à Gavea.

Devo cumprimentar o Sr. Marcelo Almeida, pela racional postagem, perfeitamente equilibrada ao vergonho modelo "governamental..." do país, bem como turfisticamente inaceitável e GRAVEMENTE RESPONSÁVEL pelo estrondoso afastamento dos milhares de turfistas apaixonados em todo o país, que decidiram não mais aceitar serem roubados em seus prazeres pessoais, à luz do dia.

Deixo aqui, um grande abraço aos eternos amigos conquistados neste maravilhoso site e espaço.

Francisco Rodrigues da Silva (16/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Hermes Martins. 

A marcação de sabado 18/04 4° pareo e 5° pareo esta a mesma. 

Att.

F Rodrigues

Stud gata da serra

Julio Cesar Reis (15/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Fato digno de registro

Nunca vi nada parecido. Esse Seu Jairo é mesmo um fora de série.

Ele inscreveu, nada mais, nada menos que 14 (quatorze) animais na 2ª feira, dia 13/04/2015.

Merece sim, ir para GUINNESS BOOK.

Francisco Rodrigues da Silva (15/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Solicito a diretoria do J C B ,uma nova palestra sobre babesia que foi dada pelo sr Rafael pois nao consegui chegar a tempo de assisti-la desde o inicio devido ao transito e horario.

Att.

F Rodrigues

STUD GATA DA SERRA

Jose Antonio Barros (14/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

O Ministério da Saúde recomenda a todo turfista que se dispor a jogar pela internet com o fim do site antigo, ter por perto no local onde estiver, suco de maracujá, calmantes, e tentar apostar sem ter crianças por perto para elas não escutarem os xingamentos por demorar e não conseguir efetuar as apostas. aplausos para os inteligentes que comandam o turfe que depois de acabar com a transmissões pela rádio, com esse bendito site novo vai afastar ainda mais turfistas, pois muitos pela dificuldade em apostar e só tendo a internet pois as agencias são longe da moradia e para não se aborrecer e acabar tendo um enfarte vão desistir do turfe.

Ivor Lancellotti (14/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

O novo site do J.C.B deveria se chamar A PEGADINHA!

Você aposta no primeiro páreo de Cidade Jardim o vencedor 4 e confirma , tudo bem. Depois você aposta nas duplas 2/4 e 47 não dá outra coisa:Em primeiro 4 em segundo 7 ai você vibra e diz pra você mesmo acertei! Mas nada disso o site passa para a Gávea e você nem notou? que a a aposta foi feita na Gávea! Tudo bem que eu deveria prestar toda atenção , só que eu não sabia que quem escolhe o hipódromo é o site!

Gente , por favor! Mudem isso correndo.Quem tem de escolher somos nos!

Uma pena que agora a dificuldade dobrou , você tem que acertar no páreo e no site.

O site está bonito, mas o antigo é bem mais fácil e enquanto ele estiver no ar eu vou com ele.

Abraços

Mario Veloso (14/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

SOBRE H. FERNANDES - ’O JOQUÉI"

Prezado Antonio Moura

Mais que justificado ser fã de carteirinha do rapaz, eu que o conheço pessoalmente posso te assegurar, gente muito boa o nosso joinha de realengo, aquela cara de mau é pura figuração, sacana (no bom sentido) dos melhores.

Cabra dos bons que merece muito sucesso na profissão

Antonio Moura (14/04/2015) - Niteroi/RJ

SOBRE H. FERNANDES - ’O JOQUÉI"

Sr. Carlos,

Por quarenta e cinco motivos, também sou fã de carteirinha do excelente jóguei da Gávea, H. Fernandes.

Sobre sua fase atual, há a considerar que andou tendo problemas com a balança e a nova safra de aprendizes, alguns de muito futuro, tem em função da descarga, a preferência da maioria dos treinadores.

Não o conheço pessoalmente mas nota-se que transpira seriedade num ambiente onde sobram "brincalhões". Mas nada que um bom agente de montarias, tipo Paulo Gama ou Leandro Mancuso, não possam resolver.

Ah! E bastaria um só motivo para justificar o meu apreço por este jóquei:

- Foi o único, nesta minha já longa trajetória no turfe do Rio de Janeiro, que assisti, logo no primeiro ano como jóquei, vencer em boa lei um GPBrasil e com um animal fora da cogitação da maioria dos aficcionados. Acho, portanto, que a consagração é apenas uma questão de tempo.

Antonio Moura

Jose Otavio Vanderley (13/04/2015) - Curitiba/PR

Prezado Antônio Moura

Convenhamos que acertar o último páreo da noturna é sempre difícil, tendo ou não cavalo treinado pelo Jairo Borges. Hoje ganhou o Allen, que mesmo voltando para o Claiming pagou 9,0! E o Jairo Borges tirou segundo com o seu cavalo de menor rateio...

Por mero acaso, terminada a reunião, o dito treinador ganhou o primeiro pareo com a favorita e o quarto pareo com o seu animal de menor rateio, apesar de ter sido um bom rateio (6,6).

Ainda ganhou as duas provas clássicas da semana. Nada mal para quem treina na Gávea!

Sinceramente, às vezes também fico tonto, mas não vejo má fé. E normal que ele acabe tendo mais de um cavalo nestes páreos da noturna, com certeza não possui o mesmo material que os treinadores de Centro e precisa colocar o "bloco na rua", sem o benefício dos desdobramentos que ocorrem nos páreos de potros.

Com relação à presidência dos clubes turísticos, com certeza será ótimo ter novamente um verdadeiro turista no comando. Pegando carona na sua sugestão, quem sabe o Lineu de Paula Machado não resolve se candidatar? Porque se não for ele, desconheço qualquer outro Paula Machado que ainda tenha alguma relação com Turfe que não seja o sobrenome.

Abraços

Antonio Moura (13/04/2015) - Niteroi/RJ

SOBRE O TREINADOR JAIRO BORGES

Sr. José Otávio,

Também não entendi a manifestação do sr. Marcelo Almeida, normalmente um turfista atento e dono do seu nariz. 

Não pairam dúvidas quanto à decantada competência do sr. Jairo Borges; difícil mesmo é acertar quando inscreve mais de dois cavalos no páreo. Hoje mesmo, no décimo e último desta noturna, desafio o mais arguto dos estudiosos a ir ao pagador. Para escapar, caro José, só esperando o próximo sábado, pois são favas contadas que sepultaram de vez a quarta corrida; ou então voltar para casa mais cedo!

Entendo, nas minhas modestas conjecturas, que para presidir uma sociedade de corridas não deveria bastar um título de sócio-proprietário; prioritariamente, um criador ou proprietário ilustre de notório reconhecimento por sua atuação histórica, política inclusive, em defesa do PSI. Alguém, por exemplo, com o aproximado perfil de Lineu de Paula Machado!

Antonio Moura

Carlos A.Lage Salles (13/04/2015) - Itaboraí/RJ

Não entendo o porquê do excelente jóquei H.Fernandes ter um número pequeno de montarias, já que o mesmo mesmo montando pouco e animais que geralmente não são favoritos,e, ainda assim vem dando conta do recado o que demonstra a sua incrível habilidade para a arte de pilotar cavalos de corrida. Atenção , Treinadores e Proprietários , vamos priorizar quem tem vontade de ganhar.

Francisco Avila (12/04/2015) - Porto Alegre/RS

Maravilha!!!! Como já estava previsto, o tordilho Woopee Maker, venceu o GP General Artigas, 2.400 mts em Maroñas, desta vez muito bem montado pelo excelente F. Leandro e com um percurso limpo, ganhou e mostrou toda sua categoria. Mesmo tendo um contra tempo na cidade de Aceguá, totalmente superado, graças a eficiência do GRANDE amigo do Uruguay, o mestre Pata Barreto, que acionado pelo amigaço Ulisses Carneiro, de pronto, resolveu o problema. GRACIAS PATA ! Parabéns Didu, Leandro, dr. Giovani, Cabeça de Jóquei, ao nosso capataz do grupo 05 do Cristal, o grande Pequeno, e em especial ao meu irmão Luiz, profissional competente, sério e comprometido com o que faz. DIDU: CAVALO BOM, NÃO MERECE CASTIGO!!! Acho que se voltar para o Brasil, deve correr o GP Brasil, e fazer sua estréia na grama. Não esqueçam que a raça dele é toda de grama......

A festa deve estar grande em Montevideu.

Abraços

Chico Ávila

Jose Otavio Vanderley (12/04/2015) - Curitiba/PR

Prezado Sr Marcello Almeida,

Com esse seu estudo, realmente fica difícil acertar nas corridas e só colocando a culpa no profissional para tentar não assumir que os erros são somente seus!

O cavalo Novo Mercado vem de VITORIA na semana passada, mas precisamente no dia 04/04.

Se prestar atenção ao retrospecto, notara que suas melhores atuações são quando pode correr desferrado, o que não foi possível na corrida do dia 22/03 que mencionou.

Logo, antes de criticar o profissional, tenha o cuidado de fazer um exame mínimo do retrospecto.

No mais, eh incrível o que correm os animais do treinador Jairo Borges, está dando canseira para os Colegas dos CTs.

Abraços e boa sorte com um melhor estudo

Jose Otavio Vanderley

Mario Veloso (12/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

SUSPENSÃO

Referentes ao programa de 5 de ABRIL de 2015

Suspender o jóquei A.MENDES (EL CHINO), de 18/04/15 até 27/04/15, por prejudicar competidores JUCA BOLD e

DISSE E DIGO nos 400 metros após a partida (Art.140);

SÓ ???????

Pasqual Evangelista (12/04/2015) - Valinhos/SP

Não entendi o comentário do sr. Marcelo.

Nos meus controles e no retrospecto fornecido pelo site do JCB Novo Mercado vem de 1º em 4/4/2015.

Acho que ele se referia a penúltima corrida. 

1369 04/04/15 1º(08) 05 H.Fernandes (L) AR 55 D 499 1,3 GM-4 1m15s69 3,6 PE Pia Girl(54) Nascer do Sol(53) 1

1310 22/03/15 6º(08) 07 H.Fernandes (L) AN 56 A 501 1,4 GL-11 1m23s35 4,3 PE 3º Ríspido(52) Hopefully Winner(55) 11

Marcelo Almeida (11/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

A saga continua e a turma do PT, parece a mesma coisa, o treinador dono do clube continua fazendo o que quer penúltimo páreo de hj 11/04 novo mercado vem de antepenúltimo lugar chegando a 11 corpos do ganhador sendo que entre eles existem 3 mais 2 animais, hj larga baliza 11 cerca móvel de 11 metros chances praticamente nulas...... Mas o "lula" do turfe consegue fazer ele vencer todos esse obstáculos sem que nada aconteça com ele tal qual o "nosso conhecido sapo barbudo" que nunca sabe o que aconteceu e não viu nada e no nosso caso específico ele nunca age de má fé e seus animais apesar de constantemente terem essa diversidade de perfomance, também nunca sofrem punições.

Infelizmente tanto o jcb como o Brasil estão sendo comandados por pessoas que não possuem nem competência e muito menos moral para presidirem e comandarem nada.

Uma coisa é evidente NÓS VOTAMOS MUITO MAL!!!!!

NUNCA CONHECEMOS NINGUÉM QUE TENHA VOTADO NESSAS COISAS MAS ELAS NÃO LARGAM O PODER!!!!!

Tercio Almeida (11/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Por onde anda o Bolonha, gostava das indicações do cantinho do Bolonha.

Forte abraço a todos.

Tercio

Uivio Lima (10/04/2015) - Belo Horizonte/BH

JCRGS vinha organizando excelentes corridas com páreos cheios, competitivos e com bons rateios, mas infelizmente, hoje, foi de lascar. Corridas sem emoções, páreos vazios,rateios pífios, infelizmente da a impressão de que estas Diretorias e suas comissões so’ querem festas e azar do Turf e dos poucos e velhos Turfistas. TRISTE e LAMENTÁVEL. Uma boa noite.

Paulo Rogério Aguilar (08/04/2015) - Pelotas/RS

Faço minha as palavras do Roberto Fonsêca ,não pode haver divergências nas informações.Mais acredito, como sempre fiz na administração do Presidente José Vecchio Filho que o mesmo vai interceder e cobrar dos responsáveis pelos erros.As apostas continuam num patamar elevado e crescente, e a credibilidade junto aos apostadores é fundamental.Abraço a todos.

José Flavio Garcia (08/04/2015) - Londrina/PR

No comunicado oficial em que determinou a retenção dos prêmios a partir de 13 de dezembro, a diretoria do JCSP também revelou que os atrasados seriam quitados “em até” 90 dias a partir da data que normalmente seriam pagos os prêmios daquela reunião e que daí para frente a situação voltaria à normalidade. A se considerar 20 dias após uma reunião, quando os prêmios eram depositados, lá se foram os tais 90 dias e até agora não há qualquer informação sobre o assunto, mesmo às vésperas do GP São Paulo. Como é tradição, vários animais com campanha na Gávea participam da festa. Seria, portanto, imprescindível que a ACPCPSI informasse aos proprietários cariocas como essa questão será resolvida para que qualquer provável prejuízo seja analisado pelos interessados em enviar seus animais para São Paulo. Ou pelo menos tentar saber do próprio presidente Eduardo Rocha Azevedo como e quando essa situação será decidida. Pelo sim, pelo não, em nome da transparência que se exige num caso como esse.

Roberto Fonseca (08/04/2015) - Brasília/DF

Gostaria de saber qual é o veículo do Jockey Club do Rio Grande do Sul com a informação mais confiável: o programa oficial ou a Revista Cristal?

Pergunto isso, porque em 5 de março o animal Save the Tiger aparece medicado com diurético no programa oficial e sem diurético na revista daquela semana? Qual vale? Qual informação devo levar em conta na hora de saber quais são os animais medicados?

P.S: Semana passada, o animal Bhrameiro Outlaw aparecia sem fenil na revista e no programa oficial, mas na tevê vinha a informação de que ele havia sido medicado com anti-inflamatório. Qual vale?

Agradeço desde já a atenção dispensada.

Fernando Bueno Guimarães (07/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

De pleno acordo com carta dos Amigos do Jockey, declaro meu interesse em participar desse grupo, caso seja possível, na intenção de colaborar para um JCB que, verdadeiramente, priorize as atividades relacionadas ao turfe. Sou sócio, matrícula 18781, também titular do Stud Terceira Margem, pequeno mas já existente desde 2010. Coloco-me à disposição dos Amigos, aguardando convocação. Obrigado pela atenção, abraços Fernando

Fernando Aniello Iaccarino (07/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Não sou proprietário de cavalos e tampouco sócio do JCB, sendo apenas uma aficionado pelo esporte e apostador, há quase 45 anos. Assim, e tendo em vista, reiteradas vezes, ler, aqui no Raia Leve,o que está acontecendo no JCB, pergunto: O que falta para que a atual Diretoria do JCB seja acionada na justiça pelos imensos prejuízos causados ao turfe?

Luiz Fernando Dannemann (07/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Caríssimos: Antonio, Luis Alberto (Beto), Paulo Gama, Ana Rita, Lanny, Mario e Conceição,

De estelionato eleitoral a crime ambiental, uma saga de acusações, destruições e interrogações

Teve de tudo nos últimos três anos no Jockey Club Brasileiro, menos Turfe. A chapa eleita em 2012, composta inicialmente por 77 sócios foi atropelada – de cara - por três ou quatro deles que assumiram, sozinhos, o poder no clube (uma espécie de rebelião institucional) entendendo por suportar o clarividente despreparo do líder, que, por sua vez, passou a investir apenas na sua perpetuação, transformando as corridas de cavalo numa espécie de circo mambembe sufragado por pistas de skate, saguões de sauna, parque aquático, e outras ações periféricas que também feriram de morte a já combalida criação nacional de cavalos PSI. 

O subgrupo, digno dos antigos motins dos tempos da pirataria, descumpriu tudo que estava a sua volta, fossem promessas de campanha (100% delas) fosse o próprio Patrimônio Histórico (como se viu estampado na primeira página do jornal O Globo), passando pela falta de transparência em concorrências (o que lhes rendeu a derrota histórica na AGE do “retrofit”); seguindo pelos contratos lesivos aos interesses do turfe (como o Parque da Bola); pela incompreensível utilização de intermediários para locação de terrenos e espaços régios do clube; e ainda pela luta (inglória) para implantação de um albergue cuja propriedade caberia a um de seus “companheiros”, vice-presidente do JCB. 

Alguns desses “dissidentes” da obrigação de proteger o turfe e aqueles que vivem dele, também acabaram descumprindo a si próprios, manchando biografias, rasgando carteiras de identidade e zombando de todos que tinham a corrida de cavalo como prioridade.

O respeito à Lei do Turfe, o afastamento da Banca de Apostas, o correto Cardápio de Jogos, a boa administração da Casa de Apostas, a urgente implantação da Pedra única, o crescimento do MGA, a boa política para recuperação do segmento, o bem estar dos apostadores, a limpeza do hipódromo, a abertura do Armazém, a busca por patrocinadores, a pontualidade no pagamento dos prêmios, um fidedigno laboratório antidoping, o futuro dos profissionais do Turfe, a alegria dos funcionários, a dedicação para com os proprietários de cavalos e principalmente a obrigação estatutária de fomentar pastos e empregos da criação nacional - desde as suas assunções -, nunca passaram de meros vilões no caminho de pretensões duvidosas – recheadas de vaidade -, sendo que o fim da atividade hípica talvez já tenha sido decretado com o curto, porém fulminante, desenrolar de suas infelizes administrações.

Tudo isso, como já dito aqui no Raia Leve, com o incompreensível e injustificável beneplácito do presidente da ABCPCC (homem do Turfe), recém reeleito em chapa única, figura assídua na entrega das “taças” no Hipódromo da Gávea (ou no que sobrou dele), cumprindo o seu melancólico papel de “Marco Lucinio Crasso”, que, aliás, já vinha fazendo desde o mandato LECCA, neste verdadeiro TRIUNVIRATO da era moderna (uma espécie de confraria formada no eixo Rio - São Paulo), reeditando uma nova era de erros e desastres prestando solidário aval para que dois “generais de império” (franco atiradores) - sem platina, sem equipe, sem idéias, sem Roma e sem recursos próprios -, construíssem, com o nosso empréstimo compulsório, uma nova ditadura em torno do turfe brasileiro.

Conceição Prado Lopes Paz (07/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Concordo com a Sra. Ana Rita Albuquerque quando ela elogia a dedicação da funcionária da biblioteca, que a meu ver faz parte de um grupo de excelentes funcionários antigos que sempre se dedicaram ao nosso clube e tratam os associados de maneira educada e gentil. 

Quanto às suas observações sobre as casas do Hipódromo da Gávea, gostaria de acrescentar que o Ministério Público não embargou “obras nas velhas casas do Hipódromo da Gávea”, e sim, embargou a continuação da destruição de casas preservadas pelo Decreto Municipal N.º 14.898 de 20 de Junho de 1996, assinado pelo Prefeito César Maia, cujo texto completo coloco no final da minha explanação.

As diversas gestões de Presidentes do JCB deixaram de investir na conservação dessas casas permitindo que a vegetação e retirada de telhas contribuíssem para seus estados lamentáveis. Suas reconstruções não seriam impossíveis se não houvesse a atitude insana e criminosa da atual Presidência do JCB de mandar destruir o que restava dessas casas.

Atitude semelhante da mesma Presidência aconteceu há alguns meses - também sem conhecimento prévio dos sócios - com a destruição de parte do muro do JCB na Rua Jardim Botânico. Um dia, para espanto geral, foi derrubado o muro, e apareceu o Restaurante Rubayat, tal qual um disco voador pousado na área interna do clube, ocupando, inclusive, parte da pista de rolamento que circunda a pista de corrida do JCB. Esta desobediência a um Decreto Municipal de Tombamento motivou a AMA-JB (Associação de Moradores do Jardim Botânico) entrar com um processo no Ministério Público. 

Quanto à belíssima Sede do Centro (projeto do arquiteto Lúcio Costa, interiores do arquiteto Jorge Hue, e jardins de Burle Marx) continua fechada ao uso dos sócios, após a significativa desaprovação ao projeto do “retrofit” proposto pela diretoria do JCB na AGE de 09 de dezembro último. Apesar de alguns andares continuarem funcionando para serviços internos, a Diretoria do clube insiste em afirmar que os sócios não podem sequer visitar o edifício, pois alega que não há serviços básicos essenciais como energia elétrica, limpeza e elevadores, o que não é verdade. Além do serviço interno do clube continuar funcionando em alguns andares, se pode constatar o uso do elevador de serviço pelos inquilinos “Casa Alberto” e “Restaurante Symbol Gourmet” por onde transitam, livremente, suas mercadorias.

É lamentável a atitude autoritária da diretoria do clube que se vale de um Estatuto totalmente desatualizado para justificar seus desmandos ditatoriais.

Abaixo, a íntegra do Decreto acima mencionado:

D.O Ano X. N º 66 – Rio de Janeiro – Sexta-feira, 21 de junho de 1996.

Decreto N.º 14.898 de 20 de Junho de 1996

DETERMINA O TOMBAMENTO DEFINITIVO DOS BENS CULTURAIS QUE MENCIONA, CRIA SUA ÁREA DE ENTORNO E ESTABELECE CRITÉRIOS PARA SUA PROTEÇÃO.

O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o que consta do processo n º 12/003412/93 e, CONSIDERANDO a grande importância histórica, artística e paisagística do conjunto arquitetônico onde funciona o Hipódromo da Gávea do Jockey Club Brasileiro; CONSIDERANDO a transformação do terreno onde funciona em Área de Proteção Ambiental, pela Lei n º 1400 de l º de junho de 1989;

CONSIDERANDO sua localização em Área de Entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, criada pelo Decreto n º 9396, de 13 de junho de 1990;

CONSIDERANDO a necessidade de proteção deste valioso conjunto edificado;

CONSIDERANDO o pronunciamento unânime do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio

Cultural do Rio de Janeiro no Processo em referência;

DECRETA:

Art. 1º - Ficam tombados nos termos do artigo 4 º da Lei n º 166, de 27 de maio de 1980, todos os elementos arquitetônicos e decorativos originais dos bens integrantes do conjunto edificado onde funciona o Hipódromo da Gávea e demais dependências do Jockey Club Brasileiro, no bairro da Lagoa, na VI Região Administrativa, relacionados a seguir:

- prédio da “Tribuna de Profissionais” e acessos;

- prédio da “Tribuna Social”;

- prédio da “Tribuna Especial A” e acessos;

- prédio da “Tribuna Especial B” e acessos;

- prédio da “Tribuna Popular”;

- entrada monumental e passadiço coberto, de ligação à “Tribuna Social”.

Parágrafo Único – Ficam incluídos no tombamento todos os elementos e materiais de acabamento originais:

I. do espaço interno do pavimento térreo da “Tribuna de Profissionais”, inclusive o piso em mosaico de pastilhas vitrificadas, as luminárias e demais ornatos;

II. das varandas de acesso das Tribunas “Social”, “Especial A” e “Especial B”, inclusive o piso em mosaico de pastilhas vitrificadas, os gradis em ferro fundido da “Tribuna Social” e demais ornatos;

III. dos espaços internos da “Tribuna Social”, tais como: o saguão de entrada, o salão de apostas e os salões sociais, inclusive as escadas internas, os pisos em mosaico de pastilhas vitrificadas, as luminárias e os lustres de cristal, os balcões com guichês de apostas e demais ornatos;

IV. das arquibancadas, inclusive os bancos em madeira, guarda-corpos e gradis em ferro fundido; e, nos patamares superiores, os antigos balcões com guichês de apostas das Tribunas “Especial A” e “Especial B”, o relógio fixado junto ao teto da “Tribuna Especial A”, o piso em mosaico de pastilhas vitrificadas da “Tribuna Social” e demais ornatos.

Art. 2 º - Qualquer obras ou intervenções a serem realizadas nos bens citados no artigo 1 º deverão ser previamente aprovadas pelo Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro.

Art. 3 º - Fica criada a Área de Entorno dos bens tombados pelo Art. 1º, delimitada pela Rua Jardim Botânico (incluído apenas o lado ímpar), Rua General Garzon (incluído apenas o lado par), Avenida Borges de Medeiros (incluído apenas o lado ímpar), Rua Mário Ribeiro (incluído apenas o lado par) e Praça Santos Dumont (incluída), sob a tutela do Departamento Geral de Patrimônio Cultural – C/DGPC – Secretaria Municipal de Cultura.

Art. 4º - Para efeito de proteção do patrimônio edificado da Área de Entorno criada pelo artigo anterior, ficam preservados os bens relacionados a seguir:

- “Fotochart”;

- relógio de 4 (quatro) faces, fixado sobre coluna em pedra próxima ao “Paddock”;

- prédio da antiga casa de geradores;

- prédios das antigas casas de apostas e bilheterias e externas às tribunas;

- prédio onde funciona o “Bar do Paddock”;

- fachada do n º 981 da Rua Jardim Botânico;

- casa construída na testada do n º 983 da Rua Jardim Botânico;

- casa construída na testada do n º 989 da Rua Jardim Botânico;

- casa construída na testada do n º 991 da Rua Jardim Botânico;

- escola no n º 1110 da Rua Bartolomeu Mitre;

- portões e gradis em ferro fundido que guarnecem os acessos às tribunas, à escola e ao estacionamento entre os n º 1.110 e 1.314 da Rua Bartolomeu Mitre;

- marcos, com elementos decorativos, dos portões de acesso às vilas hípicas de nºs 30 e 62 da Rua General Garzon, ao n º 410 da Rua Mário Ribeiro, ao estacionamento entre os n º 1.110 e 1.314 da Rua Bartolomeu Mitre, e ao n º 971 da Rua Jardim Botânico.

- Trechos do muro que envolve o terreno, nas Ruas Bartolomeu Mitre, Jardim Botânico e General Garzon, entre o n º 1.314 da Rua Bartolomeu Mitre e o n º 30 da Rua General Garzon, com ornatos originais.

Art. 5 º - Os bens preservados não poderão ser demolidos, podendo sofrer intervenção para adaptação ou reciclagem, desde que previamente aprovada pelo órgão de tutela, obedecidos os seguintes critérios:

- a volumetria básica, a articulação de volumes e as proporções dos vãos de ventilação e iluminação não poderão ser alteradas;

- os materiais originais de cobertura, de acabamento e das esquadrias deverão ser mantidos;

- a linguagem da tendência estilística e os elementos originais deverão ser conservados;

Parágrafo Único – Será permitido o remanejamento das áreas internas das edificações, desde que garantidos o acesso e o funcionamento dos vãos de iluminação e ventilação existentes.

Art. 6 º - Os demais bens situados na Área de Entorno criada por este Decreto poderão ser modificados ou demolidos, não devendo interferir na visibilidade e na integridade dos bens tombados e dos bens preservados, ficando novas edificações sujeitas e restrições, quanto à implantação no terreno, à tipologia edilícia, aos muros, aos fechamentos e aos materiais e acabamento, a critério do órgão de tutela.

Art. 7 º - As obras de recuperação, reforma, acréscimo, demolição ou construção, a serem efetuadas na Área de Entorno criada por este Decreto, deverão ser previamente aprovada pelo órgão de tutela.

Parágrafo Único - Em caso de pintura e quaisquer outros reparos, para os quais, normalmente não é exigida a apresentação de projeto, será obrigatória a apresentação de fotografia no tamanho 9X12, com o esquema das alterações a serem feitas, para sua aprovação.

Art. 8º - No caso de obra de alteração ou demolição ilegal, ou sinistro em bem tombado ou preservado, poderá o órgão de tutela estabelecer a obrigatoriedade de recomposição ou reconstrução reproduzindo as características originais.

Art. 9 º - Qualquer intervenção urbanística ou colocação de mobiliário urbano a ser realizada na Área de Entorno criada por este Decreto, deverá ser previamente aprovada pelo órgão de tutela.

Art. 10 - A colocação de letreiros, anúncios, engenhos de publicidade ou toldos nos bens situados na Área de Entorno criada por este Decreto deverá ser previamente aprovada pelo órgão de tutela.

Art. 11 - Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação.

Rio de Janeiro, 20 de junho de 1996 – 432 º ano da fundação da Cidade.

CESAR MAIA

Conceição Prado Lopes Paz

Sócia efetiva n° 8425

Mario Veloso (07/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

RESPOSTA A DIRETORIA DA ACPCPSI

Falta o quê, afinal, para se implantar a Pedra Única? (matéria de capa)

Reportando-me à postagem do Sr. Lanny Lima do Rio de Janeiro/RJ em (06/04/2015) 

SENHORES, DE NADA ADIANTA SUGERIR, APONTAR ALTERNATIVAS, QUANDO SE PREGA NO DESERTO. A SITUAÇÃO DO JCB JAMAIS SERÁ REMEDIADA COM AS PESSOAS QUE AGORA DETÉM O PODER NO CLUBE. NADA VAI MUDAR, NEM COM TODA A PRESSÃO CONTRÁRIA QUE ORA SE AVOLUMA.

Acrescento: Ambas as diretorias são do ramo imobiliário, que diga-se de passagem; maus corretores !!!!

Lanny Lima (06/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Convivo no turfe e, especial no JCB, há mais de 40 anos. Conheço muito bem o mundo e o submundo do turfe, do hipódromo. Nunca me aventurei a escrever neste espaço, embora muitas vezes tenha ficado tentado a fazê-lo. E escrevo especialmente para todos aqueles de boa intenção para com o turfe, os afeiçoados às corridas de cavalos e aos cavalos de corrida. Já fui um pouco de tudo neste hipódromo. E o meu recado vai para as pessoas de bem, tais como os senhores ANTONIO MOURA, Luiz Fernando Dannemann (este um herói da resistência), PAULO GAMA, LUIS ALBERTO RODRIGUES DE SOUZA, Jose Roberto Giancristoforo, Waldir Alves de Souza, Eduardo Capitoni e Fred D’Antonio e, com especial regis tro para qualidade dos registros feitos pela Sra, Jéssica Dannemann.

Provavelmente, fui injusto com muitos de quem não me recordei, e, antecipadamente, peço desculpas.

SENHORES, DE NADA ADIANTA SUGERIR, APONTAR ALTERNATIVAS, QUANDO SE PREGA NO DESERTO. A SITUAÇÃO DO JCB JAMAIS SERÁ REMEDIADA COM AS PESSOAS QUE AGORA DETÉM O PODER NO CLUBE. NADA VAI MUDAR, NEM COM TODA A PRESSÃO CONTRÁRIA QUE ORA SE AVOLUMA.

ENTÃO, CAROS TURFISTAS (O QUE NÃO É O CASO DO PROVISÓRIO SÍNDICO), O ÚNICO REMÉDIO É PENSAR NA PRÓXIMA ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE. QUE TODAS AS PESSOAS INTERESSADAS NO SOERGUIMENTO DO TURFE SE UNAM PARA, DE MANEIRA INTELIGENTE E COERENTE, FAZER UM SUCESSOR DIGNO, VERDADEIRO, EM CUJO DICIONÁRIO O VERBO "TRAIR" NÃO EXISTA, QUALQUER QUE SEJA O TEMPO OU CONJUGAÇÃO.

Sidney Neves (05/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

LAVOR FAVORITO HOJE EM MUITOS PÁREOS!

Vamos rezar para que o espírito de Páscoa bata nesse rapaz!

Luis Alberto Rodrigues de Souza (05/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Gostaria de parabenizar o amigo Paulo Gama pelo excelente texto a respeito de prioridades a serem definidas pelas administrações dos clubes que promovem corridas de cavalos neste atual e difícil momento que o turfe atravessa. Precisão cirúrgica em sugestões para os diversos setores que compõem a atividade.

Aproveito para desejar uma Feliz Páscoa a todos!

Ana Rita Albuquerque (05/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

As últimas manchetes do jornal O Globo anunciando o embargo às obras nas velhas casas do hipódromo da Gávea demonstram mais uma vez a necessidade de investirmos nossos esforços e energia no que seja totalmente nosso. A sede do centro da cidade está à míngua, resta um ultimo baluarte que é a nossa bibliotecária, tomando conta da alma do jockey, seus livros, sua história.Parece que a ficha ainda não caiu nem mesmo diante do resultado das urnas. Seguimos investindo aleatoriamente à vontade da maioria sem reunir objetivos em comum. Muitos dos novos sócios só querem um lugar ao sol, o perfil do clube muda a cada dia, nada contra, mas será que estes sabem que a receita do clube vem de nosso maior patrimônio, as corridas, e, que na sede do centro, além das receitas que proporcionava, também poderiam encontrar uma excelente piscina utilizada mas desativada há dois meses? Entrementes, no prédio em frente ao Jockey do centro.....as obras do fórum continuam de vento em popa há mais de 4 anos. Teremos em um ano um fórum moderno e aquele oásis diário do Judiciário, justamente o Jockey, contrastando, em estado de abandono. Duas visões distintas. Qual será a mais acertada?

Antonio Moura (04/04/2015) - Niteroi/RJ

O CLUBE DO P.S.I.

O antigo criador e proprietário, hoje memória viva do Turfe e notável cronista especializado, Sr. Milton Lodi,

brinda-nos, através o site oficial, com uma crônica sob o título ’O Clube do Curió’ publicada em uma das páginas de turfe do jornal ’O Globo" (acreditem, eram duas diariamente). Trata-se de uma tentativa de reproduzir, o mais fiel possível, o espírito criativo de Haroldo Barbosa, o eterno "O Pangaré" . Era um tempo glorioso para a atividade e, na verdade, nem imagino o que levou Haroldo a escrever tal artigo.

Ignoro, ainda, os motivos que levaram o Sr. Lodi a publicar esta versão, que aliás pouco ou nada deixa a dever ao original. Entendo, por outro lado, que ao substituir o título original pelo título desta minha manifestação, teremos uma interessante parábola acerca do momento atual que atravessa o turfe brasileiro.

Como é óbvio, recomendo a todos a crônica em pauta - tenho certeza que não perderão seu tempo.

Antonio Moura

Marcio J.R. Oliveira (04/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

Tiago,parabéns pela narração,grande estréia em um páreo complicado foi perfeito conseguindo dar detalhes do desenrolar do páreo.Muito dificil para quem está começando,um grande abraço.

Márcinho.

Leo Friedberg (04/04/2015) - São Paulo/SP

Numa opinião pessoal, acho que o JCSP,JCB, JCPr e JCRGS quando alugarem espaços para Restaurantes ou similares, fosse obrigatório que eles tivessem aparelhos ligados as corridas

Até para ajuda-los na burrice de não colocar (eu na Gavea percebi que o do 2* andar não tinha-não sei se ainda não tem, nunca almoçaria lá, ficando longe das corridas-seria um absurdo

E para os Jockeys Clubes perdem a chance de apresentar suas lindas corridas de tanta plástica e cores aos não turfistas

Marco Antonio Santos (02/04/2015) - Niteroi/RJ

Para os turfistas que queiram acompanhar as corridas do hipódromo de La Plata, o site : www.lospingos.com.ar , esta transmitindo novamente. É o único que transmite ao vivo.

Graça aos esforços do grande turfista Gustavo Lópes ( Lopecito ), na difusão do turfe

Jose Roberto Giancristoforo (02/04/2015) - Rio de Janeiro/RJ

A todos que militam e gostam de turfe , só não vamos cair na desgraça de vir perder o que foi conseguido que é ser o único clube autorizado a bancar e repassar banca de jogo. O JCB é o único concorrente Oficial da caixa Econômica e como tal deveria estar indo de vento em polpa se não fosse as administrações danosas , é absurdo dizer que a única casa autorizada a bancar jogo Nacional e Internacional esteja em dificuldade de sobrevivência e não apresente grandes lucros, essa autorização na mão de qualquer empresário estaria sendo o melhor negocio do Planeta, mas o JCB a coisa vai de mal a pior. Deveriamos ter corrida todo s os dias de PSI e de outros cavalos , tem que se agregar mais opções e atrair novos aficionados , priorizar dentro do JCB somente corrida e apostas dando conforto aos apostadores, proibindo eventos que nada dizem aos cavalos e jogos , proibir que instalações explorem os espaços do JCB sem ter uma ligação direta com seu principal objetivo. Qual o beneficio e qual a renda liquida que os restaurantes dão ao JCB, e aonde é aplicado esse recurso.

Paulo Rogério Aguilar (01/04/2015) - Pelotas/RS

Perfeito seu comentário Sr.Waldir Alves de Souza.Está dos restaurantes alugados sem TV para mostrar as corridas e um atendente para os frequentadores realizarem suas apostas é de uma burrice atroz.Esses dirigentes só fazem gol contra.

Francisco Avila (01/04/2015) - Porto Alegre/RS

Neste momento no grupo 05, do Cristal, do treinador L.C.Ávila, está se preparando para embarcar com destino a Montevidéu(UY), o craque Woopee Maker, onde vai correr no próximo dia 12 o GP General Artigas(U$ 70.000). Deve chegar, acompanhado de seu fiel cavalariço, o Cabeça de Joquei, no Haras Bagé do Sul, por volta das 01:00hs, onde fica aos cuidados da espetacular equipe capitaneada pelo Dr. Ulisses. Onde passará a noite e amanhã por volta das 11:00 hs segue para o quarentenário de Aceguá, onde fica até as 17/18 hs, para então seguir para Maronãs, onde deve chegar por volta das 01:00 de quinta-Feira no grupo do Haras Maluga, dia 02/04. Vejam bem, da saída de Porto Ale gre até Montevidéu serão 32 hs de subidas e descidas em caminhões. Não é fácil. Mas o tordilho está bem. E se Deus quiser, desta vez, montado pelo excepcional V. Borges, com certeza vai fazer uma excelente apresentação. Vai embora o tordilho, fica em definitivo no Uruguay, aos cuidados de Edson Dias(treinador do Maluga) e sempre com a supervisão do Luiz, que segue no sábado,e ainda responde por seu total treinamento neste GP. Vai deixar saudades entre toda equipe do grupo 05, e também para os turfistas do Cristal e do Brasil.

Talvez, um dia volte, mas não creio, seu lugar é em outros hipódromos, fora do Brasil e da América do Sul.

Este cavalo para nós(família Ávila) tem uma importância afetiva enorme. Em 1954, nosso pai Miguel I. Ávila, ganhava o GP Bento Gonçalves, com um tordilho, Best, no Hipódromo do Moinhos de Vento.E 60 anos depois o Luiz, nosso irmão mais velho, ganha com outro tordilho, depois de tentar por vários outros Bentos com outros animais. Mas tinha que ser um Tordilho! A pelagem preferida da minha mãe e de minha vó. Nossa família tem mais de 100 anos de turfe. A vitória que o Woopee Maker nos proporcionou foi emocionante, por tudo isto que falei, e pela presença de muitos familiares, princialmente da Manuela, quinta geração de turfistas. Dos irmãos do Pingue(Luiz), estava eu e o Zig(Barão, J.C.Ávila), só faltou o Nenê( pra voces o Pirata), que torceu dos EUA, e minha irmã Miria que mora em SP. E ainda "demos de dupla", com segundo lugar maravilhoso do Save The Tiger.

Aproveito para mais uma vez dar o meu abraço ao Didu(dr. Eduardo Lubianca) e desejar toda sorte para o tordilho em outros pagos, e pedir desculpas se alguma vez, quando trocávamos alguma ideia, eu, ele e meu irmão, sobre as estratégias para o tordilho, cheguei a ser atrevido, ele sabe que sempre foi com as melhores intenções. Não te esquece Didu: Tem gente que passa uma vida no turfe e não consegue tirar um craque, tem que ter estrela!

abraço, Chico Ávila
















12.421

12.535

























  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês