Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Gigante de Ouro - Sinval Domingues de Araujo

Itauba Sarge - Sinval Domingues de Araujo

Briskly - Sinval Domingues de Araujo

Athomic - Haras Santa Rita da Serra

Hide Park - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Magique - Sinval Domingues de Araujo

Infinit Hill - Sinval Domingues de Araujo

Vizir de Bagé - Sinval Domingues de Araujo

Jurong - Stud Catilena

Carlos Galopito - Stud CHA

Jurong - Stud Catilena

Magnetita - Haras Planície

La Martina - Haras Planície

Jurong - Stud Catilena

Nhati - Sinval Domingues de Araujo

Alpine Point - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Jad Rafaela - Coudelaria Jessica

Bullfighter - Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Florismundo - Haras The Best

Oregon Pine - Stud São Francisco da Serra

Paint Naif - Stud São Francisco da Serra

Best From Intimate - Stud CHA

Torpedaço - Haras The Best

Cana de Punta - Haras Iposeiras

Chelsa - Haras The Best

Rothschild - Sinval Domingues de Araujo

Ogiva Emblematica - Sinval Domingues de Araujo

Magique - Sinval Domingues de Araujo

Make My Day - Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Nhati - Sinval Domingues de Araujo







Neste espaço são publicadas as manifestações dos nossos leitores.

O RAIA LEVE acolhe opiniões sobre todos os temas ligados ao turfe.
Reserva-se, no entanto, o direito de rejeitar ofensas, acusações insultuosas e/ou desacompanhadas de documentação. Eventualmente, os e-mails poderão ser checados. O site não tem o compromisso de publicar todas as mensagens recebidas. A publicação, quando ocorrer, se dará na íntegra ou parcialmente, privilegiando-se os trechos mais relevantes.





Outubro | 2014

Luiz Fernando Dannemann (30/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

"Boulevard", quem te conheceu não esquece jamais...

Num passado não muito distante lutamos contra um empreendimento sem concorrência que seria erguido no lugar das três Vilas Hípicas do Hipódromo da Gávea. Para os turfistas distantes ou que não acompanharam de perto o assunto, eu posso assegurar que foi uma luta árdua e profundamente onerosa com direito a várias publicações de página dupla na revista Veja entre outras ações, tudo isso para tentar salvar o Turfe carioca, um ato de amor ao JCB e respeito aos profissionais de turfe, ameaçados no seu equipamento mais importante.

Lendo o Jornal O Globo de hoje, na página três, aprendi que a mesma empreiteira envolvida no projeto “Boulevard” teria corrompido em 23 milhões de dólares o dono da caneta de um contrato do seu interesse no âmbito da Petrobrás, fato que está sendo divulgado em várias mídias com o beneplácito do MPF que não contradisse as informações. Passado pouco tempo daquele triste momento, pelo sim pelo não, já que o Valor potencial do empreendimento imobiliário às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas passava de cinco bilhões de reais, fico imaginando que – entre tantas outras coisas ruins -, quem sabe não tenhamos conseguido evitar também que a Gávea se transformasse – hoje -, num escândalo dos moldes de uma “Abreu Lima” da vida? 

Depois de toda guerra travada no campo ideológico, quando o “técnico” dos empreiteiros já havia jogado a toalha, a Câmara de Vereadores resolveu por maioria TOMBAR as centenárias cocheiras, fato que foi objeto de críticas pelo atual “síndico” num de seus discursos “inflamados”, personagem esse que por sua conta, sem o auxílio de nenhum prefeito ou mesmo vereador resolveu TOMBAR – literalmente -, com a sede do Centro da Cidade acabando com qualquer tipo de privilégio aos sócios, destruindo para sempre o TRADICIONAL restaurante, reduto clássico do Turfe e de turfistas que ali se reuniam durante décadas para falar também – e principalmente -, de corrida de cavalo.

Naquele caso a Câmara de Vereadores resolveu antecipar a (muito em moda) “Delação Premiada”, devolvendo ao Turfe as cocheiras que se prestariam a um dos maiores escândalos das corridas de cavalo em todos os tempos. 

Por falar em escândalo, começa a correr nas redes sociais a informação de que uma AGE seria convocada para aprovação de uma proposta de RETROFIT para o prédio do JCB no centro da cidade. Há uma corrente que pretende aproveitar a tomada de assinaturas para aprovar em paralelo – na mesma assembléia -, o impeachment do atual presidente que além do prédio do centro – desde o primeiro dia de eleito -, tem se mostrado absolutamente solidário ao literal TOMBAMENTO do PSI no Brasil.

As pessoas que chegam ao poder no JCB desprezam a inteligência do Quadro Social achando que os seis mil sócios querem piscinas, pistas de skate e etc... Eles acham que vão se eternizar no poder através de um discurso antiturfe. Numa das pesquisas que patrocinei junto ao IBOPE, ficou claro como água (como assim diria o Sergio Barcellos) que aquilo que os sócios mais desejam para o JCB é ver o TURFE RECUPERADO. Nesse ponto temo que o síndico possa realmente “cair do cavalo” e ver interrompidos seus dias de glória. 

Neste ponto, o armazém que continua destruído; a cooperativa que continua morta; a CODERE, bem viva e em franca atividade (com direito a cláusula de excepcionalidade e tudo); o Bombril transformado em panela; a falta de aumento nos prêmios (que já provocou até renuncia de vice-presidente de turfe); as tentativas do “Albergue”; os contratos dos “Parques da Bola”; a falta de patrocínios; a morte monocrática e prematura da sede do centro da cidade e etc, etc, e etc... seriam apenas coadjuvantes... 

Uma coisa eu posso prometer: Caso alguma fatalidade aconteça com o mandato do nosso "brilhante" mandatário - o que eu torço para que não ocorra -, eu me comprometo, de público, a financiar sua viagem à Paris no próximo ano de forma que aquela já tradicional FESTA não sofra solução de continuidade...

Carlos dos Santos (30/10/2014) - Barueri/SP

Jockey Club do Paraná.

Triste assistir a atual situação do Turfe no JCPR.

Como Criador sediado no Paraná, sócio da ACPCCP, Proprietário de Cavalos de Corridas e, principalmente na qualidade de Turfista, gostaria de sugerir ao Raia Leve uma nova "ENQUETE".

Pergunta: Você aprova a medida tomada por 15 sócios, contra a atual administração do JCPR?

Além disso, sugiro também que o Raia Leve possibilite à todos os turfistas que não podem porque não são associados, assinar a petição contra a Administração do JCPR, possam expressar seu apoio dando o nome para publicação neste site. Não é justo, como quer fazer entender a publicação de hoje a respeito do assunto, que somente 15 "abnegados" expressaram sua indignação.

O meu já está dado.

Carlos

Roberto Carlos Micka (30/10/2014) - Curitiba/PR

Curitiba, 29 de outubro de 2014.

NOTA OFICIAL

Prezados associados, profissionais e público turfista em Geral.

O Jockey Club do Paraná, através de sua diretoria informa que a assembleia designada para 28-10-2014, foi suspensa em virtude de despacho proferido na ação ordinária 0022972-16.2014.8.16.0013.

Os autores da ação, (15 sócios) nominados no final desta nota oficial, antes mesmo de tomarem ciência do que seria explanado aos associados, aduziram irregularidades e trouxeram à discussão matérias que já são objeto de outras medidas judiciais, algumas já solucionadas e outras ainda em tramitação.

Não obstante o despacho determinando a suspensão da assembleia geral extraordinária, a Diretoria expôs aos presentes a atual situação do Jockey Club, demonstrou seu passivo financeiro, explicou a forma de alienação e valores de até 2% (dois por cento) da parte que lhe cabe junto ao Shopping Center a ser edificado, explicou que parte do valor a ser recebido seria para quitação de 100% de suas dívidas, sendo a principal delas a que apresenta o maior RISCO ao patrimônio do Clube neste momento e que já está em caráter de execução, com leilão JUDICIAL marcado para o dia 26/11/2014 em primeira praça referente a um crédito que o Ex-Presidente do Clube Sr. Luis Mussi cobra na justiça do Jockey Club do Paraná no valor de R$ 1.600.000,00.

Cabe esclarecer que este crédito a favor do Ex-Presidente foi avalizado por alguns membros de sua Diretoria a época e que hoje assinam a ação contra o clube, cujos valores não foram honrados na gestão da qual faziam parte, restando então ao atual grupo gestor, que nos últimos saldou milhões de reais em dívidas herdadas de outras diretorias, tentar encontrar caminhos para realizar tal pagamento.

Infelizmente com a suspensão da Assembleia Geral Extraordinária na noite de ontem o Jockey Clube do Paraná não terá recursos suficiente para pagar o valor determinado pela justiça na referida ação, sendo inevitável então o possível arremate Judicial de uma área de 6650 m2 pertencente ao clube.

Outrossim, a Diretoria expôs aos associados presentes um novo projeto amplamente discutido internamente entre a Diretoria e Membros do Conselho Fiscal e Consultivo, que colocará o Jockey Clube do Paraná em um outro nível técnico, com melhorias em toda estrutura operacional do clube e benfeitorias que irão beneficiar a todos, associados, profissionais e os aficcionados pelas corridas de cavalo que é a única razão de existir de nosso Clube e o motivo pelo qual a Diretoria trabalha incansavelmente para proteger e avançar de forma sustentável.

Ficou combinado em reunião conjunta (Diretoria e Conselhos) que a gestão dos valores que seriam investidos na modernização do Hipódromo, seriam mantidos em aplicações financeiras apartadas da conta corrente principal do Clube, sendo gerido por uma comissão a ser eleita, de no mínimo 5 sócios, aos quais caberia a análise de orçamentos e liberação dos valores em conjunto com a Diretoria, dando mais uma vez uma forma inequívoca de transparência na gestão dos recursos do clube.

Contudo, em face da suspensão da assembleia, o Jockey Club ficará de mãos atadas, mas apenas temporariamente, pois tem certeza de que irá conseguir na Justiça a reversão da liminar concedida à essa minoria de sócios, que infelizmente pouco contribuem para o fomento de nossa atividade.

Por derradeiro, importante destacar que 100% dos quase 300 associados presentes nas dependências do Jockey Club na noite de ontem concordaram com a pretensão de comercialização de parte da participação que o Clube possui no Shopping Center para execução dos projetos propostos, pois todos entenderam de forma clara que não há outra forma de viabilizar a sustentabilidade e o crescimento da instituição no atual modelo de gestão do turfe em nosso país, o qual somos totalmente reféns.

Infelizmente se conclui que a pretensão dos autores da ação, de apenas 15 sócios não é a de crescimento do Turfe do Paraná, mas tão somente denegrir e desconstruir perante aos associados, profissionais e turfistas a imagem da instituição e sua Diretoria com a finalidade de impedir o avanço e as conquistas de uma gestão sustentável e responsável que vêm sendo colocado em prática ao longo dos últimos 8 anos.

Com intuito de esclarecer e informar os associados não presentes na AGE de 28//10/2014 nominamos abaixo os autores da ação:

- Sr. Roberto Belina

- Sra. Ruth Ferstemberg Belina

- Sr. Ricardo Slaviero

- Sra. Joyce Mara Parolin

- Sr. Pedro Luiz Nicolau

- Sr. Ney Carlos Forbeck de Castro Filho

- Sr. Mario Ferreira do Rego Filho

- Sr. Silvério Bogucheski

- Sr. Heitor Amatuzzi Junior

- Sr. Paulo Irineu Pelanda

- Sr. Alcebiades de Almeida Faria Neto

- Sr. Carlos Tadeu Garbuio

- Sr. Carlos Alberto Piovezan

- Sr. Agostinho Luiz de Oliveira

- Sr. Homero Pinhatari Oliva

Atenciosamente,

DIRETORIA DO JOCKEY CLUB DO PARNÁ

PRESIDENTE – CRESUS W. CAMARGO.

Sidney Neves (30/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O que está acontecendo com o Ricardinho eu previ e disse aqui umas 2 vezes.

Ele foi para a Argentina puramente para tentar ser o recordista mundial de vitórias e conseguiu.

Mas estava a serviço de grandes proprietários , montando muitos favoritos.

Veio a crise na Argentina e a coisa ficou muito nivelada.

Ninguém está investindo tanto em cavalos. 

A idade chegou, Ricardo se acidentou, perdeu um pouco de confiança em si mesmo.

Ricardo é bom jóquei mas não pode botar e nunca botou mais uma pata em cavalo. E na Argentina tem pelo menos uns 15 jóqueis do nível dele, a maioria mais novos.

Montar 7 dias na semana em hipódromos distintos para ganhar um ou outro páreo acho que não é qualidade de vida.

Então em termos de números é melhor ficar por aqui ralando menos e no final de cada semana ganhará o mesmo número de páreos que está ganhando na Argentina.

Devia esquecer esse duelo com o Baze que é o rei aonde monta.

Qual o problema em ser o segundo maior ganhador de todos os tempos? 

Aqui na Gávea vai ser mais feliz! e, convenhamos, está podre de rico!

Leo Friedberg (30/10/2014) - São Paulo/SP

Fiquei abismado com opinião externada pelo COMENDADOR Jose Lirio Aguiar que na queimação por não ter conseguido comprar os animais que queria no ultimo Leilão do dia 25/10/ 2014, reclamou de tudo, sendo ele meu comprador há quase 32 anos (mais que metade da minha vida) sempre com bons resultados

O citado é comprador entre 700 a 1.500 de parcelas ou arrenda animais na semana do GP Brasil para correr com a sua farda

Sinceramente para mim é importante receber críticas construtivas para que possamos melhorar, agora reclamar que coloco Bolsa de ...Isto é copiado do que o JCSP, JCB, JCRGS fazem, 1* colocam a Bolsa e em seguida sendo x ao 1*, y ao 2*, Z ao 3*, @ ao 4* e h ao 5*. NEM COLOCO BOLSAS DE CORREDORES DE GPS , LISTEDS E PROVAS ESPECIAIS (penso em colocar daqui para frente)

Como os compradores de outros Estados não conseguem as x acompanhar todas corridas,colocamos quando é próximo . chegou tipo 6* a 4 corpos , ou seja está prestes a GANHAR 

Vibro quando cavalos comercializados pela Pro Turfe ganham provas importantes até no Exterior como Verde-Mar, crioulo Santa Rita vendido por Luis Felipe dos Santos ao Estrela Energia, recordista e cavalo do ano no exterior ou quando leiloei Jex e no dia seguinte ganhou o GP São Paulo 

Agora não pode o colorido COMENDADOR (que tenta divulgar nosso turfe trazendo por exemplo a artista Angela Bismark para assitir nossas corridas) sair detonando e trabalho do que acordo 2* feira até ir dormir no Domingo, profissional ou amador como fiz por 36 anoscomo Diretor p/ o JCSV, 12 com mandatos de Presidente, aonde tive recente até a vida ameaçada . Passei o caso p/ meu advogado analisar.Acaba 2014

Ari Pedro Lopes Chalita (30/10/2014) - Porto Ferreira/SP

Bom Dia

9 anos de excelência e competência no turfe, como turfista: "Raia Leve" é nosso café da manhã, continue por muitos anos assim que faz bem a comunidade turfística.

Antonio Moura (29/10/2014) - Niteroi/RJ

RAIA LEVE - O TURFE E O PRAZER!

Não desejo e nem pretendo ser repetitivo. Tudo já foi dito sobre os nove anos de sucesso do "nosso" Raia Leve.

Mas, por justiça, devo confessar o imenso prazer de acessar, mesmo nem sempre para leitura ou digitação de boas notícias.

Parabéns, pois, à laboriosa Equipe e que todos nós possamos ainda por muito tempo compartilhar desta diferenciada ferramenta.

Antonio Moura

Antônio Moreira (29/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Quem é bom já nasce feito, diz o ditado! Parabéns ao Raia Leve, por esses nove anos de serviços ao turfe.

Marco Antonio Santos (29/10/2014) - Niteroi/RJ

Estatísticas de jockeys na Argentina em 291014.

Fonte : www.turfpremium.com.ar

P G Falero : 307 vitórias - aprov : 19,12 %

A Domingos : 205 vitórias- aprov : 20.38 %

J Ricardo : 200 vitórias - aprov : 15,37 %

José Vecchio Filho (29/10/2014) - Porto Alegre/RS

O JCRGS parabeniza o ’Raia Leve’ pelos seus 09 anos de existência.

Trata-se de um precioso veículo de comunicação cuja constante atualização mantém os turfistas sempre em dia com os fatos relevantes de nosso meio.

Numa atividade em que cada vez são mais raros os espaços de diviulgação, este ’site’ se constitui num dos principais palcos nacionais de discussões sobre os dias atuais e os rumos do Turfe, fonte de consulta essencial para àqueles que se preocupam ou se ocupam da atividade.

Felicitações a todos os envolvidos !

Luiz Fernando Dannemann (29/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

A “excepcional” excepcionalidade

Acompanhei de perto a movimentação dos clubes e associações diversas visando participar da Consulta Pública para edição da IN 48. Cumpre aqui registrar o excelente trabalho realizado pela APFT na elaboração das propostas, porém, a nota triste fica por conta do JCSP que resolveu buscar um caminho diverso aos interesses do turfe nacional tentando postergar a implantação da Pedra Única, um verdadeiro coice na atividade e na inteligência de todo mundo. Quanto a isso o presidente daquele – quase finado -, clube de corridas de cavalo deu mostras incontestes da sua “genialidade”. 

A POSTERGAÇÃO DA PEDRA ÚNICA NÃO ENCONTRA RESPALDO NEM JUNTO AOS ESQUIMÓS DO POLO NORTE.

Enquanto os cariocas “acham que sabem tudo” (palavras dele), por outro lado, este nobre paulistano certamente provou que não sabe nada. Li também com atenção a entrevista do Flávio Obino Filho ao Raia Leve que foi realizada após uma reunião na ABCPCC em São Paulo cujo tema foi exatamente o elenco de sugestões para modificação do texto encaminhado pelo MAPA. 

Amigos presentes a este encontro de pessoas que representam – sobretudo -, a criação nacional, me relataram que FOF indagado sobre a origem daquela enfadonha e sorrateira cláusula de “Excepcionalidade” respondeu que a mesma foi redigida pelo JCRGS – representado pelo seu presidente (algo absolutamente natural em se tratando de proteção à CODERE) e pelo JCB – representado pelo seu vice-presidente (algo absolutamente inimaginável). Na oportunidade o presidente Sergio Coutinho Nogueira teria confirmado a informação dada por Flávio Obino Filho, algo que causou muita surpresa aos meus interlocutores.

A TAL CLÁUSULA DE EXCEPCIONALIDADE É QUASE UM GOLPE DE ESTADO, UM ATENTADO AO PUDOR.

Juro que passei muitos dias tentando entender qual teria sido a justificativa para tal atitude já que o vice-presidente do JCB jamais se prestaria ao papel de ser partidário da adoção de um atalho para a continuidade do jogo bancado em pleno Hipódromo da Gávea, algo que ele tanto protestou com a maior veemência possível num passado recentíssimo, subscrevendo, inclusive, ações contrárias aos interesses daqueles “banqueiros” internacionais que vem encardindo a biografia do JCB.

Por fim também fui informado da indignação do FOF quanto a posição – inusitada -, do genial ERA que trilhou o tal caminho paralelo guindado, talvez, pelo seu enorme QI. Pelo que soube aquele dirigente, atual presidente da câmara de equideocultura, profundamente inconformado com a “parceria” vinda do JCSP teria, inclusive, “jogado a toalha”, desistindo de ocupar – doravante -, qualquer função no turfe nacional.

Temo que o resultado deste e de outros reflexos faça sangrar mortalmente a decrescente criação nacional já que não consigo enxergar algum futuro para a fundamental renovação de matrizes (as liquidações em andamento são simplesmente fabulosas) algo que tanto estivemos comprometidos e empenhados nos últimos anos.

As vacas já foram... Agora é a vez dos bezerros.

Cleo Nahon (29/10/2014) - São Paulo/SP

Amigo Luis Otávio Valente (LOT)

Saudades da Mesa 3.

E dia 15 próximo comemoraremos mais um aniversário do saudoso e querido Dr Roberto.

Grande abraço, do agora paulista, 

Cleo Nahon

Elton Pereira de Souza (29/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O Ricardinho deveria voltar ao Brasil JÁ! Se ele continuar lá o Baze vai só aumentar a vantagem. Aqui no Brasil ele poderia montar de Quinta (RS) a segunda, com muitas montarias e com certeza todas com chance.

Volte logo para seu país para atropelar o canadense, Ricardinho!

Francisco Avila (29/10/2014) - Porto Alegre/RS

Parabéns ao Raia Leve, por seus 9 anos, oferecendo aos turfistas um espaço democrático e imparcial.

Vida longa!!!!!

Luis Otavio Valente (28/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Qdo comecei a ler o texto sobre o brilhante Alex Mota,sabia que o colunista era o meu amigo de faculdade Paulo Gama,o tricolor Paulinho dos tempos da CUP. Paulinho um abraço e até um dia destes a bordo do meu possante. Ele pilota bem e vc tem a arte de emocionar .Lembro do que vc escreveu na revista do JCB quando meu pai foi torcer no camarote lá do céu .Guardo e sou grato até hoje pois sei que meu Pai Roberto Ortigão o da mesa 3 vibrou e vibra com suas estorias. Abraço Luis Otavio Valente

Paulo Rogério Aguilar (28/10/2014) - Pelotas/RS

Concordo com os Srs.o novo site do JCB é muito RUIM,quem inventou com certeza nunca jogou um passe.

Jose Antonio Barros (28/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Esse novo site de apostas do JCB é muito ruim, se reclamavam do antigo, esse então que diziam seria explicativo e facil de manusear, nem a mãe do infeliz que o projetou consegue, não tem nada de explicativo e só complica e enrola o apostador na hora de fechar a indicação, horrivel, nota zerooooooooooooooooo.,

Jessie Navajas de Camargo (28/10/2014) - São Paulo/SP

Queria parabenizar esse site maravilhoso pelos 9 anos. Todos os dias, além da verificação normal de e-mails, religiosamente, entro no Raia leve para me informar sobre turfe.

parabéns a todos

beijos,

Jessie Navajas

Igor Noronha (28/10/2014) - Cachoeira do Sul/RS

Prezados(as)

Parabenizo a todos(as) responsáveis pelo brilhante trabalho de divulgação de tudo aquilo que interessa à atividade/esporte/lazer (o turfe é tudo isso e mais um pouco) que tanto amamos. Divulgação esta que alcança do menor clube (como o meu querido Amorim aqui em Cachoeira do Sul) aos maiores festivais internacionais.

Força, fé e determinação na condução do magnífico trabalho. Que venham outros 9, e mais 9, e assim sucessivamente para a felicidades de todos nós, turfistas.

Forte abraço e parabéns

Jose Roberto Giancristoforo (28/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O novo site do JCB consegue ser pior que o velho e muito pior que o novo modelo de programa, com certeza querem acabar com as corridas de cavalos e ainda deram uma festa para comemorar ou inaugurar e não sei quem pagou toda essa lambança. Conseguiram fazer pior que existia realmente uma turma muito competente , pois devem estar cumprindo ordem muita bem planejada. Eu vou dar um tempo ao turfe no JCB e vou me dedicar mais ao exterior realmente não dá para aguentar essa turma, fui.

Mario Rozano (28/10/2014) - Porto Alegre/RS

Caros amigos, NOTÁVEL registro, NOVE ANOS que se multiplicam pela qualidade e dedicação de todos os membros da diretoria, articulistas, jornalistas e colaboradores do melhor veículo de informação sobre o turfe nacional e internacional.

27 de Outubro, uma data marcante...Parabéns a todos, especialmente os leitores e apaixonados pelo esporte dos Reis.

Luis Alberto Rodrigues de Souza (28/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Parabéns Raia Leve, e que esta data possa ser comemorada muitas vezes mais!

Nelson Sakae (28/10/2014) - Curitiba/PR

Parabéns. Um dos principais veículos de comunicação para o Turfe e para nós turfistas.

José Augusto Seabra Sales (27/10/2014) - Brasília/DF

Hoje foi o enterro de um dos melhores profissionais do Turfe Candango, Agrício Pereira Lima (A.P.Lima) teve nos cavalos de corrida sua grande paixão, com enorme prestígio entre os proprietários foi diversas vezes campeão das estatísticas de treinador.

A família enlutada meus sentimentos de pêsames.

Luiz Roberto Medeiros (27/10/2014) - Recife/PE

Parabens Raia Leve.

9 anos informando e vivendo o Turfe.

Luiz Roberto Medeiros

Helenilton Faria (27/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Raia Leve 9 anos. Parabéns

Helenilton Faria (27/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Nossa esse site do JCB está sempre ruim para aposta, hoje foi de mais, Boa noite!!!!!

Cyro Queiroz Fiuza (27/10/2014) - São Paulo/SP

Perto de completar sua primeira década de atividades ininterruptas, o Raia Leve merece os parabéns pelos seus nove anos de serviços prestados ao turfe brasileiro. Idealizado pelo saudoso Zig e pela diretoria fundadora da ACPCPSI, o Raia Leve é disparado o principal veículo on line de informações diárias sobre tudo o que acontece no turfe nacional. Algo que, definitivamente, não é pouco. E nem fácil de produzir, apurar as notícias, sondar anunciantes, manter financeiramente o site. Sobretudo num horizonte que nem sempre é favorável à atividade turfística. Congratulações a todos!

Jose Roberto Giancristoforo (27/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

A maior virtude do burro é a teimosia , continuem teimando em não voltar como modelo anterior e vão ver aonde vai o MGA.

Apostador não gosta de ser contrariado, não gosta muito de mudança , não gosta de gente prepotente.

Gilberto Werner (27/10/2014) - Porto Alegre/RS

OLHANDO DO OUTRO LADO

Já fazia algum tempo que não vinha e/ou não passava pela zona sul de Porto Alegre. Pois hoje, domingo de eleições, fui convidado por um amigo que possue lancha no Clube Náutico Veleiros do Sul para um passeio - nesse dia de sol pleno de primavera - a andar sobre as águas calmas do Lago Guaíba.

Então, ao vir ao Veleiros, passei pelo Hipódromo do Cristal. Entrei na avenida Chui e depois na avenida Icaraí e em ambas avenidas NÃO vislumbrei sequer uma vez a pista de corridas do Hipódromo do Cristal. Encontrei no lado do hipódromo apenas mato e ¨aquele muro¨ horroroso - antigo - pintado e pichado de cores que nem ¨Salvador Dali¨ imaginou.

Vi a construção terminal de dois edifícios enormes na entrada da ¨antiga¨ Vila Hípica do hipódromo. Imaginei o quanto de numeroso vai ser em termos de apartamentos a construção pela MULTIPLAN dos dezesseis edifícios residenciais projetados para serem implantados nas terras (18 hectares) da Vila Hípica...

Não sei se vocês aqui do Raia Leve sabem - mas sempre é bom a gente reavivar a memória - o Jockey Club do Rio Grande do Sul foi OBRIGADO na década de 1950 - pela Prefeitura de Porto Alegre - a procurar outro local para ser construída uma nova pista de corridas - e levassem junto todos os cavalos e cocheiras do local onde hoje é o Parque Moinhos de Vento - o Parcão.

Isto foi no início da década de 50 - quinze ou vinte anos antes do homem ter chegado à lua. Em todos esses anos - quase sessenta anos - o bairro do Cristal cresceu. No início - quando o JCRGS veio para cá era ¨tudo¨ parecido com o mato que se encontra do ¨lado de dentro¨ do hipódromo. Até ¨bugios¨ contam que existiam por aqui.¨Bugios¨, cobras, aranhas tudo que existe em um mato virgem. As ruas, as estradas eram de ¨chão batido¨!

Hoje o bairro do Cristal é um bairro elitizado. Tanto é que possue um enorme shopping e avenidas por onde transitam diariamente mais de cem mil automóveis. Casas, mansões, edifícios e torres comerciais é o Cristal moderno. O Cristal é a vitrine do futuro para quem quiser morar bem e viver bem. Tem até um antigo hipódromo que sonha (?) ainda na construção de mil cocheiras em torno da sua ¨nova¨ pista de corridas.

¨Sonha¨ na construção de mil cocheiras para abrigar cavalos PSI de corridas - tudo isso há poucos metros de um complexo residencial de ¨primeiro mundo¨- construído pela Multiplan e com o aval de todos aqueles - ¨amigos do Vecchio¨ - que acreditam na palavra e nos ¨sonhos¨ desse novo ¨Messias¨...

Luis Alberto Rodrigues de Souza (26/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Como tenho frequentado pouco o JCB acabei não sabendo do falecimento do Zequinha. A meu amigo Marcelo meus votos de pêsames e sinceros sentimentos

Antonio Moura (26/10/2014) - Niteroi/RJ

AH, O "NOVO" PROGRAMA

Sr. José Antonio Barros,

A única conclusão a que podemos chegar com este novo programa é que, com toda a certeza, foi elaborado por quem nunca jogou um centavo em corridas de cavalo. 

Entre outras coisas ignoraram que historicamente o apostador dobra o impresso em três partes iguais na vertical,

o que lhe mostrava, de cara (como aliás este também revela) o número, nome do animal, jóquei, peso e pedra de largada), mas tira do foco inicial a importante informação do nome do treinador.

Será que o gênio da lâmpada acha que é atrapalhando o estudo e deixando o apostador irritado que vão conseguir recuperar o MGA? Os mais idosos e com natural problema de visão (como o signatário, por exemplo) estão adorando as letrinhas microscópicas. E os vendedores de lupas também.

Ontem, na Codere Niterói, pelos menos quatro pessoas que conversaram comigo deixaram de jogar na Gávea reclamando deste programa medalha de lata.

Nem Lecca se atreveu a tanto. Parabéns, Dr. Palermo - extensivos à sua Gerência de Turfe.

Antonio Moura

João Fernandes (26/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde a todos,

Parabéns a todos , CASITA BUCK, 

ao grande treinador e ex-jóquei Pintinho, ao A.M.SOUZA, e agora principalmente para esse gordinho , com todo respeito, proprietário que vai la na repesagem beijar e agradecer com muita vontade a todos que levaram o animal a mais uma vitória, parabéns, vlwwwwwwwwwwwww.

Jose Antonio Barros (25/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Conseguiram complicar como fizeram com os programas com esse novo site de apostas, muito mais complicado que o site de apostas atual, brincadeira, se não entendem no negocio, contratem quem entendam,

Francisco Rodrigues da Silva (25/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

LAMENTAVEL 

Palaphitas x profissionais do J C B.

A diretoria do J C B deveria tomar alguma atitude,lamentavel baixo nivel,o responsavel pelo estabelecimento nao pode agir desta forma,ele tem que dar o exemplo.que baixaria.

No minimo pedir desculpas.

F Rodrigues

STUD GATA DA SERRA

Arthur Rocha Nogueira Filho (25/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Ao amigo Cesar Gustavo Neto, lamento o acidente, mas estou torcendo pela rápida recuperação.um abraço extensivo a Rita e filhos

Arthur Rocha Nogueira Filho (25/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

gostaria de agradecer a jose roberto giancristoforo pelas palavras,e os nomes dos comissários que atuaram no sábado 18/10, quando ocorreu a desclassificação do meu cavalo uru no 10º pareo

todos os turfistas e profissionais do turfe que conheço,acharam absurda,injusta e covarde a decisão.da comissão de corridas.

leiam os comentários de 18/10

Arthur nogueira----turma do bar

Antonio Moura (24/10/2014) - Niteroi/RJ

O DOCE AMANHECER EM CIDADE JARDIM

Não gosto de tecer críticas sempre contra o mesmo fato (à exceção, obviamente, da incompreensível parceria com a Codere) e o JCSPaulo também não é a minha praia.

Fiquei feliz, portanto, com o vídeo de 3,11 m que a entidade paulista, mercê de uma feliz e profícua parceria com a TV Globo - São Paulo, nos revela no seu site oficial.

Não há dúvida que o amanhecer em Cidade Jardim é belíssimo, mas o da Gávea é um poema de Drumond e seria um gol de placa a atual administração seguir o exemplo da sua co-irmã, que está de bola branca pela feliz iniciativa. É de marketing de qualidade como este que o turfe, desde há muito, vem sentindo falta, uma das muitas razões que explicam o decadente quadro atual. Cala-te boca!

Antonio Moura

Jose Antonio Barros (24/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Não seria mais inteligente por parte do JCB, lançar o novo site ontem para que hoje nas corridas já fosse utilizado pelos apostadores e não como eles vão fazer, abrir o site com as corridas já iniciadas e sem o apostador saber como o utilizar para as apostas, essa diretoria parece a do meu GLORIOSO BOTAFOGO, que é formada por burros, omissos e incompetentes.

Antonio Moura (23/10/2014) - Niteroi/RJ

Sr. Felipe Cardoso,

Não tenho amplo domínio sobre a matéria em pauta, mas tenho certeza que o ilustre titular do Jéssica, a tempo e a hora, não deixará de se pronunciar. Estará, com toda a certeza, compilando todas as informações que entender de relevante importância, como é do seu hábito, para se manifestar. Vamos esperar um pouco mais, portanto, pois também eu estou curioso.

Que sejam boas as notícias!

Antonio Moura

Marcus Jose Andrade da Cunha (23/10/2014) - Ponta Grossa/PR

consulta pública - MAPA

além da posição oficial do JCSP, alguma outra entidade se manifestou?

marcus cunha

Marcus Jose Andrade da Cunha (23/10/2014) - Ponta Grossa/PR

páreos obrigatórios - Paulo gama

bem colocado o artigo. lembro que antigamente este páreos eram formados a partir de 5 inscrições, além de ter bônus de 10% sobre o prêmio.

marcus cunha

Felipe Cardoso (23/10/2014) - São Paulo/SP

O Jockey de São Paulo publicou no site oficial as sugestões que enviou para a Consulta Pública que irá alterar a IN 48. Achei pertinentes.Acho que estão buscando proteger o clube contra o jogo bancado. Alguém mais viu? Será que alguém mais entendido sobre o assunto (Danemann, Antonio Moura, etc) pode dar uma opinião?

Gilberto Werner (23/10/2014) - Porto Alegre/RS

Ao sr. Antônio Claudio Assumpção

Realmente me enganei de nomes aí do Rio de Janeiro. Peço-lhe desculpas por ter ¨trocado¨ seu nome e ocasionado este meu texto. 

Ao menos pude constatar que houve um tempo em que possuímos um amigo em comum: o ¨Magrão¨dr. Musa que ¨foi embora¨ cedo demais. Era um ¨cara¨ diferenciado:um turfista nato. Eu o conheci por muitos anos e fui seu amigo.

Mais uma vez peço-lhe desculpas por ter ¨trocado o seu nome¨. É que possuímos o mesmo conceito: NADA de patrimônio de um clube deve ser vendido. Tudo o que foi conquistado em ¨outras eras¨ e há muito custo por outras pessoas - objetivando um bem comum - pode ser vendido por quem agora dirige o mesmo clube.

Sempre ouvi dizer que ¨terra é terra¨ e vale muito mais do que representa. Porque representa na verdade TODA uma história.

Daqui do Cristal foram vendidos - em poucos anos - o local ( 18 hectares) para o Barra Shopping por um antigo e safado ex presidente - sumiu do prado e enganou ¨todo mundo¨. Inclusive eu.

Depois - neste ¨grupo político do Vecchio¨ ( o que mais vendeu) foram vendidos o Posto de Fomento (243 hectares)- um terreno na av. Icaraí - a Vila Hípica ( 18 hectares) do Hipódromo do Cristal.

O dinheiro está ¨entrando¨ e vai ¨entrar¨ por muito tempo ainda. Mas NADA justifica a venda e NÃO aplicar o dinheiro desta venda na busca de novos adeptos ao TURFE. Não adianta construir novas pistas. Não adianta o efêmero ¨desafio¨.

Seriam várias as maneiras; dentre elas a principal ¨DAR VISIBILIDADE¨ às corridas no Cristal, o que NÃO EXISTE.

Leo Friedberg (23/10/2014) - São Paulo/SP

Caro Tiago

Desde que comecei a vender os animais em corrida estou invicto (vendi todos) e talvez por isto recebi a incumbência de vender agora neste sábado 25,apos ultimo pareo, PRATICAMENTE TODOS EM CORRIDA, VC SABIA ? (ele guardou 1 de estimação). Portanto se vc tem vontade de ter um animal são, raçudo e corredor , ESTE é O LEILÂO com TVs & Internet. Entre no Banco de Vídeos www.turfeproducoes.com.br e babe

Antonio Claudio Assumpção (23/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Ao Sr. Gilberto Werner

Ainda sou sócio do JCB e do JCParaná .

Não possuo nenhum "parceiro" ou "amigo" no Estado do Rio Grande do Sul , o que lamento muito.

Assim não entendi sua escrita de me colocar ligado com o Dr. Vecchio a quem não conheço , somente de cumprimenta-lo pois nos visitou um dia no nosso café da manhã dos sábados na cocheira famosa do Haras Iposeiras ( nosso reduto sempre a favor do JCB e do turfe nacional ).

Possuo uma amizade fraterna de mais de 55 anos com o Edmundo Musa e me recordo que aos 18 anos de idade fui conhecer Porto Alegre e fiquei na casa do saudoso irmão do Edmundo ,o Dr. " Magrão " Musa , sócio , comissário de corridas do JCRS e um turfista apaixonado .

Não acredito como já disse, que os JCB , JCSP , JCPr e o JCRS ,vendendo seus bens irão resolver seus problemas .

A solução se encontra somente na "Pedra Única" e o bom senso na gestão destes Jockeys Clubes para aumentarmos o MGA .

Abraços

Gilberto Werner (23/10/2014) - Porto Alegre/RS

Sr. Antônio Cláudio Assumpção

Não o conheço, apenas de nome. Sei da sua história no turfe do Brasil e sei da sua amizade por alguém daqui do JCRGS, seu ¨parceiro¨.

Hoje leio o seu texto e me surpreendi. Surpreendi-me com seu conceito a ¨não vender¨. Coaduna exatamente com o meu e não a favor do ¨seu parceiro¨ - pois foi dele a primeira ideia de VENDER patrimônio do JCRGS. E continuam vendendo. E continuam vendendo até quando?

Então?

Thiago Campello Godoy Vilela (23/10/2014) - Recife/PE

Teremos no proximo sabado o leilão do TNT. Será que mais uma vez sera um festival de DEFESAS ????

Fabio Zarour Portal (22/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Que notícia maravilhosa.

O craque Bal a Bali está se recuperando muito bem e em breve estará na cocheira do treinador Richard Mandella.

Torcida é muito grande para que retorne logo as pistas e mostre aquele padrão de corrida de craque.

E QUE VENHAM AS VITÓRIAS DE GRUPO 1 NOS EUA.

Carlos Ferreira (22/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados

Perfeita a nota do Paulo Gama sobre os páreos de fundo e os handicaps publicada hoje, 22/10 no RL. A Comissão de Corridas deveria dar atenção ao que ele propõe dada à pertinência dos seus argumentos. Parabéns ao autor.

Sds.

Pedro Strauch Barbosa Lima (21/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Prezados,

Venho questioná-los sobre o método de verificação das vitorias semanais dos studs do JCB. pela 3º consecutiva o meu stud allstar brasil não é incluído como um dos maiores vencedores da semana. Pois assim como o haras santa maria de araras e daltex, o meu também obteve 2 vitorias.

grato

Pedro Barbosa Lima

N.R.: Pedimos desculpa e retificamos nossa materia.

Elsimar Rosa (21/10/2014) - Juiz de Fora/MG

Li aqui no Raia Leve que a diretoria paranaense convocou seus sócios para uma votação sobre alienação de patrimônio. Que pena , querem mesmo acabar com as corridas no PR .

No Rio , apesar da luta do Sr Tatá , o hipódromo de Campos foi para o vinagre e parece que o papo é sem volta.

Minas acabou . Brasília acabou. Bahia acabou.

Rio de Janeiro e SP vão morrendo lentamente pois seus dirigentes parecem envolvidos em uma letargia completa que todos , menos eles , já perceberam faz muito tempo.

Tomara que não morram todos em breve

Antonio Claudio Assumpção (21/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Aos sócios do JCParaná 

Sou sócio e já assisti este filme no JCParaná e em outros Clubes .

Vender bens não resolve ,alivia o momento , mas passado algum tempo o problema retornará .

Falta competência , falta amor ao Clube e honestidade .

Não vendam seu voto a favor da venda por um prato delicioso de comida.

Abraços

Ronaldo Cunha Diniz (21/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Pasqual Evangelista,

Sobre sua pergunta a resposta é muito fácil. Na Gávea só existem 2 agentes de montarias de qualidade. O resto são pessoas que estão ali exercendo esse "bico" pura e simplesmente por viver ali no JCB, e não por entender alguma coisa de corrida. Basta olhar que tem curiosos que se dizem agentes que pulam de jóquei em jóquei sem sucesso quase todo mês, enquanto o Paulo Gama por exemplo é agente do V.Borges há alguns anos já.

Francisco Rodrigues da Silva (21/10/2014) - Petrópolis/RJ

No segundo páreo o B Pinheiro foi vencedor com o animal do Haras Anderson. 

Com certeza o reclamante viu o galo cantar mas nao sabe a onde.

Neste caso o reclamante nao sabe se quer o pareo.

O turfista atualmente e assim.

Boa sorte na próxima.

Pasqual Evangelista (21/10/2014) - Valinhos/SP

DUVIDA

Existem alguns jóqueis que não tem condições de montar animais com alguma chance de vitória. Servem como figurantes em páreos cheios de animais que vão a raia para mostrar a farda.

Nessa noite acabei de assistir um páreo onde um animal com muita chance de vitória foi pilotado por um desses jóqueis (não apostei no páreo por causa disso) e foi ridícula sua pilotagem e me perguntei.

Porque será que treinadores com baixo rendimento mesmo tendo um animal com chance não consegue um bom jóquei.

Não seria nessa hora que um bom agente poderia agir e beneficiar seu contratado?? Ou será que eles não analisam as chances dos animais e só os bons treinadores e proprietários.

Um jóquei mediano teria vencido esse páreo que o referido jóquei nem se colocou porque não achou passagem..

Ivor Lancellotti (21/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa noite,alguém poderia me explicar o porque do B.Pinheiro não ter reclamado do J.Borges no segundo páreo o segundo lugar,pois foi exprimido na cerca por este e tiraria em segundo fácil! 

Não da pra entender essa atitude.Seria o B.Pinheiro tão amigo assim do J.Borges ou seria respeito.É isso.procurem ver!

Jose Roberto Giancristoforo (20/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Arthur Rocha Nogueira Filho (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Os nomes dos comissários são: Fernando Ferreira Botelho – conheço o pai que foi meu companheiro de IBC – Sergio Peres Samuel- não conheço e nem sei de onde vem e o que sabe sobre cavalo.

Renan Marques – conheço e admiro e duvido que tenha votado pela desclassificação, agora você pode rezar, param que os mesmos não venham cometer essa barbaridade outra vez.

Marco Antonio Santos (20/10/2014) - Niteroi/RJ

Bom Dia !

O Domingos e o Ricardo, sofreram uma queda no páreo de número 11 ontem em Palermo, alguma notícia deles ?

Grato,

Jose Roberto Giancristoforo (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Arthur Rocha Nogueira Filho (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Vi e revi umas 10 vezes o vídeo de chegada e umas 3 vezes vídeo inteiro e digo que foi foi garfado pela comissão de corrida com a desclassificação do seu URU. Ele passou direto no meio de animais totalmente mortos para o páreo e se manteve a frente sem dar nenhuma chance aos demais. Realmente foi uma passagem de raça do jóquei, como no site não tem a filmagem de frente não se pode ter uma melhor opinião , mas se desvio teve foi totalmente normal e involuntário sem que levasse vantagem aos demais ou mesmo prejuízo, olha que eu errava no páreo, infelizmente da próxima vez vai ser pule de 10, isso se for mesma distancia e mesma condições de pista. Que tenha mais sorte da próxima vez e nem com garfo lhe tiram a vitória. 

Anderson Droppa (19/10/2014) - Ponta Grossa/PR

Eu proprietario do Stud Droppa com vinte e tres cavalos estou indo com 14 animais em campanha para o Rio de Janeiro no mes de dezembro mantendo em Uvaranas nove produtos de dois anos e dois arabes ficando os mesmos com Felipe e Ildenfonso Souza

Rafael Cavalcanti (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Os equívocos cometidos nas cronometragens dos páreos, fato levantado pelo craque Sergio Melgaço, é verídico, o que torna o fato uma tragédia, levando em consideração que já acontece há algumas reuniões. Em câmera lenta ou no próprio youtube é possível constatar que o tempo congela a pelo menos um corpo e meio antes de o vencedor cruzar o disco. Já passou muito da hora de a Comissão de Corridas corrigir a falha técnica grave, de facílima constatação. Teresinha?!

Ronald de Carvalho (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Prezadíssimo Antônio Moura

Como ressaltei anteriormente, me referi aos jóqueis e treinadores que atuam hoje no Hipódromo da Gávea. Quanto a referência sobre o Ricardinho - um verdadeiro campeão em todos os sentidos e hoje um fenômeno mundial do esporte - ainda que meus olhos tenham brilhado ainda mais pelo talento do pai, Antônio Ricardo, reconheço sua oportuna observação. Um abraço fraterno.

Arthur Rocha Nogueira Filho (19/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sou turfista desde 1950,socio do JCB e titular do Stud Turma do Bar.

Neste sábado 18/10,no ultimo páreo meu cavalo Uru ,foi desclassificado, ao meu ver de forma injusta, e nestes casos, acho que o proprietário ou quem o representasse deveria ser convidado pelos comissários de corrida, para que fosse mostrado o motivo da decisão tomada 

todos os presentes aos quais pedi opinião não viram nenhum motivo para a desclassificação um azarão, em prol de um dos favoritos e fácil, o inverso queria ver, gostaria de saber os nomes dos comissários que atuaram neste sábado, para que eu possa rezar por eles, para que sejam mais iluminados nas próximas decisões.

Não posso deixar de parabenizar o treinador J.C.Oliveira pelo preparo do animal apos 6 meses de ausência das pistas ,o veterinário Flávio Geo, o jockey  M. Gonçalves, e o valente Uru as alegrias do futuro com certeza irão suplantar a tristeza e a revolta de hoje

ARTHUR R NOGUEIRA

Antonio Moura (18/10/2014) - Niteroi/RJ

A ÓTICA DE CADA UM

Sr. Ronald de Carvalho,

Longe, infinitamente longe, da intenção de desqualificar sua respeitável opinião, compartilhada, diga-se de passagem, por mais que ponderável parcela do público apostador, - gostaria de enfatizar que conheci nestes meus quase sessenta anos de Hipódromo, um único e solitário portador de unanimidade; chama-se Jorge Antonio Ricardo, o J.Ricardo dos programas. Fato que, sem dúvida, o levará à posteridade como o nosso maior de todos os tempos.

Permita-me, ainda, dizer-lhe que o mais adequado talvez seja avaliar um jóquei como se fora Escola de Samba - pela soma dos quesitos. Até agora não obtive nenhuma resposta sobre os motivos que levaram ao extemporâneo rompimento do contrato que o prendia Carlos Lavor ao maior criador e proprietário nacional, o glorioso Santa Maria de Araras; talvez o prezado turfista saiba me informar.

No mais, também acho o "seu" piloto sensacional, mas como este jogo é a dinheiro e daqui a meia hora tem mais, dependendo da minha análise e do jogo na pedra, prefiro pular o páreo.

Quanto ao longevo Alcides Morales (Sr.), concordo cem por cento e aplaudo de pé, como na ópera.

Antonio Moura

Francisco Rodrigues da Silva (18/10/2014) - Petrópolis/RJ

Treinadores sem matrícula mas com cavalos .

Treinadores com matrícula sem cavalos.

Estou levantando este assunto poque acho incompreensivel ter que se esperar 5 anos para adquirir matrícula de treinador.

Normalmente quem tem essa pretensão de ser treinador de cavalos sao pessoas do meio.

A minha opinião e que se a pessoa tem proprietarios que acredita e investe na pessoa, o J C B. deveria liberar sua matrícula independente do tempo. 

Atualmente na GAVEA nao sabemos quem treina ou dá nome.

Revitalização do turfe que muitos falam temos que evoluir nestas barreiras sem sentido ja que se escreve em nomes de terceiros. 

F Rodrigues. 

Stud Gata da Serra

Ismael da Silva Neto (18/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Meu caro "Sir Tony" 

Feliz é o proprietário que é entrevistado, perguntado, indagado, questionado para se posicionar sobre qual é o melhor: PLENTY OF KICKS ou PAINT NAIF, ambos de sua criação e propriedade. 

São animais de exceção , espetaculares, craques!!

É impossível estabelecer um parâmetro comparativo para que isto possa ser conseguido. 

Cada um deles apresenta características individuais, como qualquer ser vivo e não é possível compará-las como um todo. 

Não haverá consenso caso seja realizada pesquisa sobre o assunto, pois a paixão é o combustível que impulsiona o turfe.

Parabéns e grandes abraço.

Luis Antonio Ribeiro Pinto (17/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Caro leitores do Raia Leve,

Gostaria de agradecer aos vários amigos turfistas que se expressaram elogiosamente em relação ao meu potro PAINT NAIF nesta última semana no Espaço do Leitor do Raia Leve. Manifestações como estas me fazem muito feliz e pensar que valeu a pena esta longa caminhada de criador e proprietário.

Fico muito contente pela exibição que PAINT NAIF proporcionou a todos nós e, mais ainda, alegre pela manifestação calorosa de todos vocês ao meu potro, que desde seu nascimento, sempre foi muito querido por mim,  pelo seu treinador e agora começa a conquistar o público turfista em geral.

É com imenso gaudio que vejo seu poder locomotor ser reconhecido por estes turfistas através de cumprimentos e elogios pelo RAIA LEVE. Acho eu, que com o tempo, ele será reconhecido por todos, pois trata-se de um cavalo de exceção e, com isto, se tornará mais um ídolo de nosso turfe. Precisamos, mais do que nunca de ídolos no turfe, para que nossa atividade siga com motivação e alegria para todos nós.

Sim, o turfe é feito de ídolos, eles é que nos fazem ir em frente, e eu seguirei, fazendo os maiores esforços para construir paulatinamente um outro ídolo, tão necessário nos dias de hoje.

Grato uma vez mais a todos vocês em nome do PAINT NAIF e no meu próprio. Vamos torcer para que ele continue nos dando tanta alegria, na continuação de sua vitoriosa campanha.

Luis Antonio Ribeiro Pinto (Stud São Francisco da Serra)

Pedro Baluardo (17/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Continuamos sem as informações de ocorrências tanto de raia como veterinária nos rodapés dos páreos no programa oficial. Que vergonha e falta de bom senso para com os apostadores, verdadeiros clientes do JCB.

Jose Henrique (17/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Ao Sr Luiz Fernando Dannemann 

Antes de tudo gostaria de dizer que sou fã das suas postagens 

Na sua postagem do dia 14/10/14, me chamou a atenção a sua posição em relação aos starters pensei que era o único a perceber que o time das partidas é muito fraco (para não usar outro adjetivo), semana passada assisti a partida de um páreo de 1.000G e para minha surpresa temos um starter “com problemas para se comunicar” é claro que não é vergonha nenhuma, sei que é um problema de dicção e tem tratamento, no entanto fica complicada a comunicação com os jóqueis nas partidas e o outro é aquele baixinho que só sabe gritar, faz uma confusão monstruosa (outro problema de comunicação e de respeito aos profissionais), e ao invés de tranquilizar os jóqueis faz o contrário. Não estou querendo puxar a brasa para a sardinha de ninguém, só não entendo o que o Dr Palermo, a C C ou sei lá quem esta esperando para escalar o starter Sergio, sei que ele brigou com o lecca e se afastou, gostaria de saber o que esta faltando para que isso aconteça, esse rapaz é um excelente starter e me arris co a dizer que foi o melhor starter em todos os sentidos, que conheci nesses meus 50 anos de Turfe, opinião não só minha mas também de alguns amigos. 

O mais interessante dessa história toda é que ele apoiou a candidatura do Dr Palermo - ???

abraços

Luis Antonio Ribeiro Pinto (17/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

COMPARAÇÕES,

Como criador e proprietário do PAINT NAIF e do tríplice coroado PLENTY OF KICKS, tenho sido entrevistado, perguntado e indagado por várias pessoas, para saber minha opinião sobre  qual dos dois cavalos meus de grande sucesso nos últimos anos seria o melhor.

Para não ser mais abordado sobre o assunto venho aqui explanar o meu intimo sobre este comparativo, que parece tão importante para alguns. A única coisa que os une é seu pai, este sim, para mim o notável Crimson Tide.

Acho eu, que não podemos querer comparar  2 craques como PAINT NAIF e PLENTY OF KICKS.  Seria injusto para qualquer um dos dois, qualquer tipo de opinião que fosse diferente da que se segue: os 2 são indivíduos distintos, de gerações diferentes e de tempos a parte. Plenty of Kicks  enfrentou cavalos de sua geração de grande qualidade como Poker Face, Invictus, Didimo e outros gigantes.  Paralelamente Paint Naif está enfrentando uma geração que se “pinta” como muito forte também, com potros de qualidade como Caballo de Hierro, Lamborghini, Canto Aberto, Energia Guest entre outros.

Campanhas desenhadas com muita paridade entre os dois até o momento – Plenty of Kicks ganhou cinco G1 sendo tríplice coroado. Paint Naif já ganhou três G1, sendo 1 em recorde, mas ainda faltam muitos páreos, como a Tríplice Coroa, para serem corridos.

Então, como estabelecer comparativo entre os dois? É impossível . Acho que são 2 animais esplendidos cada um em seu tempo, cada qual com sua geração, cada um com sua individualidade .

Como seria difícil e sem resposta, estabelecer comparações entre grandes cavalos como Itajara e Bal a Bali, Escorial e Farwell, Nijinski e Mill Reef, Affirmed e Seattle Slew, Zarkava e Trêve.

Como a campanha de Plenty of Kicks terminou, só saberemos ano que vem o que podemos esperar de Paint Naif.

Pessoalmente, entretanto, como não poderia deixar de ser, espero muito dele, e com a graça de Deus seguir campanha vitoriosa como a atual.

Luis Antonio Ribeiro Pinto (Stud São Francisco da Serra)

Ronald de Carvalho (17/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Longe de qualquer polêmica ou mera simpatia pessoal, mas apenas uma óbvia constatação. Em todos os esportes - o turfe ainda é um esporte na minha visão - existem aqueles que se destacam bastante sobre os outros. Carlos Lavor é um destaque absoluto entre os jóqueis da Gávea. Não há como negar isso. O mesmo em relação aos treinadores, onde o veterano Alcides Morales parece um vinho inesgotável. Quanto mais velho melhor! Evidentemente, existem outros excelentes profissionais mas ambos estão muito acima da média.

Flávio Mainar Gomes (17/10/2014) - Porto Alegre/RS

Nesta quinta-feira, tivemos o prazer de receber na sala da Comissão de Corridas os senhores Dr. Thomas Flores da Cunha e Professor Rogério Silva. 

Fizeram questão de pessoalmente em nome dos demais citados no editorial do Jornal do Turfe expressar o total apoio e confiança à atual Comissão de Corridas do JCRGS. Deixaram muito claro que jamais autorizaram o jornalista Marcos Rizzon a publicar seus nomes para o determinado fim.

Conheço muito bem todos eles e posso afirmar sem medo de errar que são, sem exceção, pessoas do mais alto gabarito. Faço essa afirmação não só pela atitude que tiveram ontem, mas pela história que fizeram dentro e fora do turfe. 

Outrossim, não merecem ter seus nomes envolvidos sem a menor parcimônia nesse tipo de picuinha com o nítido objetivo de fomentar intrigas.

Agradeço em nome da Comissão de Corridas e peço desculpas por de certa forma ter contribuído no envolvimento de seus nomes nesta situação tão constrangedora.

Orlando Motta Filho (17/10/2014) - São Paulo/SP

Dona,senhora,senhor ou seja o que for.A mim não interessa,na politica também estamos nessa. 

Riboletta que se retira,na última te escrevi defendendo o seu direito,mesmo mal entendido por uns.

Me desculpe,mas não se faça forfait forçado,por lhe ’quererem’ matar,na ou pela boca.

Antonio Moura (16/10/2014) - Niteroi/RJ

O MELHOR DE 2014

Gilberto Werner,

Estou, meu caríssimo amigo, literalmente, no mato sem cachorro. Vejamos:

a) Entendo, por índole e por princípio, que um ato heroico não redime quem quer que seja por eventuais canalhices anteriormente praticadas. Assim no Céu como no Turfe;

b) Por duas gestões, sob a tutela do saudoso Presidente Dráusio, fui Diretor-Secretário da Associação Fluminense de Jornalistas, época que tivemos uma estreita relação com o glorioso JCB, que até hoje promove anualmente uma prova de homenagem à nossa Associação;

c) Um elo que, felizmente, não se quebrou, a ponto de, em pleno mês de outubro, já termos antecipado, em votação unânime, o prêmio de melhor dirigente de turfe de 2014, para o diligente Presidente do fundamental Joquei Clube do Rio Grande do Sul, Dr. José Vecchio Filho;

d) Escolha nada surpreendente face ao quadro melancólico das administrações carioca e paulista. Sobre esta última o Editorial do Raia Leve de hoje, tutelado pela Diretoria da ACPCPSI, é por demais conclusivo. E sobre o Rio de Janeiro não adianta falar - eles não estão mesmo nem aí!

e) Resumindo, não tenho outra alternativa a não ser solicitar ao Dr. Vecchio o agendamento de uma data adequada, aqui no Rio ou em Porto Alegre, para entrega do Diploma de Mérito a que faz jus.

E, finalmente, tenho que reconhecer que o senso de justiça, em mim (talvez por ser nativo de Libra ou por uma natural distorção de caráter) se sobrepõe ao tom de solidariedade que os amigos sempre esperam de nós. 

Antonio Moura

Flávio Mainar Gomes (16/10/2014) - Porto Alegre/RS

Gostaria de elucidar os turfistas sobre os verdadeiros motivos do ranço do Marcos Rizzon frente à Comissão de Corridas do JCRGS.

Juro que não entendi aquele texto enrolado dizendo que o treinador Flávio Matos é comissário e que escreveu atacando a Riboletta. Menciona repetidas vezes dizendo que ele escreve no Raia Leve. De onde ele tira esses absurdos? Fala que não dei explicações, quando comentei cada detalhe. Esse emaranhado de informações desencontradas já lhe custaram em processos até a geladeira de casa, mas ele não aprende.

Reclama ainda que chamo a Riboletta de senhora, sé é um nome feminino, como deveria chamar? 

Mas o que quero que entendam é que tudo isso tem um único motivo: o fato de um dos vários processos proibindo sua estrada no hipódromo ter tido como relator André Carvalho, filho do atual Presidente da Comissão de Corridas.

Acontece que ao invés de agradecer o perdão de uma grande dívida que tinha com o clube, inclusive prevista no orçamento, ainda fez ofensas e ameaças físicas ao Presidente da entidade diante de várias testemunhas. Não restava outra alternativa ao relator e ao Conselho Deliberativo, que sabiamente o acompanhou na decisão.

Ainda tem a prepotência de dizer que apresentou uma Comissão pronta ao Presidente e Vice-Presidente. Ora, um dos requisitos para o cargo de Comissário é reputação ilibada. Aí aparece um senhor com esse retrospecto querendo apresentar seus próprios Comissários. 

Sobre a anônima Riboletta, só posso sentir pena de uma pobre coitada que não tem fibra para assumir e sustentar o que diz.

Mal sabe ela que sua atitude covarde é tão abominável que além de ser vedada pela lei de imprensa, fere também diretamente preceitos constitucionais elencadas no capítulo mais relevante da Carta Magna (Dos Direitos e Deveres Fundamentais, art. 5º, IV). Se não tivessem lhe tomado até a geladeira, caberia uma bela ação naquele largo lombo.

Minha aparição aqui será sempre como reação cada vez que a Riboletta aparecer ou meu nome, ou qualquer coisa que eu entenda estar direcionada à minha pessoa, seja direta ou indiretamente. Tudo que for falado no jornal, aqui terá contrapartida. Minha intenção não é calar a boca de ninguém, mas sim exercer meu direito à réplica. Por óbvio, jamais o faria em seu veículo.

Julio Cesar Garcia (16/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

comparar o craque BAL A BALI com o cavalo PAINT NAIF e brincadeira

BAL A BALI 12 saidas 11 vitorias e 1 terceiro (com dor de canela) para o craque FARRIER que se não tivesse problemas ia ser osso duro

PAINT NAIF 8 saidas 5 vitorias 1 terceiro 1 quarto e 1 ultimo

NA MINHA OPINIÃO ELE BAL A BALI DO JEITO QUE ELE ESTA NO USA ELE GANHA DO PAINT NAIF

SEM MAIS COMENTARIOS

Antonio Moura (15/10/2014) - Niteroi/RJ

O HOMEM E O CAVALO

Para os aficionados em filmes sobre o velho oeste, o texto de hoje do jornalista Paulo Gama aqui no Raia Leve, é um prato cheio. Mormente para os turfistas que, como o signatário, já navegam na casa dos setenta.

Para zerar a conta, permito-me juntar mais dois àquela já extensa lista: o meu preferido, Gregory Peck e Allan Lad, o mocinho inesquecível do maior clássico do gênero, "Os Brutos também amam". Visto e revisto pelo menos uma dúzia de vezes e tantas outras quantas anunciadas pela TV a Cabo.

No mais, uma nostálgica viagem a tempos que não retornam.

Luiz Fernando Dannemann (15/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Bullyng

Somente hoje pude ler a coluna assinada pela solitária Karol na revista Turfe Brasil que trás uma entrevista muito importante com Eduardo Rocha Azevedo, comandante do JCSP, uma nau a deriva sob o único fundamento que me interessa: O Turfe.

Nela o “nobre” representante dos poucos que ainda sobraram lá em Cidade Jardim após a sua assunção ao cargo maior da entidade, vem novamente manifestar o seu repúdio pelo estado do Rio de Janeiro, algo que bem pode ter origem na sua infância, quem sabe.

Aliás, não deve partir apenas da minha cidade o possível trauma que aflige este personagem que reivindica – apenas e tão somente para si -, a genialidade, mas também todo o lado de cima do mapa do Brasil, já que afirmam ser de sua autoria a frase “...Passando de Queluz é tudo Nordeste...”.

Quanto ao “trauma” daquele dirigente que junto com o Palermo (e a TV Bandeirantes) afirmou que vai recuperar o turfe brasileiro com o “moderno” projeto de acabar com as corridas de sábado e segunda feira no JCB, cabe a mim, principalmente, ter o máximo respeito por isso, independente de não conhecer, exatamente, a origem do seu drama particular, já que eu tenho um amigo que também cresceu nutrindo um ódio mortal, desta feita, não pelos cariocas, mas pelos mineiros. 

O problema é que ele foi molestado - muitas vezes -, durante a noite por um coleguinha da cidade de Viçosa quando estudava num internato em Petrópolis. Daí quando o assunto é Minas Gerais (pode ser até pão de queijo), tal como ERA em relação ao Rio, o sujeito vira bicho!!!

Ronaldo Cunha Diniz (15/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Ricardinho X Baze

Será que o Ricardinho ainda não percebeu que está sendo boicotado pelos argentinos? Para continuar montando lá com a quantidade de montarias que ele está tendo é melhor que venha para a Gávea, sua casa, onde nas 4 reuniões semanais deve ter mais montarias do que está tendo na Argentina e com muito mais chance. Há pouco mais de um ano atrás ele montava em milhões de páreos e de repente só por causa do acidente esqueceram dele? Para mim se trata de um boicote no mais elevado grau para que o brasileiro não reassuma a liderança mundial. Não podemos esquecer: lá é Argentina....

Esperamos que mostrem isso a ele e que ele volte a montar aqui no Brasil o mais rápido possível para despachar de vez o canadense. Se continuar lá não vai conseguir.

Carlos Ferreira (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Waldir Alves de Souza,

Obrigado, são mais de 60 anos de janela. Tinha que aprender alguma coisa. Aliás, se eu não soubesse o pouco que sei sobre turfe com toda esta rodagem, ao contrário, eu seria uma besta.

Sds.

Julio Reis (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Programa Oficial:

Foram tantas as reclamações, e como até agora nada foi feito. Aproveito para acrescentar os itens abaixo, para que, os responsáveis, fiquem sensibilizados, e assim possam atender a todas as solicitações descritas nessa coluna.

- Constar as declarações do livro de ocorrências, igualsinho como no programa anterior.

- Separar, destacar, a coluna: data da última apresentação (negrito).

- Trocar a coluna/posição de proprietários pela dos treinadores. 

Vale lembrar, que a maioria dos apostadores são idosos e que nessecitam de maior clareza para a identificação dos dados. 

Peço a gentileza, aos Srs, que colaborem e que façam chegar até a devida fonte para análise e pronto atendimento.

Um bom programa ajuda, e muito, principalmente aos nossos velhinhos. APOSTADORES VERDADE, QUE AINDA EXISTEM!

Abraço a Todos.

Julio

Helio Balsa (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Luiz Fernando Dannemann 

Apenas para lembrar que: 

" A atual administração do JCB – que conseguiu a proeza de afastar do dia-a-dia da sociedade 95% dos Vice-Presidentes eleitos, um fato inédito -, cujo TURFE (por Lei ) teria que ser priorizado, dá provas, mais do que contundentes, de que deveria fazer RENUNCIAR em bloco o seu diminuto e remanescente “time” pelo bem do Turfe e pelo futuro das Corridas de Cavalo.

Esta seria a única medida digna a ser tomada diante deste incontestável fracasso."

Talvez seja o mesmo que a DILMA precisa-se, mais só vai sair, espero, pelo voto. O mesmo deve acontecer, infelizmente, no JCB, só quando as eleições chegarem. 

Incompetência, tenho certeza, pois, são incapazes de ver a repulsa a este programa, se é assim que devemos chamar esse papel impresso e mal elaborado.

Helio Balsa

José Augusto Seabra Sales (14/10/2014) - Brasília/DF

Muito pertinente ao momento o relato do Sr. Ari Pedro Lopes Chalita sobre o saudoso Hipódromo da Serra Verde. Por anos manteve uma programação festiva de integração com os Hipódromos de: Paracatu; Goiania e Brasília. Grandes anfitriões e turfistas. Temo que a mesma caneta que sancionou a desapropriação como então governador, não seja acionada para efetuar novas ações predatórias contra o nosso Turfe, o mesmo que agora como candidato à Presidência da República promete ajudar.

Fábio Eduardo Leon (14/10/2014) - São Paulo/SP

Um embate entre Paint Naif x Bal A Bali seria muito interessante e bonito de ver.. 

1.600m - Bal A Bali imbatível!

2000m - A aceleração final e evolução arrebatadora de Paint Naif emparelha com o Bali A Bali...cabeça com cabeça!

2400m - O tríplice coroado desse ano vence o tríplice corado do ano passado!

É uma pena que não possamos presenciar esse duelo..

Alexandre Republicano (14/10/2014) - Cabo Frio/RJ

Bom dia.

Mais uma vez expresso minha opinião e sugestão sobre as acumuladas especias, hoje especificamente Pick7.

Em outro momento defendi a idéia de o valor da combinação deveria sofrer um rejuste, para inibir aos que tem poder de $$$$ e tornar a modalidade mais democrática, pois, não é. NA verdade é uma Ditadura do poder econômico.

Alguns podem até dizer, muitos acertam com pouco, etc. 

E que digo: "muitos poucos"

Minha nova sugestão é :

O pick 7 somente pagar a bonificação em caso de haver acertador com todos os pontos, ou seja, 7 pontos.

Mesmo havendo acertador com 7 pontos, o rateio seria de tipo 80% do liquido.

Os outros 20% dividido para quem acerta-se 6 e 5 pontos.

Esse rateio poderia ser:

6 pontos = 15%

5 pontos = 5%

Isso é apenas um ideia. O certo que o meu dinheiro continua alimentando o montante dos que podem apostar $$$$$$$. Certo também que minha participação hoje é de apenas uns 5% do que eu apostava.

Fabio de Freitas (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Mario Veloso ,

Fique tranquilo .

Não será confundido.

Entre os meus não há ceguinhos.

Fico na companhia do Haras Anderson,Guignoni , Julio Bozano , São José & Expedictus , Beto Feltran , São José da Serra , Leo Cury , Vitor Paim ,Roberto Solanes , Dr Quintela , Haras Regina , Sampaio , Dr Dannemann , Sir Tony e muitos outros que tem bom gosto .

Mario Veloso (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Fabio de Freitas

não me confunda com um dos seus !!!

PASSEM BEM !!!!

Luiz Fernando Dannemann (14/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Grande irmão Sergio Melgaço, companheiro de muitas e muitas décadas de convivência pelos antigos e frondosos bancos das Tribunas do Jockey Club Brasileiro, aquele de outrora.

Não há dúvidas de que a estrutura de turfe no atual mandato – já no penúltimo período -, foi um retumbante, incontestável e melancólico fracasso. Em qualquer sociedade que não pautasse a sua organização na insuportável política do “Cabide de Empregos”, já que o dinheiro flui como água no final do cano independente de chuvas, trovoadas ou desempenho, a “turma” que gravita naquela área já teria recebido um implacável Cartão Vermelho (alguns por justa causa).

“Gerentes de Turfe”; impotentes formadores de programas; doutores em experiências mirabolantes e programas oficiais, curiosos em Casa de Apostas; responsáveis por Agentes Credenciados; interfaces com a Banca de Apostas; “mestres cucas” em “Cardápio” de jogos; managers de Cercas Móveis; expertos em penetrômetros; comissários amadores ou mesmo profissionais e até (ou principalmente) strarters, TODOS (inclusive todos) já teriam sido demitidos. Menos no JCB, que abraça, promove, reajusta e premia a incompetência, já que quem ordena o pagamento dos salários – desde a campanha -, não sabe quanto custa o dinheiro. 

O MGA – mola mestra da atividade -, não sai do chão.

Enquanto isso a grande “MÃE” JCB – prima da viúva que vive o clima de eleições -, continua patrocinando a farra do Arco do Triunfo, a inércia, a incompetência, o descaso com o Turfe, os tubarões do Parques da Bola (e demais albergados), as “saias da era LECCA” (pessoas que já deram amplos e continuados sinais de reprovação) – um autêntico “bumba meu boi” -, pagando salários INCONCEBÍVEIS para gente cuja performance vem se mostrando abaixo da mais rasa crítica.

A atual administração do JCB – que conseguiu a proeza de afastar do dia-a-dia da sociedade 95% dos Vice-Presidentes eleitos, um fato inédito -, cujo TURFE (por Lei ) teria que ser priorizado, dá provas, mais do que contundentes, de que deveria fazer RENUNCIAR em bloco o seu diminuto e remanescente “time” pelo bem do Turfe e pelo futuro das Corridas de Cavalo.

Esta seria a única medida digna a ser tomada diante deste incontestável fracasso.

Waldir Alves de Souza (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Caro sr. Carlos Ferreira,

Observação perfeita. Aliás suas participações no espaço são sempre bem pertinentes. Domíina o tema TURFE como poucos. 

Apenas acrescentando, segundo reza o manual dos grandes jóqueis, ao adentrar à reta final o jóquei deve sempre "desembaraçar" sua montada, ou seja, tirar para fora evitando possíveis prejuizos de algum concorrente. Foi o que o Lavor fez, sem jamais colocar em xeque a vitória do PAINT NAIF.

Grande abraço!

Waldir Alves de Souza (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Prezado Sergio Melgaço,

Você tem toda a razão! Infelizmente parece-me que os nossos dirigentes não têm a menor vocação e um mínimo de vontade em melhorar as ferramentas, por mais simples que sejam para o estudo dos turfistas.

Cronometragem manual deveria fazer parte de um passado bem distante! Embora não domine o assunto, imagino que se instalar algum tipo de parafernália eletrônica no partidor que em sintonia com o photochart, teremos o tempo não apenas do vencedor, mas de todos os participantes do páreo.

Outra importante ferramenta para o apostador é a informação do peso dos animais com pelo menos duas horas antes do início da reunião. Aliás, como faz acertadamente há anos o site do JCSP.

Com a palavra, se possível, um representante da Comissão de Corridas.

Em tempo: Até agora não entendi a animosidade com o formato anterior do programa oficial.

Fabio de Freitas (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Mario Veloso,

A sua má vontade com o Lavor impressiona .

Só pode ser pinimba de jogador ou falta de visão mesmo.

O Lavor descobriu o modo do Paint Naif correr e só isto já vale ao piloto todos os elogios .

Sabe de uma coisa ? O Sr sabe nada !

Carlos Ferreira (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Mario Veloso,

Me desculpe, mas a curva e a entrada de reta do Lavor no Paint Naif foi de quem corria uma enorme barbada e não quis se arriscar a sofrer um prejuízo.

Sds

Claudio da Silva (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia, depois do Bal a Bali, o próximo a seguir para o exterior Paint Naif. Vamos esperar pra ver se tenho razão.

Elton Pereira de Souza (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Bal a Bali já era! Que bom que surge um novo craque para apagar a lembrança da venda bizarra do Bal a Bali seguida da doença que quase o tirou a vida. 

Pant Naif é o novo fenômeno da Gávea!

É impressionante a aceleração do potro! Como na última vez, entrou último na reta e sendo de novo colocado por fora de todos dando grande vantagem, passa como um foguete pelos adversários!

Mas acredito que o melhor para o craque seria ir a SP correr o Derby Paulista já que a geração que lá disputa a coroa é fraquíssima e com certeza ele ganharia de galope como ontem. E aí sim, aguerrido na distância, deveria ser pensada a ida do craque ao Pelegrinni. Lembro que Xin Xu Lin ganhou o Derby e no mês seguinte a prova máxima argentina, mostrando que isso não é impossível. Vamos torcer para que esta seja a decisão dos proprietário.

Diego Vieira (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Pelo menos devolvam ao programa oficial, a coluna que mostra a quantidade de corridas que o animal fez na pista de grama e na pista de areia.O "tal" padrão Internacional não agradou nenhum turfista .Nunca é tarde para consertar um "ERRO".Antes de fazer "TAIS" mudanças,pergunte,peçam opiniões,façam pesquisas.

Mario Veloso (13/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

COMENTÁRIO

Prezado Sr. Waldir Alves de Souza;

Tenho uma observação, que o C. Lavor é um Jóquei diferenciado não resta sombra para dúvidas, mas;

A direção empreendida ao Paint Naif no meu ponto de vista foi no mínimo preocupante, a entrada de reta foi uma das mais grotescas que já vi o C. Lavor conceder a um animal.

Recuperar todo o terreno perdido e ganhar da forma como ganhou, bem corridinho teria melhorado ainda mais o tempo final e ganho ainda com mais facilidade.

Gilberto Werner (13/10/2014) - Porto Alegre/RS

POIS ENTÃO - O TEMPO SERÁ O SENHOR DA RAZÃO

Isso desde há muito eu dizia. ¨Dá poderes para um homem e ele se revelará¨- também isto de certa forma costumava dizer e todos sabem disso.

Por estes dias li no ¨Diário Gaúcho¨ - um pequeno jornal do Grupo RBS - especializado em ¨tragédias¨ que o ¨zé povinho¨ gosta de ler. Traz anúncios também. Muitos anúncios. Principalmente de pequenos empregos.

Num deles, por estes dias eu li: ¨PRECISA-SE DE FUNCIONÁRIO QUE FAÇA TODO SERVIÇO - SERVIÇOS GERAIS¨

¨Tratar na av. Diário de Notícias - setor secretaria - Jockey Club do Rio Grande do Sul¨.

Mesmo serviço do Sapiranga. Estão procurando outro Sapiranga porque o ¨original¨ foi dispensado e todos aqueles que passaram por seu lugar - em mais de um ano desde fevereiro de 2013 ( quando foi ¨dispensado¨)- ATÉ HOJE - nenhum serviu ou sequer ¨chegou perto¨ dos seus préstimos.

Paga-se muito bem - ainda dizia o anúncio. 

Em tempo: Sapiranga está empregado como motorista e jardineiro em casa de família muito conhecida na zona sul de Porto Alegre. Dirige carro importado e leva crianças para a escola.

Dizem que recebeu dos vizinhos daquela família várias propostas. Todas foram recusadas. Haja vista a sua integridade e caráter. Tudo o que serviram ao Jockey Club do Rio Grande do Sul por cinquenta e quatro anos consecutivos...

Waldir Alves de Souza (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

EXIBIÇÃO DE GALA

Como já era de se esperar - creio que pela grande maioria dos turfistas -, PAINT NAIF humilhou seus rivais em plena reta final, e, de quebra, estabeleceu o novo recorde da distância. Sua aceleração final realmente impressiona. E o Lavor.... parecia o Lewis Hamilton pilotando a Mercedes. Sensacional. 

Parabéns ao titular do Stud São Francisco da Serra - extensivo a toda sua equipe - por mais esse craque na defesa de suas cores, bem como por seu feeling na aquisição do excepcional Crimson Tide.

Mario Veloso (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

DESMANCHA PRAZER

O(s) desmancha(s) prazer não estava(m) de plantão neste fim de semana

Tivemos pista seca e sem a maldita e famigerada cerca móvel.

E O RESULTADO TEM QUE SER PENSADO POR CRIADORES.

A festa ficou totalmente por conta dos nossos cavalinhos, e a quem de direito merece!!!

Parabéns Sir. Toni, esse bichinho corre hem !!! e muito !!!!

Aos ignorantes, incompetentes, mau intencionados e aproveitadores: NOSSA INDIFERENÇA !!!

Quando o(s) malfeitor(es) deixa(m): É DEMONSTRADA A QUALIDADE DA CRIAÇÃO NACIONAL !!!!

O TURFE AGRADECE AO PAINT NAIF, NOSSO NOVO CRAQUE E ÍDOLO DAS PISTAS !!!!

Sérgio Figueiredo Melgaço (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Senhores Comissários

Como turfista e espectador atento às corridas, surpreendo-me com a quantidade de erros na cronometragem dos páreos aqui na Gávea.

Nosso JCB já merecia um cronômetro eletrônico com precisão absoluta, fornecendo parciais para subsidiar os estudos dos apostadores, como existe em qualquer hipódromo importante no mundo.

Como tenho o hábito de gravar todos os páreos e por vezes parar a gravação em algum momento para verificar detalhes, percebi que no 6º páreo de sábado, a cronometragem parou ao registrar o tempo de 54s85. Olhando para a parte inferior do vídeo, facilmente percebe-se que faltava 1 corpo ainda

para o vencedor, DESEJADO MAGEE chegar ao disco. É fácil constatar o erro. Basta acessar o vídeo pelo site do JCB.

Seria muito dispendioso para o clube a aquisição de aparelhagem com tecnologia de primeira?

Alvaro Novis (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Amanhecer domingo lendo esse belo artigo de Paulo Gama não poderia ser melhor presente para minhas duas filhas turfistas apaixonadas. Somente a sensibilidade desse jornalista para ilustrar literalmente a felicidade que ficamos com a vitória desse craque Desejado Damascus. Muito obrigado Mestre Alcides. Muito obrigado Dra Cristina. Muito obrigado a toda equipe do Stud Alvarenga. Muito obrigado Paulo Gama e fica tranquilo que nos saberemos reconhecer a todos aqueles que se dedicam e amam o turfe.

João Fernandes (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Antonio Moura,

parabéns por sua postagem postagem com relação aos programas, valeu mesmo, estou seguindo a sua ideia só que não migrarei para outro lugar, com muito esforço estanquei, só volto quando esses " murrinhas" normalizarem a situação, se isso acontecer, em um certo ponto ate que é bom, não vão ver a cor do meu dinheiro e nem a de diversos colegas que também estão muito aborrecidos. 

Obrigado JCB.

Boa noite a todos.

Luiz Mario Vergueiro da Rocha Miranda (12/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Como proprietário ,gosto de acompanhar o treinamento e os aprontos matinais de meus animais. E fico impressionado com o fato dos proprietários e,principalmente, os treinadores não disporem de um local adequado para acompanhar o trabalho dos animais na pista. Não existe nenhuma arquibancada ou local em nível superior a pista, com visão total da mesma, para que o treinamento possa ser observado por completo. Em passado recente havia uma construção muito mal acabada , mas que ajudava um pouco....mas foi eliminada ,acho eu, para a construção do novo picadeiro. Acho que uma pequena estrutura metalica, bem planejada e concebida, seria muito útil e não custa tão caro assim!

Antonio Moura (11/10/2014) - Niteroi/RJ

UM IDIOTA A MENOS

A Gerência de Turfe do glorioso JCB fez ouvidos de mercador às inúmeras e justas críticas ao "novo" programa; formatação que entre outras sandices sonega do apostador informações de vital importância para que decida suas preferências.

Estranho, acima de tudo, que turfistas históricos que integram a administração Palermo não tenham interferido no sentido de resolver este assunto, cujas consequências refletir-se-ão no já combalido MGA.

Deixar tudo do tresloucado jeito que está é um direito deles; protestar à minha própria maneira é um direito meu. Assim sendo, mesmo chorando lágrimas de sangue, a partir de hoje não aposto um níquel sequer nos páreos da Gávea! Migro, sem qualquer remorso, para os páreos internacionais via Codere, a qual, já antevendo o descontentamento dos turfistas locais, já tratou de tabelar as apostas mínimas em R$ 4,00, um significativo aumento de 100% sobre o índice anterior.

E até que se verifique o desejado sopro de vida inteligente, um idiota a menos deixa de lado as corridas do maravilhoso Hipódromo da Gávea: eu!

Antonio Moura

Luis Alberto Rodrigues de Souza (11/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Lendo emocionado (e nao poderia ser de outra forma) o relato do meu amigo Joao Baptista a respeito do Icone, vi citado o Narville como recordista de vitorias na Gavea. Este Narville, cavalo sensacional e de ferro, foi trazido ja bastante ganhador do Cristal pela sra. Marlene Fernandes Serrador para quem ganhou diversas carreiras. Adquirido por mim em sociedade com outro amigo Claudio Stiebler veio a ganhar para nos um total de 9 pareos e depois passou a ser de propriedade do Stud Quintella para quem tambem ganhou corridas e finalmente passou a outra propriedade e treinado pelo Jonas Guerra e por ali tambem ganhou, totalizando, segundo o livro publicado pelo JCB chamado Um Seculo de Historia. 27 vitorias em sua campanha no Hipodromo da Gavea, recorde que dificilmente sera batido.

Presto entao minha reverencia e homenagem a este cavalo que, longe dos holofotes ou primeiras paginas, deixou registrado seu nome.

Pasqual Evangelista (11/10/2014) - Valinhos/SP

MARCELO ALMEIDA

Alguns mexeram com o homem e ele mostrou sua categoria no primeiro páreo.

Paulo Cesar Correia (10/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa Tarde, 

Não sei se estou escrevendo para setor certo, mas de alguma forma se não for, favor encaminhar esse e.mail para o setor responsável pelo novo programa do jockey, que está causando tanta insatisfação aos nossos turfistas.

Realmente, pra quem é turfista o novo programa deixa muito a desejar, principalmente para principiantes que tem como base o nr de corridas e vitórias do cavalo (tanto na areia como na grama) onde se baseiam para decidirem suas apostas. Muito me admira o Jockey Clube, cujo objetivo é atrair o publico pra o turfe, e no entanto está cada vez mais dificultando a vida dos turfistas, com mudanças desnecessárias. Em vez de melhorar o programa com mais informações esclarecedoras, prejudica os apostadores, omitindo um item tão importante que é a campanha dos cavalos. Sou amante do turfe desde jovem, gosto de apostar, gostava de frequentar mas, infelizmente com tantas "mudanças desfavoráveis" ao longo do tempo, estão afastando cada vez mais, o publico turfista. É lamentável. Atenciosamente, Paulo Cesar

João O. Tomczak (10/10/2014) - Curitiba/PR

Concordo inteiramente com as críticas ao novo programa dos páreos da gávea. A pessoa que o bolou, não deve entender nada de corridas, retrospecto e demais informações, nem deve ter feito apostas antes. é o que dá a entender. Urgente, voltem com o velho programa que pelo menos era mais informativo que o atual.

Octavio Jose Ferreira da Silva (10/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Rogerinho.

Boa Tarde.

Fico contente com sua postagem...

Faz muito tempo que você mudou para MG...

Com relação ao JCC ligue pros meus contatos telefônicos que lhe explico tudo caso não tenha entendido quando de seu contato...

Com relação ao Jockey de MIneiro acabou e o local esta todo construído...

Com relação ao JCP infelizmente passa por problemas junto ao MAPA com relação sua Carta Patente...

Aguardo seu contato.

Forte Abraço.

Octavio.

João Fernandes (10/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

" PROGRAMAS "

Muita falta de consideração com os apostadores, o que foi alterado não muda nada, praticamente uma semana de RECLAMAÇÕES e nada foi feito para que a situação voltasse ao normal, continua uma mer....

Se eu não fosse tão viciado o certo seria ao chegar no credenciado não pegar nenhum programa e ir embora até semana que vem até que fosse normalizada a situação.

Infelizmente adoro o jogo ai não adianta reclamar, o JCB sabe disso e estão cagand...e andando para quem sustenta esse movimento que aos poucos esta minguando. 

Bom dia a todos.

Ps. Sr. Claudio da Silva, não me leve a mal, sem querer defender ninguém, mas querer que as pessoas achem o jóquei Marcelo Almeida um "Craque" o Sr. esta de brincadeira, as pessoas aqui postam o que acham, opiniões, etc, não entre em debates para se estressar não vale a pena, faça uma acumulada e vá torcer pelos seus favoritos, que Deus nos proteja.

Ari Pedro Lopes Chalita (10/10/2014) - Vespasiano/MG

Bom Dia

Amigos do Raia Leve

Sou turfistas há mais 40 anos e quando se fala no Serra Verde fico saudoso com a época e dedico aos turfistas do Raia Leve um pouco de história.

Gostaria de informar que: Jockey Club de Minas perdeu seu Hipódromo por divida, hoje no local foi construído pelo então Governador de Minas Aécio Neves o centro Administrativo do Estado, fica na grande BH perto do CT do Galo na divisa dos Municípios de Belo Horizonte e Vespasiano.

Tive prazer de fraquentar o Jockey Club Mineiro foi atração nas tardes de sábados e domingos, conheci grandes que Presidentes (Médico Cadar foi o maior deles), proprietário que amavam os cavalinhos, fez do Jockey Club umas das atrações do lazer Mineiro.

Também tive oportunidades de acompanhar vários cavalos de procedência do JCB, raia de excelência para recuperação dentre eles: Pico Central.

História do Turfe Mineiro

Desde a fundação de Belo Horizonte havia sido destinada uma área para a construção de um hipódromo; na volta desta área desenvolveu-se o bairro Prado. O hipódromo foi inaugurado em 8 de julho de 1906, conhecido como Hipódromo do Prado Mineiro. No dia 10/08/1938 foi fundado o Derby Club de Belo Horizonte, uma sociedade com a finalidade de reorganizar o turfe na cidade. Foi eleita a primeira diretoria, e a presidência foi entregue a um militar, ao capitão Franklin Rodrigues de Moraes. Mas no dia 14 de outubro ele renunciou à presidência e o cargo passou para o vice Clóvis de Magalhães Pinto.

As corridas de cavalos eram realizadas quase sempre aos domingos. Em 1942 foram interrompidas e só retornaram em 1944 por iniciativa de Menotti Mucelli, que assumiu em 16/09/1944 a presidência da entidade, já com o nome de Jóquei Clube de Belo Horizonte. As atividades continuaram até 1951, quando acabaram de vez as corridas e a área foi absorvida pela Polícia Militar de Minas Gerais, que instalou ali um quartel e a Academia de Polícia Militar de Minas Gerais.

Primeiros Presidentes[editar | editar código-fonte]

10 de agosto de 1938 – Primeiro presidente, Capitão Franklin Rodrigues de Moraes, tendo como 1.º vice o Dr. Clóvis de Magalhães Pinto. A entidade foi fundada nesta data com o nome de Derby Club de Belo Horizonte.

14 de outubro de 1938 – Clóvis de Magalhães Pinto, o vice-presidente, assume interinamente a presidência com a renúncia do Capitão Franklin Rodrigues de Moraes.

07 de novembro de 1938 – Clóvis de Magalhães Pinto é eleito presidente pelo Conselho Deliberativo.

13 de outubro de 1939 – Clóvis de Magalhães Pinto é reeleito presidente pela Assembléia Geral.

22 de setembro de 1940 – Clóvis de Magalhães Pinto é reeleito presidente pela Assembléia Geral.

04 de novembro de 1941 – Clóvis de Magalhães Pinto é reeleito presidente pela Assembléia Geral.

25 de setembro de 1942 – Cecílio Fagundes é empossado presidente pela Assembléia Geral, para mandato de dois anos. Álvaro Batista de Oliveira é indicado presidente de honra.

19 de outubro de 1942 – A entidade muda o nome para Jóquei Clube de Belo Horizonte.

16 de setembro de 1944 – Menotti Mucelli é eleito presidente pela Assembléia Geral. Juscelino Kubitschek é o presidente de honra.

05 de outubro de 1946 – Bento Gonçalves Filho é eleito presidente pela Assembléia Geral.

10 de março de 1947 – Renúncia coletiva da diretoria.

01 de maio de 1947 – Alberto Deodato é empossado no cargo de presidente para completar o biênio 1946/48, com o Coronel Manoel Joaquim Guedes como 1.º vice e Bento Gonçalves Filho como 2.º vice.

18 de outubro de 1948 – Carlos Alberto Quadros é empossado presidente, com Arsênio Garzon (1.º vice-presidente) e Hélio Lodi (2.º vice-presidente).

O Serra Verde foi o principal hipódromo que existiu em Belo Horizonte, funcionando regularmente de 1964 a 2006 no Bairro Serra Verde, quase na divisa com os municípios de Vespasiano e Santa Luzia. Pertencia ao Jockey Club de Minas Gerais, uma sociedade turfística que foi fundada ainda na década de 50, na capital mineira.

As corridas só foram iniciadas com a inauguração oficial do hipódromo, em 04/04/1965. Como estava começando do “zero”, ela só foi possível graças à cidade de Curvelo, situada a 160 quilômetros de Belo Horizonte, que tinha corridas regulares com cavalos mestiços. Toda a infra-estrutura turfística de Curvelo foi importada: cavalos, jóqueis, treinadores, proprietários e aficionados.

No dia 13 de junho foram iniciadas as corridas com os cavalos da raça Puro-Sangue Inglês, a mais utilizada para a prática deste esporte em todo o mundo. Mas em 1967 as corridas foram paralisadas para a reforma total do hipódromo.

No dia 17 de maio de 1970 o Hipódromo Serra Verde foi reinaugurado, com instalações que o colocavam entre os melhores do país. A pista era de areia, formato oval e tinha cerca de 1.700 metros. As arquibancadas eram amplas. As cocheiras tinham capacidade para aproximadamente 200 animais.

A partir daí passou a ter corridas regulares, exclusivamente com os puros-sangues, na média de uma reunião turfística por semana, com quatro a seis páreos, que agrupavam entre 5 e 10 cavalos.

Na década de 80 o clube viveu a sua melhor fase. Grande parte dos cavalos pertencia a proprietários cariocas e as cocheiras ficavam cheias na época do verão, pois muitos cavalos do Rio de Janeiro tinham problemas de saúde nesta época do ano em virtude do forte calor da cidade.

No início do século XXI o clube passou a enfrentar severa crise financeira e a última corrida de cavalos foi realizada no dia 07/02/2002. Continuou a existir como centro de preparação para cavalos que corriam no Rio de Janeiro. No dia 15/02/2006 o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, desapropriou o Hipódromo Serra Verde para a construção de um centro administrativo, projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer para ser a nova sede do Estado.

Presidentes: 

Herbert Magalhães Drumond - 1958 a 1960

Bento Gonçalves Filho - 1961 a 1963

Navantino Alves - 1965 a 1966

Paulo Emilio Nelson de Senna -1969 a 1970

José Maria Alkmin - 1970 a 1972

Benzion Levy - 1972 a 1974

Perseu Oridal Vigne - 1974 a 1975

Moacyr Andrade Ribeiro de Oliveira - 1975 a 1978

Adelmar Cadar - 1979 a 1985

Humberto de Mattos Reis - 1985 a 1988

João Alves da Silva - 1988 a 1991

Roberto Valente de Oliveira - 1991 a 1992

Antônio Cadar Neto - 1993 a 1997

Helmar Lobo Tenreiro Aranha - 11/12/1997 a 30/06/1998

Harold Alvarenga - 01/07/1998 a 31/01/2001

João Virgílio Sifuentes Costa - 01/02/2001 a 26/04/2001

Helmar Lobo Tenreiro Aranha - 27/04/2001 a 30/08/2001

 

relação dos grandes vencedores do Serra Verde:

Blanquito – 20 vitórias entre 1986 e 1990

Xatonaby – 18 vitórias entre 1993 e 1998

Habib Abidu – 18 vitórias entre 1997 e 2001

Máster of Woodbine – 17 vitórias entre 1990 e 1993

Pendragon – 13 vitórias entre 1990 e 1994

saudades dos bons tempos que não voltam mais.

Fontes[editar | editar código-fonte]

BARRETO, Abílio. Belo Horizonte, memória histórica e descritiva – História Média. Belo Horizonte: FJP, 1996.

PENNA, Octavio. Notas Cronológicas de Belo Horizonte – 1711-1930. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1970.

MOURÃO, Paulo Krüger Corrêa. História de Belo Horizonte, de 1887 a 1930. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1970

RODRIGUES, Márcio de Ávila. História do turfe em Belo Horizonte.

Chalita

Gilberto Werner (10/10/2014) - Porto Alegre/RS

MAQUIAR

Significa ação de realizar melhorias ( em algo ou em alguém) para causar boa aparência e/ou ação de encobrir alguma coisa. Isto no sentido figurado da palavra.

O Jockey Club do Rio Grande do Sul possuia há cinquenta anos DUAS pistas de corridas. Uma - a de areia - foi inaugurada com o hipódromo em 1959. A outra - a de grama - tão esperada, na década de oitenta, que igualou o JCRGS com o JCB e o JCSP.

Pois bem, por um acordo entre a Prefeitura de Porto Alegre ( que vai construir ao lado do Jockey um terminal de ônibus) teriam de serem dominuídas as duas pistas em seu perímetro. O diretoria do Vecchio então resolveu ¨acabar¨ com a pista de grama e faze-la de areia - enquanto desativaria a pista de fora - a de areia - para refaze-la depois. Para isso gastaram ¨sei lá Deus o que¨ nessa construção. Até ¨uma inclinação de tantos graus¨ na curva fariam para melhorar o desempenho dos cavalos - na curva - e transformá-la ¨igual a pista de Maroñas¨. Tudo isso a um custo que jamais foi mencionado. Jamais depois alguém falou sobre esta ¨inclinação¨ que seria ¨excelência¨ e ¨modernidade¨ para o Cristal....

Diz a experiência que ¨em time que está ganhando não se mexe¨- o que poderia ser aqui, no caso, levado em segundo plano. Explico: se há cinquenta anos esta pista de areia ¨serviu¨ ao JCRGS - por que não lhe bastaria somente uma reforma? Que tirassem TODA a areia. Que a nivelassem e colocassem novamente areia nova e específica para as corridas - não seria melhor no caso? Menos custoso e trabalhoso?

Mas não! Gastaram e fizeram uma pista exemplar no lugar da pista de grama que foi extinta. Não existe mais grama no Cristal. Agora estão, novamente, construindo a pista de fora - a de areia - e farão ( parece) novamente no lugar da antiga pista de grama- grama novamente!

Que me desculpe o Antônio Moura! Parece ¨ser coisa de português¨...

Pois bem - atendendo ao título acima - me parece que estão ¨maquiando¨ o JCRGS. Nesse espaço de tempo foi vendida a Vila Hípica do JCRGS. Os cavalos ainda ¨não se sabe para onde vão¨. Até agora ( hoje) não há um consenso sobre isto. ¨Há controvérsias¨ e muitas ...

Agora - pela sua prepotência - o presidente do JCRGS deflagra uma possibilidade de greve dos profissionais do turfe no Cristal. Ninguém ( os profissionais) está contente com a resolução da CC do JCRGS - que usa de dois pesos e duas medidas - para julgar o mesmo caso de suspensão à treinadores. E Vecchio - na sua prepotência - QUE DESCONHECE O QUE É A PALAVRA ¨ÉTICA¨- deflagra esta possibilidade de greve.

O episódio do ¨desafio¨ foi muito bom para o JCRGS. Foi único mas foi um caso isolado. Não partiu da ¨cabeça¨ do Vechio. Partiu da sugestão de outra pessoa - no caso ¨um sujeito¨ suspeito, desde há muito, em suas ações.

Pois ainda o JCRGS possui um MGA muito bom. Mas um MGA maquiado - do jogo de fora do Cristal - tornando-o um refém de outros clubes de corridas no Brasil. Pois por aqui, até uma antiga agência a da Zona Norte de Porto Alegre, fechou esta semana. E não se fala em abrir outras agências pelo interior do estado.

Não há marketing externo das corridas que se realizam em Porto Alegre num recinto extremamente fechado. Encobertas ( as coridas) por ¨um muro e um mato vergonhoso¨ que NINGUÉM deste ¨grupo político¨ do Vechio atenta em modificar ou melhorar. Ninguém em Porto Alegre sabe das corridas no hipódromo do Cristal. Ninguém.

Até foi - me disseram - publicado no jornal ¨daquele sujeito¨- que Vecchio busca somente auxílio nos seus próprios pares caracterizando assim ¨o grupo político¨ em que atua. Quando o JCRGS foi - até há bem pouco tempo - um ¨CLUBE¨ conhecido e frequentado mesmo por aqueles que somente o visitaram. Agora - em decadência total - onde até os profissionais não estão contentes...

Este é ¨o presidente dos presidentes¨ de que algumas ¨cabeças¨ tem a coragem ( ou o desconhecimento) de afirmar?

À tudo isto que está acontecendo no JCRGS atualmente eu chamo de ¨MAQUIAGEM¨.

Eloi de Souza Ferreira (10/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Admiráveis Bruno Ulloa, Leléu e Vado:

Já está virando rotina, parabéns de novo a todos vocês.

09 Corridas seguidas

Dois 5º

Um 3º

05 Vitórias de Grupo

01 Vitória Clássica Sábado Passado com a Cotovia - 6º Páreo

Vocês são só alegria para seus proprietários

Comendador Eloi de Souza Ferreira 

Stud Zeca Vascaíno

Stud E & R

Luiz Victor Marcelino Rocha (10/10/2014) - Campos dos Goytacazes/RJ

SR ROGÉRIO GADELHA

O jockey club de campos nunca mais voltará.

A ATUAL DIRETÓRIA ABANDONOU NOSSO HIPODROMO.

Claudio da Silva (09/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Elton Pereira de Souza

Por acaso é parente da Sra. Deise de Freitas? Acho estranho ela parou de criticar o referido jóquei e logo depois vem você, pra encerrar, ele é o sexto colocado na estatística, com quatro vitórias a menos do C. Lavor. 

Sugiro que você critique o programa do jóquei, a comissao de corridas etc.

José Augusto Seabra Sales (09/10/2014) - Brasília/DF

Endosso os cumprimentos do Sr. João Baptista M. Vargens a competentíssima Drª. Adriana Lioi. Em sua rápida passagem por Brasília, ainda no início de sua brilhante carreira profissional, já se fazia diferenciar dos demais pela maneira de tratar seus "pacientes". Nosso fraterno abraço.

Seabra e Ieda.

Jose Roberto Giancristoforo (09/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Programa Oficial da Gávea é alvo de muitas críticas [08/10/2014

Teimosia é a virtude dos incompetentes e prepotentes que sempre levam ao fracasso e não vai ser diferente com essa nova apresentação do programa oficial, continuem a teimar em contrariar os apostadores para ver aonde vai para o turfe. Pena que os dias demoram a passar para podermos colocar todos no olho da rua, sinceramente meu saco está chegando ao limite e vai estourar não demora muito como de muito outros apostadores.

Rogério Siqueira Gadelha (09/10/2014) - Sâo Domingos do Prata/M

Otavio

Aqui é o Rogerinho

Queria saber

Se os Jockey Club de Belo Horizonte Jockey Club do Parana e Jockey Club de Campos

quando vâo voltar a ter corridas de cavalos

Elton Pereira de Souza (09/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr Claudio da Silva 

Comparar Ricardinho e C.Lavor com o M.Almeida? Ricardo briga para ser o maior ganhador do mundo e o Lavor é um dos poucos jóqueis de exceção que temos hoje. Tem esse páreo mesmo? Os de qualidades iguais ao M.Almeida estão nas últimas como disse. Ganham um páreo aqui e outrio ali e nada mais. 

Sobre os agentes a verdade é que poucos são realmente gabaritados para escolher bem as montarias dos seus agenciados. Apenas viver 24 hrs dentro do JCB e conhecer treinadores não é o suficiente. Tem de ser um estudioso das corridas também.

Claudio da Silva (09/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sr. Elton Pereira deSouza

Lendo a tua postagem a respeito do M.Almeida, a impressão que eu tenho é que ele precisa de uma escada para montar no cavalo. Tenho como exemplo o J. Ricardo, está montando até hoje, inclusive com os problemas de saúde. Tem pessoas com oitenta anos que completam maratona. O C. Lavor é da safra dele, porque você não citou ele. O V. Gil, também não fica muito longe, veio de Campos, não montava nada, agora, virou jóquei de ponta. Uma coisa é certa, se não tiver cavalo não ganha, e agora com Agente de Montaria, o V.Borges e o D.Duarte abocanham sempre os melhores cavalos, sou contra porque desestimula os outros, sem falar na comissão de corridas que não desclassificam ninguém nem passa a mão na cabeça de alguns jóqueis e treinadores,

Elton Pereira de Souza (08/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sobre as críticas ao jóquei M.Almeida acho que não estão levando em consideração que ele vem de uma geração que já está dando os últimos suspiros. Teve seu ápice ganhando 2 GPs Brasil mesmo sem ser um jóquei de exceção, mas sempre mantendo aquela média apenas regular de vitórias. E hoje acredito que mesmo que tivesse um agente de ponta não teria o mesmo índice de vitórias que V.Borges, D.Duarte e V.Gil. A idade chega para todos, essa é a verdade.

Saudações aos amigos!

Adriana Lioi (08/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Querido Joao Batista,eu que agradeço a oportunidade de cuidar do Icone,bem como de conhecer proprietarios como voces que prezam e zelam pelo bem estar animal alem de dar total condiçao para que o tratamento fosse feito MUITO OBRIGADA!

Jose Roberto Giancristoforo (08/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Novo Programa Oficial da Gávea é alvo de muitas críticas [08/10/2014

Só uma coisa está errado no comentário do editor , nem aparência nem em termos visuais melhorou, tudo muito mal feito, mal programado , feito totalmente amadorista como tudo nessa administração e demonstrando que quem está a frente deve ser afastado imediatamente ,mas sabemos que nada vai ser feito e que vão continuar a fazer o que eles bem entendem. E assim vamos indo para um buraco sem fundo. 

Fiquei sabendo e parece que o absurdo vai continuar os jóqueis fazem peso para quinze dias depois e assim quando vão montar são punidos, que é a única coisa que eles sabem fazer, mas quando eles eram não são punidos e até as vezes ganham premio de viagem. Saudações turfistas.

João Baptista M. Vargens (08/10/2014) - Rio Bonito/RJ

Valho-me desse importante canal para registrar o meu agradecimento e o meu reconhecimento à Dra. ADRIANA LIOI, veterinária credenciada pelo Jockey Club Brasileiro, que, com a colaboração de funcionários e de residentes do Hospital Veterinário Octávio Dupont, obteve pleno êxito no tratamento dispensado ao animal ÍCONE, de minha propriedade, filho de Vettori e Darling Cathy, criado pelo Stud Mega, apresentado 55 vezes no Hipódromo Brasileiro, onde conquistou 18 triunfos e 33 colocações, sempre treinado pelo jovem e capaz CHRISTIANO OLIVEIRA.

O referido equino teve encerrada sua campanha em virtude de uma severa linfangite que afetou significativamente seu membro posterior esquerdo. Depois de inúmeras tentativas em vão, resolvi internar o puro-sangue no hospital do Jockey, aos cuidados da DRa. ADRIANA LIOI, que não mediu esforços para combater e debelar a infecção e, após pouco mais de um mês, o ÏCONE regressou, saudável, ao lar hospedeiro, um sítio no interior fluminense, trotando no piquete como um potro, para gozar confortavelmente as benesses de sua justa e merecida aposentadoria, proporcionando, assim, gáudio e júbilo a seus muitos admiradores.

Apraz-me cumprimentar publicamente a Dra. ADRIANA LIOI e os profissionais da medicina veterinária atuantes no Jockey Club Brasileiro, pela competência, zelo e dedicação, sobejamente comprovados em diversas oportunidades, condições "sine quibus non" para que se alcance o sucesso nessa nobre empreitada.

Claudio da Silva (07/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Prezada Sra. Deise Freitas

NÃO JOGUE MAIS NO MARCELO ALMEIDA,

Christian Antoniazzi (07/10/2014) - São Paulo/SP

Sr.Ronaldo,

Depois da "fritada" que daria o Bal A Bali no GP BRASIL, o senhor me vem com essa!

Quer dizer que o Arco do Triunfo foi "arrumado" a favor da TREVE!?!

Kkk

Sensacional!

Um abraço

Jose Roberto Giancristoforo (07/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições com o futuro do turfe brasileiro, como PSDBista , espero que a nossa vitória venha consolidar o turfe de uma vez por todas e não só o turfe ,mas que a moralidade volte a ser a parte mais importante da vida do povo brasileiro e que assim tudo fica mais fácil, vamos ao segundo turno com muita fé e vontade de trabalho.

Deise Freitas (07/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa noite

Sr. Claudio da Silva,

Porem deu "malhada", o dia fica para depois,

Nós também adoramos o M. Almeida, é gente boa mas vacila pra caramba.

Não venha me falar ou colocar outros jóqueis na berlinda.

Quero ver reclamar sem jogar........

Muito boa noite ao Sr.

ps..O Sr. Mancuso ninguém falou de deslealdade do rapaz hem, preste atenção o Sr. esta muito adiantado nas suas defesas....., boa noite também.

Antonio Moura (07/10/2014) - Niteroi/RJ

O ARCO

O atento turfista aqui do Rio de Janeiro, Sr. Ronaldo Cunha Diniz, conseguiu detetar páreo "mole" na disputa mais tradicional deste vasto mundo, em jogo uma dotação equivalente a quase dez milhões de reais e que atrai anualmente turfistas de todos os quadrantes, de Valinhos a Freixo-de-Espada à Cinta.

Eu me pergunto o que estará acontecendo por aqui face às combalidas dotações dos hipódromos nacionais.

Antonio Moura

Leo Friedberg (07/10/2014) - São Paulo/SP

Caro Dannemann e Diretoria

Não poderia deixar de elogiar a Associação Carioca e raialeve pela indicação do Otavio Leite- aquém gostaria de conhecer um dia e ao Aécio Neves quando tinha 15% (e teve gente que brincou com meu otimismo aquela altura). Só lembrando que não acabou a luta, só o 1* turno e, temos que lutar muito neste final

Luiz Antonio da Silva (07/10/2014) - Nova Iguaçu/RJ

Sétimo páreo / Gávea/ Noturna: o animal de n. 6 correu? Gostaria que de ser informado, pois não vi o dito animal na pista. Algo deve ter se passado com ele!

Marco Grado (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa tarde, é impossível, ler este programa!! Coitado da terceira idade. Tem que ser feito algo para voltar o que era, e pra piorar nem as ocorrências veterinárias é colocada.

Por favor assim está muito difícil!!!

Claudio da Silva (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sra. Deise Freitas

A malhada que eu dei no V, Gil, se prestar atenção, verá que a data é do dia 04/10, sábado e não ontem. Quanto ao M. Almeida, eu não gosto de injustiça, ninguém fala do aprendiz W.S. Cardoso

José Augusto Seabra Sales (06/10/2014) - Brasília/DF

O 10º páreo da programação de hoje na Gávea é em homenagem ao cavalo RIZZOLINI, aos 16 anos esse filho do craque Roi Normand x Iasmin Edge (Ghadeer) continua servindo na reprodução em nosso criatório. Sua semelhança física com seu pai é incrível, uma cópia perfeita. 

Brevemente pensamos em reservar alguns de seus produtos para o Turfe e quem sabe voltarmos às corridas.

Ronaldo Cunha Diniz (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Esse GP Arco do Triunfo foi páreo mole! Todo mundo abre para a Treve passar por dentro e vencer!

Luiz Fernando Dannemann (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Eleições versus o futuro do turfe brasileiro

Muito expressiva a votação do Otávio Leite que consolida uma parceria muito importante com a ACPCPSI que visa – entre outras premissas -, o cumprimento da Lei do Turfe. Já teremos uma agenda programada para 22 de Novembro em Brasília, este será o melhor presente de natal para as corridas de cavalo.

Muito expressiva a votação de Aécio Neves que pode consolidar outra parceria muito importante com a ACPCPSI que visa – entre outras premissas -, o retorno da CCCCN (compromisso assinado pelo candidato) que daria um tiro de míssil nos "presidentes" sociais, nos síndicos, na CODERE, na pretensão dos lobistas, amigos e demais interessados na CODERE, e, de quebra, vai colocar um RADAR para controlar a velocidade da movimentação dos recursos do JCB. Posso afirmar que caso Aécio vença o segundo turno teremos um Presidente na CCCCN que vai fazer história!!!

Com relação a ida do Aécio para o segundo turno devo ainda registrar (e rir pra valer) o deboche de alguns “caciques” da atual “tribo” do clube quando saiu a matéria na capa do site Raia Leve copiando o compromisso firmado pelo candidato do PSDB. Naquela oportunidade Aécio estava em terceiro há vários corpos do segundo colocado. Penso que as pessoas que riram da matéria ainda vão chorar...

No mais é parabenizar toda a direção da ACPCPSI pelo acerto das tratativas e, sobretudo, pela defesa do turfe brasileiro, uma associação de verdade que busca apenas o futuro do turfe brasileiro.

Antonio Moura (06/10/2014) - Niteroi/RJ

MARCELO ALMEIDA

Marcelinho sabe, como poucos, como se corre um animal ligeiro: dosa na medida certa, imprime o ritmo adequado para guardar reservas para os últimos duzentos e no final primeiro ele. Um filme já muitas vezes visto.

Não tem a mesma maestria para cavalos que ficam lá por trás, mas do lote intermediário para a frente dá conta do recado. Tem a enorme vantagem de ser confiável e cabe ao treinador entender a percepção da escolha da montaria adequada à estratégia de corrida do animal que inscreve. Gosto dele!

Antonio Moura

Deise Freitas (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Boa noite,

Sr. Claudio da Silva

O Sr. deu uma malhada na direção do V. Gil no 1 páreo corrido ontem, agora quer tirar onda de como se deve ver um páreo, não me leve a mal meu caro, da um tempo, achei que foi dada uma excelente direção, perdeu e dai, peripécias de carreira, agora se o Sr. é fã do M. Almeida tudo bem o problema é seu, o espaço aqui é democrático, ok.

Boa noite a todos.

Diego Vieira (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Espero que na próxima semana o JCB retorne com os programas habituais.Isso de trocar o certo pelo duvidoso NÃO foi aceito pela maioria dos apostadores.esse "TAL" padrão Internacional,não agradou ninguém.Nunca é tarde para consertar um erro.

Mariel Mozart Vinicius Muller (06/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Mancuso,

Não falei em momento nenhum em caráter nem na índole do Marcelo Almeida. Externei uma crítica, por saber que, como agente, seu papel e instruir e querer o melhor para ele. Achei que ele não foi bem nas duas direções. 

Acho que foram apenas críticas construtivas e que ele sempre teve um bom potencial como jóquei.

Não adianta saber correr apenas os animais pra ganhar correndo na frente. Limita o profissional.

Sem mais, um abraço e parabéns pelos seus trabalhos como agente. Sempre dão resultado!

Leandro Mancuso (05/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Incrível o que estão fazendo , em relação as montarias vide Vinci e cara mari, ambas ele cumpriu a ordem dada e fez de tudo para vencer, montou na garra e na raça , pois sofreu queda depois do disco com o cavalo " iron dog" na sexta feira... Porém ninguém fala da bela direção em fiction way , no 10 páreo. Me perdoem , mas o caráter e a índole de Marcelo , não devem ser contestados em hipótese alguma. Trabalho e honestidade são algumas de suas qualidades. abraço e boa sorte!!!!

Claudio da Silva (05/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Sra. Deise Freitas 

Sr. Mariel Mozart

Assisti de frente o páreo em que vocês estão criticando o jóquei Marcelo Almeida. Discordo completamente, vocês querem que ele coloque o cavalo nas costas. Vejam a corrida anterior do cavalo vencedor Aries, pagava mais de 20 por 1, ontem pagou 2,9. Prestem atenção e aprendam a assistir corridas e os casos extra corridas.

Deise Freitas (05/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Gostaria de manifestar a minha insatisfação quando aposto em um animal e o jóquei do mesmo não pode monta-lo, é substituido, tudo bem, mas pelo " tal de M. Almeida é duro, não consigo acertar principalmente se for o favorito, que coisa hem, esse rapaz é fraquinho embora seja um jóquei já bem cascudo, inclusive já ganhou ate GP Brasil, com poules altas, resumindo não gosto das suas direções ...

Queria também mandar um recado para a CAROL, café por uma barbada, que vem fazendo um belo trabalho, mas leve pessoas pé quente para tomar o seu café, com todo respeito não adianta levar grandes nomes "tudo pé frio , não acertam nada", acrescentando ainda inclusive o C. Lavor que acho um dos melhore jóqueis do turfe brasileiro, porém é fregues do A. Mota a muito tempo desde a época do Minion, lembram disso. 

Boa noite a todos.

Mariel Mozart Vinicius Muller (05/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Eu vou criticar numa boa...Vi oi M.Almeida montando Cara Mari hoje, e fiquei feliz. Acertei a favorita com o V.Borges "remando" e com vontade. Achei que o M.Almeida deu "sentadas" na Cara Mari, mas fiquei tranquilo, porque acertei...

Mas a direção dele em Vine Vici foi , no mínimo, ridicula. Coloquei Energia Emirates no meu pick e em minha acumulada de place. Mas a direção do citado jóquei em Vine Vici foi bizarra. O agente Leandro Mancuso que me desculpe, mas tem que colocar seu agenciado em uma academia. Tempos são outros...

John Pires Barreto Alexandrino (05/10/2014) - Belo Horizonte/MG

Sr. Marco Aurélio de Souza Lage,

Estou fechado com o caro colega, existem determinadas pessoas que me causam nojo, vou ser curto e grosso tão simplesmente para que o meu texto não corra o risco de não ser publicado, pois a vontade era de usar outro tipo de vocabulário. Se esse cidadão que ver gente bonita que procure outro lugar, não vá ao Hipódromo! A Feira de São Cristovão é feita de pessoas trabalhadoras e honestas e lá freqüentam com grande freqüência um grande número de cariocas. Este “turfista” tão lindo, elegante e cheiroso sabe quantos proprietários existem no eixo Gávea/Cidade Jardim que são “paraíbas”? Sabe quantos profissionais que trabalham e abrilhantam as corrias nos dois Hipódromos que são nordestinos? É cada um que me aparece que vou parar por aqui.

John Pires Barreto Alexandrino

Claudio Afonso Baron Tiellet (04/10/2014) - Itaara/RS

Ao JCSP!

Como Professor, criador, proprietário, turfista apaixonado e brasileiro que sou, quero registrar meu protesto aos responsáveis pela elaboração do novo sítio do JCSP.

É lamentável que em um hipertexto tão bem feito, alguém, como num repente lampejo, resolva colocar no menu a expressão RACE DAY. Esta é uma página do Joquei Clube de São Paulo, situado no Brasil e não em um pais com língua inglesa.

É no mínimo falta de bom senso, de conhecimento e ignorância das regras da nossa língua nativa. Para se demonstrar cultura não é necessário este tipo de apelo.

Tenham a brasilidade de corrigir tal engano!

Atenciosamente.

Claudio da Silva (04/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Correu o primeiro páreo, acho a corrida do V. Gil, brincadeira, favorito, ficou pra último atropelou a meio de raia e chegou a dois corpos.

Pedro Baluardo (04/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O programa está pior em tudo. Sumiram as ocorrências, tanto na parte veterinária como de raia, letras diminutas, somente o nome dos animais em letras visíveis. Como pode uma administração errar tanto?

Sergio Lessa (04/10/2014) - São Gonçalo/RJ

Caramba acertar uma acumulada de 4 animais é como achar água no deserto, agora visualizar a programação nesse formato de programa da Gávea é como achar uma agulha num palheiro, nem com o meu óculos de um certo grau consegui visualizar, tudo está mais problemático para o turfista, será que vou ter de usar uma lupa como o Sherlok Holmes tentar descobrir as informações?

Antonio Moura (04/10/2014) - Niteroi/RJ

O NOVO PROGRAMA - II

Ontem, sexta-feira, não encontrei um só apostador que não tivesse colocado a boca no trombone, reclamando contra a nova formatação gráfica.

Reclamam de tudo, mas reclamam principalmente, face ao hábito de dobrar o programa na vertical em três partes iguais (uma tradição de décadas), que a fundamental informação sobre a distância do páreo, se esconda no outro extremo da formação dos animais, peso, jóquei e proprietário. Um absurdo, realmente - coisa de quem não é do ramo!

Cadê o Dr. Sérgio, para botar ordem na casa? Estamos caminhando de cavalo para burro! E olho no decadente MGA, o legítimo termômetro de todas as sandices assacadas contra o turfe carioca.

Antonio Moura

Francisco Avila (04/10/2014) - Porto Alegre/RS

Celso Junqueira

Nos próximos dias 10, 11 e 12 de outubro a cidade de São Jeronimo e mais precisamente o Jockey Clube estarão em festa. Acontece nesta data o aniversário do presidente desta entidade, sr. Celso Junqueira, e junto um Grande Premio na distancia de 450 mts, Estarão presentes turfistas da cancha reta de várias localidades do Rio Grande do Sul e do Brasil. Celso, o popular ¨Xandico¨é uma pessoa muito querida por todos, reteiro¨das antigas¨ foi ganhador de muitas carreiras e agora completando 78 anos, volta a presidência deste clube, com força total. Na cancha reta, por sorte, temos bons administradores, e o Celso é um deles, que junto de sua equipe capitaneada pelo Paulo (Binda)Müller, vai fazer tremer o Jockey Club de São Jeronimo. Estão acertados animais de diversas localidades do país.

A festa começa na sexta feira ao meio dia e não tem hora para terminar, quando o Celso estará recebendo seus amigos, e continua no sábado a tarde com a apresentação dos animais inscritos para o GP, e a noite o inicio das apostas de remates. As eliminatórias serão corridas no domingo a tarde e a grande final na segunda feira.

Estaremos lá, com toda certeza,

Wellington Lima Rocha (04/10/2014) - Dourados/MS

Olho em Bivaque no 2º páreo. Único ligeiro, mais aclimatado à distância, com cerca de 12 metros, deve pontear e não ser mais alcançado. Sua mãe, Girl Night (Roi Normand), só corria bem desferrada.

Francisco Avila (04/10/2014) - Porto Alegre/RS

Ao sr. Mariel Mozart Vinicius Muller

Prezado sr.

Concordo com tudo o que o sr. escreveu a respeito da Riboletta. E parabenizo por suas palavras, é exatamente o que eu penso. Um forte abraço.

Chico Ávila

Jose Roberto Giancristoforo (04/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Fui um dos primeiros como sempre a combater tudo que é feito pela atual administração e, essa ultima troca da apresentação do programa além de imbecil , amadora, acho que foi intencional, pois não posso acreditar que consigam juntar também burrice em um só movimento e digo que a comissão tem que tomar medida urgente se possível ainda para esse final de semana w voltar tudo como era antes , já que o presidente do JCB nada faz nada sabe e parece ser um fantasma que ninguém vê e nada sabe de corrida de cavalo. Ontem a reclamação era geral e todos cada um reclamando de detalhe que nem se pode mencionar o que foi comentados, su miram com o nº de vitória do cavalo na grama e geral . Acho que foi intencional a mudança deve ter algo estranho que vai ainda aparecer, agora é torcer para que os dias passem rápido para vermos longe todos esse que ai estão longe do JCB , digo todos que pouco ou muito participam da atual administração como diretor , assistente e funcionário, essa para mim foi a gota d’agua, chega já mostraram toda a incompetência e e que realmente não gostam nem querem saber de cavalo de corrida , rua pelo amor de deus .

Leonel Alvim (03/10/2014) - Porto Alegre/RS

Ao Sr.

Sergio Filippo !!

Apenas para fazer justiça! O jóquei N. SILVA não montou ontem. O jóquei do animal do 1º páreo de ontem, foi E.S.Teixeira.

Apenas observação minha... Este animal decaiu muito em suas últimas atuações. Pela minha observação pessoal, respeitando sua opinião, absolvo o jóquei E.S.TEIXEIRA, um dos líderes da Estatística.

Saudações, e me perdoe pela intromissão.

Abs.

Leonel Alvim

Helenilton Faria (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Está ficando muito ruim, pois muda toda hora as apostas, agora mudar o modelo dos programas, como quer divulgação do jogo, a gente explica como ver o programa para uma pessoa aprender a jogar, eles vão e muda tudo, assim fica difícil

Luiz Mario Vergueiro da Rocha Miranda (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Mais uma vez, estamos com a piscina fechada!

Desnecessário dizer o quanto o trabalho na piscina é importante para o treinamento e tratamento dos animais.

Lógico que problemas acontecem e manutenções precisam ser feitas.

Entretanto, no caso da UNICA PISCINA disponível no HIPODROMO DA GÁVEA, as intervenções necessárias necessitam ser administradas e geridas com o grau de urgência que a liberação da mesma para uso, nescessita.

A previsão de parada é de 21 dias............Vamos ver quanto tempo vai demorar a manutenção.

Marco Aurélio de Souza Lage (03/10/2014) - Niteroi/RJ

É triste ler o comentário de que os frequentadores são ralé e paraibas, um preconceito fora de propósito, pois, talvez devido a esta ralé e a estes paraibas, o JCB ainda se mantém de pé.

Naquele local o que deveria ser combatido é o uso de pessoas fumando, cigarros e charutos, pois, trata-se de local fechado

Jose Antonio Barros (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

As duas piores diretorias desse ano já foram escolhidas para disputar o trofeu " O ASNO", a escolha entre a Diretoria do Botafogo e a Diretoria do Jockey Club do Paraná vai ser decidida no fotochar e daqueles bem modernos, pois a burrice e a incompetencia de ambas, os torna merecedoras do trofeu até o fim do século.

Antonio Moura (03/10/2014) - Niteroi/RJ

O NOVO PROGRAMA

Há que concordar com todas as críticas que aqui apareceram sobre a formatação do novo programa oficial do Hipódromo da Gávea. E se algum mérito houve foi o de ressuscitar a importante informação sobre o avô materno do produto que em má hora foi excluída.

Que não façam ouvidos de mercador às pertinentes críticas de quem entende do riscado (o apostador), é o que se espera de uma Gerência de Turfe qualificada. 

Antonio Moura

Christian Antoniazzi (03/10/2014) - São Paulo/SP

Bom dia.

Domingo, a volta do mito UAREADEMON!

Isso sim deve ser explorado....cavalo exepcional, tordilho , INVICTO!!!

Na torcida dos amigos DIEGO E MARIO ANDRE.

VAMO CONTUDO!

Abraços

Leo Friedberg (03/10/2014) - São Paulo/SP

Parabenizo a Karoll Loureiro pelo seu esforço e dedicação ao fazer o seu programa "Café por Barbada" pela Internet e pela escolha do carismático Quintella, um figuraço do BEM. Nota CEM

Mariel Mozart Vinicius Muller (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O JCRS faz um belo trabalho na recuperação do turfe, no estado e além de suas fronteiras. Transparece a imagem de união por um objetivo e crescimento em credibilidade. Erram, mas hoje acertam muito mais em um busca de um objetivo maior. Acho que se observarmos um gráfico, as linhas só demonstram crescimento em todas as linhas.

Acho que o posicionamento das câmeras ainda prejudica. O julgamento de algumas diversidades de retrospecto também. Mas a evolução é muito maior.

Faço esses comentários para questionar se é necessário nesse momento de crescimento, em que o turfe está frágil, mal das pernas, uma coluna "polêmica" como essa da tal Riboleta.

Tem necessidade de criar um desconforto entre os participantes de uma diretoria que tem feito muito mais o bem do que o mal? 

Acho que o turfe precisa de união, que aliás nunca houve, e as vaidades pessoais destruíram a maioria dos clubes.

Tem gente que quer ser mais real que o rei, que não consegue seguir uma linha de evolução e de colaboração. O simples fato de "alfinetar" já causou um mal estar entre as pessoas, o que não beneficia em nada.

Por essas e por outras que mais alguns anos, nem cavalos existirão para compor os programas, pois o número de criadores e proprietários decresce a cada ano.

O "ranso" que existe entre as pessoas e o querer aparecer mais do que querer resolver destruíram o turfe. 

O momento do JCRS merece muito mais que isso...

Francisco Rodrigues da Silva (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Parabens para Karol Loureiro,trazendo para seu programa medalhoes do turfe como o Dr antonio Landim M Quintela, 40 anos de turfe,

Grandes historias,

Parabens Karol..

Luis Claudio Mattos Reis (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

O novo perfil do programa, diminuiu as informações, ou seja o número de vitória que cada animal tem e quantas corridas na grama, na areia, colocações nas pistas de grama de areia.ou seja dificulta vida do apostador, que já não é nada fácil, infelizmente a tendência do turfe é cada vez mais a extinção.

Sergio Filippo (03/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

boa tarde a todos.. é com muita tristeza o que vimos no 1º páreo de Cristal nessa tarde de hoje. o Jockey N. Silva , jockey do cavalo "Clickclock", pule de R$ 1,00. Desde a largada ficou completamente sem passagem para brigar pela 1ª colocação e na entrada da reta, colocou para fora da pista, sem saber como estava o estado da raia. Revejam o Replay no site. Esperamos providencias da comissão de corridas de Cristal, pois o trabalho que vem sendo feito, não merece uma direção tão inexplicável. Abraço a todos..

Arlindo Adriano Gonçalves (03/10/2014) - Brasília/DF

Prezados Senhores

Há algum tempo estava afastado desta coluna, mais para evitar qualquer polêmica. Hoje, porém, ao pegar aqui na única agência de Brasília os programas da semana, não deu para segurar : péssimo o formato novo! Que coisa descabida! Vejam: ordem do páreo - no canto alto esquerdo ...certinho; distância do páreo lá na ponta direita...errado, totalmente errado: o segundo dado mais importante tem de estar junto da identificação da carreira; o retrospecto lá fim da folha..Não, pois se trata do terceiro elemento mais importante.

Tem de se usar uma régua para não embaralhar. Que composição ruim! Peçam para voltar o modelo anterior. "Em time que está ganhando não se mexe!" Que eles se lembrem que os turfistas, na maioria, são veteranos. Portanto, voltem com o padrão anterior, inclusive no tamanho das letras. 

No Brasil, inventor só o Santos Dumont,o da praça do Jóquei

Christian Sharp (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Por favor , a roda já foi inventada a seculos .Não se precisa mudar o que está certo ,somente algumas pequenas modificações que o tempo exige.

O que será dizer : " Além de proporcionar uma leitura mais leve ao apostador ".

Continuam brincando com fogo . Poderiam antes perguntar aos apostadores ,não acham ?

Como se encontra em moda : Consulta pública .

Contrataram pessoas a peso de ouro , e este é o trabalho deles sob a supervisão da gerente de Turfe , ou seja , não entendem nada de corridas de cavalos .

Roberto Fonseca (02/10/2014) - Brasília/DF

Caro presidente José Vecchio Filho, 

Mesmo distante de Porto Alegre, reconheço os avanços da sua gestão. Há duas semanas, o Jockey Club do Rio Grande do Sul deu um belo exemplo para os maiores clubes turfísticos do país. O desafio entre o Baze e o Ricardo está entre os 10 grandes momentos do turfe brasileiro em toda a sua história. Com a devida proporção, lembra muito o GP Brasil de um milhão de dólares porque trouxe o olhar estrangeiro para a atividade no país.

Mas, pelo jeito, nem tudo são flores no JCRGS. Em menos de 60 dias, volto a este espaço para criticar as mudanças feitas na Revista Cristal. E, agora, sinceramente piorou muito. O retrospecto disponibilizado nos sites do JCRGS, JCB e JCSP tem apenas as três últimas atuações. Antes, eram seis. Ou seja, uma redução de 50% nas informações disponibilizadas para os turfistas/apostadores. Já pensou se todo mundo diminuísse as apostas nas corridas do Cristal? Seria o caos, né?

É isso que ocorreu. A análise apenas das últimas três corridas prejudica demais o apostador. Como comparar as carreiras entre os mesmos animais? Saber quem correu no mesmo páreo de quem? Se está voltando um jóquei que já venceu com o animal em atuações anteriores? As informações que me chegam é de que as mudanças ocorreram porque houve uma troca na formatação da Revista Cristal. Parafraseando um comentário na comunidade Turfe Polêmica, no Facebook: "Quem fez isso não é do ramo". O nome disso é fogo amigo. É jogar contra a gestão promissora do JCRGS.

Aproveitando, vou bater numa tecla que também atrapalha a vida de quem acompanha as carreiras do Cristal pela televisão: o ângulo das câmeras. Melhorou, mas é preciso mais. Do que adianta dar EXCELENTES garantias de trifetas/quadrifetas, se o apostador fica vendo apenas os 3/4 primeiros colocados e não ENXERGA o animal que corre de trás. É preciso repensar isso também. 

Melhorias importantes para o apostador passam por informar os animais que vão medicados pela primeira vez de lasix, de anti-inflamatório, entre outros. Hoje (2/10), quatro animais vão medicados pela primeira vez de lasix, o tradicional L1. Quantos apostadores sabem disso? Poucos, muito poucos. Apenas aqueles que se dedicam a um estudo mais aprofundando têm acesso a essa informação. Se não cabe no retrospecto, por que não informar pelo menos no site os L1 e os A1, como já é o feito com o ferrageamento? É uma dado que cabe à Comissão de Corridas do Cristal fornecer. Além dos L1, há também os casos de animais que deixam de tomar lasix e voltam a tomar em carreiras seguintes. É o tradicional L2. Há um caso desse no 10º páreo de hoje.

Presidente Vecchio, continue a dar boas notícias aos turfistas!

Elsimar Rosa (02/10/2014) - Juiz de Fora/MG

Sou turfista que vai ao Jockey da Gavea com frequência menor do que gostaria . Desde que passei a residir fora do Rio de Janeiro o meu comparecimento , que era diário , passou a ser mensal.

Talvez por este motivo eu cada vez estranhe mais e mais a frequência da tribuna social do JCB , repleta de gente feia e mal encarada. Chega a assustar quem nunca foi ao lugar , que já foi uma referência de bom gosto em passado recente.

Há ali embaixo um quiosque feio que vende uma balas e paçocas e uns amendoins de saquinho , parecendo ter saído da feira dos paraíbas do pavilhão de São Cristóvão.

Dá muita tristeza ver o lugar repleto de gente bastante vulgar , todos dando uns urros de leão a cada páreo corrido , sendo que tem um rapaz magrinho que só fala palavrão quando agita o programa enrolado parecendo um chicote.

Não entendo por que ninguém faz nada já que não custa fechar o lugar como era antes, deixando a social para sócios , convidados e sócios-esportivos ( é esse o nome ? ) que pagam um valor mensal para frequentar a tribuna depois de analisados para ver se não são 171 , essas coisas.

Dr Palermo , o Sr deixaria aquela ralé de quinta categoria entrar na Hípica que o Sr presidiu com muito sucesso ? Eu tenho certeza que os sócios de lá iriam protestar muito acaso invadidos pela legião de desocupados que passou a povoar a social do Jockey .

Faça alguma coisa porque é triste de ver.Meta a vassoura por favor.

Helio Balsa (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Bom dia,

Parece brincadeira, mas estamos diante do novo layout do programa do JCB, não sei quanto tempo levou para ser concebido, mas com certeza foi cuspido, pois além de tudo mal idealizado, ainda colocam a seguinte nota no site " É importante frisar que ajustes serão feitos nas próximas semanas, como espaçamento e tamanho da fonte." Não tiveram tempo na elaboração. Agora tenho certeza, foi cuspido. É, vamos de mal a pior, e o turfista como sempre é o maior prejudicado.

Até quando o turfe do Rio aguenta?

Helio Balsa

Flávio Mainar Gomes (02/10/2014) - Porto Alegre/RS

Prezado Chico Ávila, 

Agradeço tuas palavras de incentivo, endossadas pelo Leo Friedberg. Saibam que a recíproca é verdadeira. 

Por óbvio, as palavras de uma covarde desprovida de brio jamais mudariam o rumo de minhas decisões. Todavia, como havia dito, minha contribuição perdura por mais da metade do tempo que tenho de vida. 

Entendo que a vida seja feita de etapas, e um dia esta deve chegar ao fim. Também mereço desfrutar o turfe. Quero poder trazer meus filhos ao Hipódromo, sentar no meu camarote e ficar uma reunião inteira bebendo e convivendo com meus amigos e os sócios. Sinto falta até de poder reclamar da Comissão de Corridas, também sou filho de Deus. Com certeza existem outros com os predicados que citaste, cabeças novas para arejar as ideias.

Mas o pior de tudo Chico é que tem quem defenda as atitudes dessa senhora. No Jornal do Turfe de hoje, foi utilizado o editorial inteiro para defender aquela que covardemente se esconde, como se fosse uma atitude digna. Quer dar credibilidade a um anônimo enquanto questiona a nossa e o utiliza, justificando ser uma brincadeira. Fica latente a diferença de princípios quando se vê tão frequentemente e corriqueiro o ataque à honra de pessoas de bem sendo encarado de forma tão banal. É do tipo que ofende em público, depois vem pedir desculpas em particular.

Contudo, tal atitude não me espanta. Esse mesmo editor que hoje pousa de arauto da justiça, é aquele que tempos atrás, durante longos anos chamava semanalmente de desonesta e incompetente esta mesma diretoria que hoje o acolhe. A diferença é que antes o dinheiro mal dava para pagar a luz e os funcionários e agora as coisas estão um pouco melhores.

Como meu nome foi citado no jornal, vou falar por mim:

Os casos utilizados como parâmetro, não tem nenhuma semelhança, tanto no retrospecto como na performance, basta assistir os vídeos do Jump Up e Papão, para notar que a comparação é esdrúxula. No caso aqui citado o Attack Force vinha de quase um ano parado e brigou entre os ponteiros até os metros finais, enquanto nos outros casos, os animais tiveram atuações pífias e não esboçaram reação em parte alguma do percurso, duas semanas depois venceram na mesma turma.

O L. C. Ávila foi dar explicações mesmo sem ser chamado e disse exatamente o que estava explícito no retrospecto, o tempo de inatividade e a boa corrida da volta, não alterando em nada na decisão. O que ele disse, todos já sabiam. Aliás, passamos a reunião inteira à disposição de qualquer profissional. Pelo menos na minha presença, lhes garanto que a explicação nunca foi negada. Inclusive, já voltamos atrás em nossas decisões mesmo depois de publicadas. Se por ventura isso não tenha ocorrido em outra oportunidade, deve ser encarado como uma falha, mas jamais como desonestidade como insinua ela. O problema é que nem sempre existem explicações e quando tem nem sempre convencem. Não estou dizendo que houve má fé, mas é inegável a divergência.

Concordo também com o Orlando Motta Filho, é uma aberração botar o nome de uma craque que tinha na coragem sua principal característica. Essa senhora não passaria de colocações no pior dos claimings. 

Para encerrar Chico, ao contrário do que disse o Rizzon, fizeste muito bem em vir a território neutro expor teu pensamento. Se quiserem contestar, que venham aqui, em condições iguais, botando o nome e CPF. Duvido!

Pretendo não voltar a chatear os leitores com esse assunto, por mais baixo que joguem. Quem me conhece sabe que não me sinto nada bem ao ter de tratar uma dama dessa forma.

*Constituição Federal;

Dos Direitos e Garantias Fundamentais

CAPÍTULO I

DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS

Art 5, IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

Diego Vieira (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Bola fora o novo estilo de programa do JCB. Não sei quem foi que pensou nisso,mas sei que não pensou no apostador. Dizem que tem coisas que só acontecem com o Botafogo,melhor dizendo,tem coisas que só acontecem no JCB.

Alexandre Santos (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Retrospecto do Rio Grande do Sul.

Gostaria de saber o motivo de diminuírem as informações do retrospecto dos animais, no retrospecto da revista só consta as últimas três corridas, quanto mais informação melhor para nós apostadores que gostamos de analisar as corridas para apostarmos.

Será que é questão de economia? economizar umas três páginas no máximo, acho que isso vai de encontro com as diretrizes do presidente Vecchio.

Elton Pereira de Souza (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Que infelicidade a nova formatação dos programas oficiais. Mudar uma coisa que já estava no sangue de todos os turfistas é querer atrapalhar nossos estudos. Não conseguem dar uma bola dentro! Incrível!

Jose Roberto Giancristoforo (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Antonio Jose de Mendonca Alves (01/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Meu caro o apostador que faz um bolo caro é que sustenta o bolo e eu conheço uns 10 que fazem bolo de 1000 acima e com certeza quando todos acertam a divisão da prejuízo e quando um só acerta é que todos outros sustentaram o movimento. Assim quem joga pouco tem chance de ganhar sozinho e uma bolada para o tamanho da sua aposta. Que venham mais e mais apostador com força do dinheiro, pois são esses que estão faltando para que o MGA se desenvolva. Abraço e boa sorte.

Jose Roberto Giancristoforo (02/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Ao chegar ao JCB hoje e assim que fui separar programas das corridas da semana me deparei com um formato totalmente diferente somente na posição das colunas das informações e como vi muitas reclamações lógicas pois apostador já estava acostumado ao formato antigo e assim já sabia de cor aonde estava a informação que ele precisa. Sinceramente se foi sem custo o novo modelo é caro e caso teve algum custo esse tem que ser devolvido pois é do desagrado total. Nem o tamanho da folha alteraram e as letras menores que dificulta em muito analise dos velhos turfista que a maioria usa óculos. Sinceramente a mudança com certeza não foi feita por um jogador que utiliza diariamente esse programa e sim com certeza por um amador que colocou numa sequencia as colunas que mais lhe agradava e que com certeza não vai utiliza-la nunca.

Outro ponto é que quem programou esse novo modelo nem se preocupou em saber como o apostador a utilizava e como a dobrava para sua facilidade. Conclusão só fazem tudo errado e mal feito, estou já curioso om certeza vai ser gozado e interessante, pois como disse deve ter sido feito por um amador que nem jogar deve jogar.

Antonio Jose de Mendonca Alves (01/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

A força do dinheiro no pick 7 da Gávea.

Os últimos concursos de 7 pontos da Gávea, só leva quem pode mais, o mais baratinho que conquistou o trinfo foi de mais de c$2.000,00, temos que voltar com o vintão para as apostas de menor valor ter como disputar, pois o apostador de valores considerados altos, poe todos todos e todos.

A sugestão seria aumentar o valor da combinação para c$10,00 para ver se os desfavorecidos pudessem disputar o premio.

Leo Friedberg (01/10/2014) - São Paulo/SP

Concordo com Chico Avila sobre Flavinho Gomes em gênero, numero e grau

Orlando Motta Filho (01/10/2014) - São Paulo/SP

Dona ’Riboletta’(que lindo nome,cavalos né?),espero que não seja sacrificada pelas baldas das primeiras corridas(sei la),quando as potrancas se esfuziam e saem em disparadas descontroladas.

Outros ’aqui’,hão de vir mais(e alguns metidos a entendidos e verdadeiros "CARRAPATOS" ’literários’ grudados no saco de quem lhe mantém este espaço e se acham)mas não se abstenha,continue e prove.Pois a prova,é o melhor do crime.E o melhor da corrida,é sempre o "CAVALO"...

Eloi de Souza Ferreira (01/10/2014) - Rio de Janeiro/RJ

Admiráveis Bruno Ullo, Leléu Ulloa e Vado Ulloa

Simplesmente PARABÉNS por todo trabalho maravilhoso que estão realizando nos meus cavalos.

Por exemplo: 06 corridas seguidas, 04 vitórias, um 3º e um 5º lugar, mais nenhum comentário, pois não precisa.

Com os meus pessoais agradecimentos

Comendador Eloi de Souza Ferreira.’.

Stud Zeca Vascaíno

Stud E & R

Francisco Avila (01/10/2014) - Porto Alegre/RS

Ao comissário Flávio Gomes,

Prezado Flavinho,

Tu tem toda razão, apesar de eu não ter dito Alto Nível e sim Bom Nível, tem uma singela diferença, ta de acordo?

Fico chateado que por estes tipos de comentários, tu pretende sair da CC, ao término deste mandato. Pois tu tem muito para contribuir com o turfe, com tua jovialidade, conhecimento e honestidade. Sem contar a paixão que tens pelo cavalo de corrida. Falo isto porque te conheço desde guri, e a tua conduta sempre foi impecável. A verdade é que todas as pessoas de bem, tem admiração e gostam de ti. Tu tem berço e pedigree, cara, não te abala!!!

Forte abraço.

Chico Ávila
















12.307

12.408

























  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês