Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Faraoh Nilo – Stud Capitão

Questor Maximus – Stud Nunes de Miranda

Casual Elegance – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Luigi Bros – Haras Do Morro

Elemento Fatal – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Baccos – Stud Cajuli

Questor Maximus – Stud Nunes de Miranda

Rufus Gê – Stud Nunes de Miranda

Faraoh Nilo – Stud Capitão

Selo Negro – Stud Cajuli

Podolski – Sinval Domingues de Araujo

Energia Important – Stud Gold Black

Kurdish – Stud Capitão

Final Road – Haras do Morro

Acteon Gaúcho – Stud Hulk

Quarteto de Cordas – Haras do Morro

Ombak Bagusse – Haras Clark Leite

Escasa – Haras do Morro

Roi Plantegenêt – Stud Nunes de Miranda

Isola Di Fiori – Haras do Morro

Dracarys – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Lookforthestars – Haras do Morro

Agassi – Stud Verde

Verso e Prosa – Stud Ilse

Last Hope – Coudelaria Jessica

Ghoul – Stud Verde

Famous Italian – Stud Palura

Risada Gaucha – Coudelaria Pelotense

Violino Solo – Haras do Morro

Gone Hollywood – Stud Verde








Fevereiro | 2018

Páreo Corrido, por Paulo Gama
07/02/2018 - 09h49min

FLIGHT TIME PARTE FIRME PARA A TRÍPLICE-COROA

Entre os dois favoritos à conquista da tríplice-coroa, Flight Time, do Black Opal Stud, na versão dos potros, e Silence Is Gold, do Stud São Francisco da Serra, na prova das potrancas, apenas o potro sobreviveu ao primeiro desafio. Por isso, vamos tratar primeiramente da impressão deixada pelo invicto corredor, depois de quatro apresentações, agora de grupo I, no tradicional GP Estado do Rio de Janeiro. Flight Time, pensionista deste maravilhoso treinador, Roberto Solanês, é um puro-sangue da mais absoluta exceção. Castanho fechado, imponente, e com 495 quilos de musculatura bem distribuída. Ou seja, autêntico tanque de guerra, que acelera feito um bólido desde os metros iniciais. Contra ele existe apenas um fator contrário. É violento, disparador e indomável. O filho de Put It Back só poderá deixar escapar a chance de entrar para a seleta galeria dos tríplices-coroados, se o bridão Ângelo Márcio Souza não conseguir administrar, no aumento do percurso, a sua gigantesca volúpia de correr feito um louco.

Por outro lado há fatores positivos e bem peculiares para dar grandes esperanças aos seus admiradores. Em primeiríssimo lugar, a sua classe. Há quatro anos existia a mesma dúvida em relação a Bal A Bali, filho do mesmo reprodutor. Além disso, o tempo assinalado, 1m32s08, não é muito distante do recorde do inesquecível craque do Stud Alvarenga. Outro detalhe significativo. Parece importante lembrar que, para a maioria dos especialistas no tema, a prova de fogo, para o corredor com as suas características, é sempre a primeira, em 1.600 metros. O ritmo do páreo é o mais violento das três etapas da coroa. E isto dificulta ainda mais a tarefa do piloto. A mudança no ritmo de treinamento, mesmo em pouco tempo, e o “train” de corrida, menos alucinante, podem lhe trazer consideráveis benefícios. A dúvida vai estar pairando no ar até chegar o dia da segunda etapa. As discussões e os pontos de vista sobre o assunto terão correntes de pensamentos diferentes. Isto vai acontecer neste curto espaço de tempo. E vai fazer bem ao espetáculo. E só o craque provoca tais polêmicas. Polêmicas que engrandecem ainda mais o evento.

Arrocha, do Haras Estrela Nova, é um corredor de rara consistência. Certamente, com o aumento da distância poderá causar problemas para o candidato a coroa. No seu dorso um mestre das rédeas, o inconstante, porém talentoso Mazini. Mais um trunfo de Roberto Solanês. Que momento na carreira! Quarteto de Cordas, do Haras do Morro, cumpriu a melhor atuação de sua produtiva campanha. A opção de correr no fundo do lote, por parte do experiente Waldomiro Blandi, foi das mais acertadas. Por pouco não atrapalhou a jornada de Flight Time rumo a coroa. Luís Esteves é outro baita treinador. Or Noir, treinado pelo mago Venâncio Nahid, teve embaraços, mas chegou agarrado com eles. E parece ser ainda o mais verde de todos. Vamos esperar o segundo round!

FANCIFUL

Com rateio acima de 30 por 1, Fanciful levantou o Grande Prêmio Henrique Possolo. Apresentação de luxo do treinador Christiano Oliveira, filho do saudoso freio, Adail Oliveira. Henderson Fernandes deu joqueada extraordinária e pendeu a balança para o seu lado, num páreo em aberto depois da atuação abaixo da expectativa da favorita Silence Is Gold. Lepate Goose, do Haras Phillipson, correu enormidade e a balança, não sei se estava certa, assinalou considerável ganho de peso. Per Piacere, do Stud Criação Seabra, mostrou a regularidade habitual e fez belo esforço final. Numa prova de alto nível, como essa, fica uma certa frustração pelo desempenho abaixo da expectativa da craque Silence Gold. O treinador e o jóquei são espetaculares. E certamente o tempo comprovará que foi apenas um dia ruim da filha de Agnes Gold.

PURO-SANGUE MELHOR APRESENTADO

A apresentação de Flight Time por parte de Roberto Solanês não permite discussão. No passeio, no Padoque, provocou frisson na plateia encantada com a sua beleza. E vale lembrar que o treinador ainda apresentou com sucesso em outras provas clássicas, Olympic Hanói, do Haras Regina, na Prova Especial Falcon Jet, e Invader, do Stud Estelinha, no Clássico Barão e Baronesa Von Leithner. Menção honrosa a Adélcio Menegolo pela terceira vitória consecutiva de Green Century, do Stud Beleza, e o recorde mundial de Jorge Ricardo, com Jubiléia, do Stud Sweet Carol.

JOQUEADA DA SEMANA

Com certeza, Jorge Ricardo assinaria embaixo a direção de Wesley Silva Cardoso no dorso de El Bacan, do Stud Parente Sobral, que o recordista mundial não pode montar devido a já ter igualado a marca no páreo anterior com Jubiléia. W.S.Cardoso correu feito um príncipe, por dentro, e depois de aproveitar cada centímetro do percurso teve expressivo rigor no dorso do pensionista de Adélcio Menegolo, um profissional em estado de graça.

IMAGENS – Um dos destaques do domingo das tríplices-coroas no turfe carioca foram as imagens espetaculares das câmeras da TV Turfe. Paisagens maravilhosas do pôr do sol no hipódromo, tendo como pano de fundo a Pedra Bonita e a Pedra da Gávea. E, posteriormente, sem a luz do dia, o prado iluminado em contraste com a penumbra, como se o próprio hipódromo estivesse encravado nas pedras e emoldurado pela mata do Jardim Botânico e do Horto Florestal. Espetacular!

ATRASO – A título de colaboração é preciso chamar a atenção dos dirigentes cariocas para o cumprimento do horário das corridas. Mesmo levando em consideração que no domingo foi um dia de festa, o atraso de 45 minutos na largada do último páreo foi exagerado. O páreo, que deveria se corrido às 19h45, só teve dada a partida às 20h30m. Os apostadores precisam ser educados a jogar no horário por causa das nossas corridas transmitidas para o exterior, onde este tipo de atraso é intolerável.

MGA – O Movimento Geral de apostas de R$ 920.036,88 da reunião de domingo, bem superior aos outros dias, deixa claro que o turfe não é diferente do resto do mundo. Com boa programação e atrações especiais, a resposta também acontece nos guichês.



<< Anterior Próxima >>










12.902

12.844















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Clark Leite

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud 13 de Recife

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud H & R

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês