Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Mac Bol – Jorge Olympio Teixeira dos Santos

Hunter – Stud Everest

Natural Champion – Coudelaria Jéssica

Joka Tango – Stud Lagoa 26

Mem Cade Ce – Stud Verde

Gladiador Acteon – Stud HRN

Furacão – Stud Ilse

Maestro da Serra – Stud Cajuli

Jorge Cassas – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Ghoul – Stud Verde

Energia Istambul – Stud Ilse

Madame Renata – Stud Palura

Luigi Bros – Haras do Morro

Over–Mint – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Ghoul – Stud Verde

Mem Cade Ce – Stud Verde

Gladiador Acteon – Stud HRN

Joka Tango – Stud Lagoa 26

Baccos – Stud Cajuli

Useiroevezeiro – Stud Cariri do Recife

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Amore Mio – Stud Capitão

Manancial – Stud Everest

Hammana – Stud Verde

Casual Elegance – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Faraoh Nilo – Stud Capitão

Baccos – Stud Cajuli

Questor Maximus – Stud Nunes de Miranda

Casual Elegance – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Luigi Bros – Haras Do Morro








Fevereiro | 2018

Ricardinho iguala recorde mundial e entra para a história
06/02/2018 - 09h04min

Gerson Martins

Jorge Ricardo iguala o recorde mundial.

Emocionante! A saga do maior jóquei brasileiro de todos tempos chegou ao fim, ontem à noite, no Hipódromo da Gávea. Afinal, “missão dada é missão cumprida”, como diria o capitão Nascimento, do BOPE, no filme Tropa de Elite. Jorge Antônio Ricardo viajou da Argentina para o Brasil com o objetivo de igualar o recorde mundial de vitórias em sua casa, o Rio de Janeiro, cidade onde nasceu em 1961. Depois de vencer duas corridas no domingo, através de Marco Polo, do Stud Versiani, e Lisarb, do Haras Regina, faltava a cereja do bolo. No dorso de Jubiléia, do Haras Sweet Carol, Ricardinho levou os seus fãs ao delírio, e alcançou, praticamente de ponta a ponta, como ele gosta, ao seu estilo, a vitória de número 12.844 de sua gloriosa carreira. Agora, por mera formalidade, com mais um triunfo no turfe argentino, ele ultrapassará o canadense Russel Baze e ficará isolado no topo do mundo, como o jóquei com maior número de vitórias em toda a história do turfe mundial.

Na voz embargada, vibrante e emocionada do locutor Thiago Guedes, milhares de fãs do piloto, Brasil afora, chegaram as lágrimas. Todos sensibilizados e rendidos a classe deste pequenino herói, de 1,61m de altura, 54 quilos, que aos 56 anos, ainda ostenta a forma atlética exuberante de um garoto iniciante. A exemplo do que acontece com os gênios do esporte, tais como Roger Federer, Pelé, Ayrton Senna ou Michael Jordan, a simples presença de Jorge Ricardo no Hipódromo da Gávea mudou a atmosfera do ambiente. Os corações bateram mais fortes, a emoção esteve todo o tempo a flor da pele e a ansiedade para que chegasse ao seu objetivo era de todos, do cavalariço, do turfista da arquibancada, do colega de profissão, enfim, de todos que imediatamente ficam encantados com a sua postura, elegância, e amor a profissão. Jorge Ricardo é fora de série. Até mesmo os admiradores de outros jóqueis, devido ao estilo de correr os cavalos ou a diferença de qualidades técnicas e características, com o tempo se renderam a Ricardinho. Da sua geração, não existe mais ninguém nas pistas do país. Determinado, focado e apaixonado pelo que faz, ele desafiou o tempo, as quedas e acidentes, e não foram poucos, e derrotou até um câncer que tentou impedir a sua missão neste planeta. Numy Tsitsimitse, proprietário de Flying Finn, o maior rival do craque Falcon Jet, do Haras Santa Ana do Rio Grande, nos duelos memoráveis na década de 90, esteve no prado para presenciar o feito.

“Ricardinho é um cara especial. Quando sofreu o último acidente, no Hipódromo de Palermo, em que fraturou o fêmur, conversei com alguns jornalistas argentinos e eles sentenciaram que a carreira dele havia chegado ao fim. Me limitei a responder que eles não conheciam nosso campeão. Afirmei que eles poderiam esperar que cedo ou tarde ele estaria de volta. Eu sou estrangeiro e me orgulho de tê-lo conhecido, de ter tido um cavalo craque capaz de duelar com o que ele montava. Foram tempos fantásticos. Imagino vocês, que são brasileiros, o orgulho que sentem de ter um campeão deste nível”, contou emocionado.

Os quatro filhos de Jorge Ricardo prestigiaram o pai. Jorge Antônio Ricardo Júnior, o mais velho, Nicole e as meninas Luana e Giovanna, do último casamento. Dona Maria Possamai Ricardo, sua mãe, foi às lágrimas, emocionada com mais uma incrível conquista de Jorginho, como ela o chama. Antônio Ricardo, o pai, lamentavelmente morreu antes de presenciar o seu dia de glória. Os dirigentes do Jockey Club Brasileiro, Carlos e Marcelo Beloch beijaram e abraçaram o recordista mundial, o presidente Luís Alfredo Taunay se desmanchou de elogios a Ricardinho em seu discurso no Salão Nobre do clube. E Ricardinho é um cara tão especial que antes de fazer o peso, ao saltar do dorso da potranca Jubiléia, ele conseguiu perceber a minha discreta presença, junto a multidão no Padoque, e sussurrou: “Você também faz parte de tudo isso”. Neste momento, emocionado, saí de fininho, debaixo de chuva e com a alma lavada.

por Paulo Gama



<< Anterior Próxima >>










12.920

12.844

















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Clark Leite

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud H & R

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês