Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Faraoh Nilo – Stud Capitão

Questor Maximus – Stud Nunes de Miranda

Casual Elegance – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Luigi Bros – Haras Do Morro

Elemento Fatal – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Baccos – Stud Cajuli

Questor Maximus – Stud Nunes de Miranda

Rufus Gê – Stud Nunes de Miranda

Faraoh Nilo – Stud Capitão

Selo Negro – Stud Cajuli

Podolski – Sinval Domingues de Araujo

Energia Important – Stud Gold Black

Kurdish – Stud Capitão

Final Road – Haras do Morro

Acteon Gaúcho – Stud Hulk

Quarteto de Cordas – Haras do Morro

Ombak Bagusse – Haras Clark Leite

Escasa – Haras do Morro

Roi Plantegenêt – Stud Nunes de Miranda

Isola Di Fiori – Haras do Morro

Dracarys – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Lookforthestars – Haras do Morro

Agassi – Stud Verde

Verso e Prosa – Stud Ilse

Last Hope – Coudelaria Jessica

Ghoul – Stud Verde

Famous Italian – Stud Palura

Risada Gaucha – Coudelaria Pelotense

Violino Solo – Haras do Morro

Gone Hollywood – Stud Verde








Janeiro | 2018

Jóquei brasileiro monta pela primeira vez em Dubai
02/01/2018 - 15h55min

Elina Björklund/Svensk Galopp

D.Barros em sua última conquista na Suécia, no final de novembro, com temperatura de – 6C°.

Morando há seis anos na Suécia, o jóquei brasileiro Dayverson Barros atuará pela primeira vez Dubai, nos Emirados Árabes, onde deverá ficar por um mês. Barros está feliz de poder atuar no turfe árabe e caso consiga sucesso, ficará mais tempo.

“Eu já montei em países como Dinamarca, Noruega, Itália, Bélgica e agora o desafio é Dubai, onde trabalhei em 2011, mas ainda não havia montando. Estou feliz de poder ter esta oportunidade”, revelou Barros, que em seu currículo internacional possui triunfos em prova de Grupo 3 e Listed.  

O turfe na Suécia encerrou a temporada em dezembro de 2017 e só retorna em abril, devido as baixas temperaturas, com isso, Barros optou por buscar oportunidade fora do país em que mora atualmente. 

“Não é fácil montar com temperaturas muito baixa, por isso o frio é um grande desafio. Por vezes, congela os pés e as mãos. Mas tenho tido um bom desempenho durante estes seis anos fora do Brasil”, disse o jóquei. 

O jóquei brasileiro aproveitou a oportunidade da entrevista ao Raia Leve para fazer um agradecimento as pessoas que lhe apoiaram no início da carreira profissional. 

“Sou muito grato ao treinador Zeli Medeiros e sua família, que me ajudaram muito no início em Sorocaba, onde fiquei por seis meses antes de começar na escola de aprendiz em São Paulo. Não posso esquecer-me do Roberto Penachio, que teve muita paciência durante minha passagem por Cidade Jardim. Quando fui para o Rio de Janeiro, ganhei várias corridas e o Paulo Mileno me ajudou demais, sendo quase um pai para mim. Com ele aprendi muito sobre a profissão e de ser alguém na vida. Por intermédio dele, tive a oportunidade de montar fora do meu país”, revelou Barros. 

Shabokah, no quinto páreo de Sharjah Equestrian & Racing Club, será o compromisso de montaria de Dayverson Barros neste sábado (06/01), em Dubai.

por Danielle Franca



<< Anterior Próxima >>










12.902

12.844















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Clark Leite

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud 13 de Recife

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud H & R

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês