Cadastre-se e receba novidades:

Nome


E-mail

Far Niente – Stud Snob

Immortality Point – Stud Snob

Lady Couke – Stud Allstar Brasil

Crêpes Suzette – Stud AllStar Brasil

Heleno – Stud AllStar Brasil

Dr. Phelipe – Stud Cariri do Recife

Casual Elegance – Ronaldo Cramer Moraes Veiga

Invencible Hill – Haras Do Morro

Imortal Glory – Haras do Morro

Special Envoy – Stud AllStar Brasil

Energia Istambul – Stud Ilse

Tea Time – Stud Nunes de Miranda

Express do Faxina – Stud AllStar Brasil

Indian Spring – Stud Elle et Moi

Guanabara – Stud Verde

Messiânico – Stud AllStar Brasil

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Salabria – Stud All Star Brasil

Baccos – Stud Cajuli

Guanabara – Stud Verde

Special Envoy – Stud All Star Brasil

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Dr. Phelipe – Stud Cariri do Recife

Real Woman – Stud Gold Black

Que Az – Stud Gold Black

Deluge – Stud Allstar Brasil

Hello Cat – Haras Planície

Hotel Dorchester – Stud Cariri do Recife

Energia Icon – Stud Snob

Nikito – Stud Spumão









Novembro | 2017

Páreo Corrido, por Paulo Gama
14/11/2017 - 10h15min

RESSURREIÇÃO DO TURFE PAULISTA SERÁ LENTA E INEXORÁVEL

Algumas postagens no “Espaço do Leitor” demonstram a enorme e justificável preocupação dos turfistas brasileiros com a situação financeira ainda difícil do Jockey Club de São Paulo. As referências ao fraco movimento de apostas, sobretudo no último sábado, com 11 páreos, e dia da realização do Grande Prêmio Derby Paulista e do Grande Prêmio Diana, são precisas e indiscutíveis. Entretanto, em tudo na vida existe um fator determinante chamado tendência. E não há como deixar de perceber o viés de alta do turfe paulista com a nova administração. Ninguém sai do caos para o topo numa fração de segundo. Não é possível ir do cadafalso para a glória da noite para o dia. Mas, o turfista deve observar com parcimônia os progressos obtidos, passo a passo, pela nova diretoria. Parece possível apostar na ressurreição progressiva da atividade turfística de São Paulo. Os indícios indicam isso.

Um erro clássico foi cometido com o novo horário de verão. As corridas começaram muito cedo no último final de semana. A concorrência com o tradicional almoço de domingo da família paulistana é desfavorável. Além disso, existem atividades esportivas dos adolescentes e das crianças nas manhãs de sábado. Em algumas delas a garotada cobra a presença do pai. Parece possível dar a largada do primeiro páreo um pouco mais tarde. Principalmente no dia em que estavam programadas apenas sete provas. Por que tanta pressa? O balanço técnico foi bem superior ao financeiro. E isto é o que importa no momento. Em primeiro lugar você consegue organizar espetáculo de qualidade. E aí, mais cedo ou mais tarde, os aficionados se rendem e começam a prestigiar. E, tecnicamente tivemos um sábado com expressivo desempenho dos puros-sangues de corrida na raia paulista.

O Grande Prêmio Derby Paulista esteve à altura da tradição da prova. Galope Americano, do Stud Galope, e criado no Haras Cifra, premiou a competente dupla D.L.Albres e A.L.Silva. O potro teve apresentação exuberante e o jovem piloto melhora a confiança a cada dia. Não se intimidou diante de jóqueis experientes e consagrados. No Grande Prêmio Diana prevaleceu a criação da Fazenda Mondesir, com a belíssima Sea Dream, treinada pelo extraordinário Venâncio Nahid, amigo íntimo dos clássicos em Cidade Jardim, e conduzida pelo craque Waldomiro Blandi, experiente e sempre a vontade no prado paulistano, onde já escreveu belas páginas de sua vitoriosa carreira. Drosselmeyer, que fantástico reprodutor!

PURO-SANGUE MELHOR APRESENTADO(SP)

Olympic Geneve, do Haras Regina, fez galope de apresentação exuberante e não deixou qualquer dúvida de que venderia caro a derrota no Grande Prêmio Luiz Fernando Cirne Lima. Roberto Solanês vive o melhor momento de sua carreira profissional. Na raia, bem conduzida pelo jovem Wesley Silva Cardoso confirmou inteiramente a impressão deixada minutos antes no cânter.

PURO-SANGUE MELHOR APRESENTADO(RJ)

O campo do Clássico Ernani de Freitas, na Gávea, era reduzido, porém de ótima qualidade. E foi justamente o maior azar entre os cinco potros inscritos que levou a melhor. Mais uma vez um filho de Drosselmeyer. Set Ton, criado no Haras Old Friends, e de propriedade do turfista de escol, Carlos Antônio Platzeck, atropelou forte e fuzilou os adversários. Apresentação de luxo de José Ferreira Reis, o Reizinho, eternizado como jóquei de Itajara, e agora ainda mais bem sucedido na profissão de treinador. O cara é do ramo, inegavelmente, e parece disposto a marcar presença na arte de preparar cavalos de corrida. Campanha bem traçada, em páreos de areia e mais fracos. Deixou para dar o pulo do gato no momento certo, quando o potro amadureceu.

JOQUEADA DA SEMANA(SP)

No dorso de Sea Dream, Waldomiro Blandi se sentiu em casa. De volta ao prado de Cidade Jardim, “Tio” Waldomiro afiou a “manivela” para levantar importante prova de Grupo I. Experiente, malicioso e lúcido, Blandi é um piloto de rara qualidade. Correu a defensora da Fazenda Mondesir com absoluta confiança e reeditou a parceria com Venâncio Nahid, que já lhe rendeu um GP São Paulo com Flymetothemoon, e um GP Brasil, com Barolo. É mole ou quer mais?

JOQUEADA DA SEMANA(RJ) Leandro Henrique comemorou a sua contratação pelo Haras Anderson com direção de cinema na potranca Per Piacere, do Stud Criação Seabra, e oriunda do Haras San Francesco, no Clássico Octávio Dupont. A pensionista do competente Ronaldo Lima teve percurso sublime do jovem pernambucano. Correu sempre junto aos paus e na reta de chegada encontrou passagem milimétrica, que sem dúvida lhe proporcionou à vitória. Dono de energia espetacular, a cada dia Leandro faz mais justiça ao seu apelido de “Braço de Mola”.

ARIEL FARIAS – Se mostrou acertada a opção do aprendiz Ariel Farias de trocar o turfe carioca pelo paulista. O jovem tem recebido boas oportunidades dos proprietários e treinadores e esta semana ganhou bela carreira em Cidade Jardim no dorso de Barishinikov, do Stud M.P.S., e treinamento de Valter Lopes.

MAZINI EM ALTA – O cíclico Marco Mazini está de boa. E quando a maré dele está em alta, proprietários e treinadores tratam logo de aproveitar a onda Esta semana, o bridão deu show em duas oportunidades. Com Keep Star, do Haras Sweet Carol, e treinamento de Adélcio Menegolo, e Red Spirit, do Stud Mesqueu, e apresentação de José Antônio Lopes, o Biduca. Dá gosto de ver a tocada do cara na reta final. Mas, até quando este bom momento pode durar? Só Deus sabe!



<< Anterior Próxima >>











12.819

12.844

















Coudelaria Atafona

Coudelaria FBL

Coudelaria Intimate Friends

Coudelaria Jessica

Coudelaria Pelotense

Haras Iposeiras

Haras Depigua

Haras do Morro

Haras Fazenda Eldorado

Haras Old Friends

Haras Planície

Haras Vale do Stucky

Jorge Olympio
Teixeira dos Santos

Ronaldo Cramer
Moraes Veiga

Stud 13 de Recife

Stud Brocoió

Stud Cajuli

Stud Capitão

Stud Cariri do Recife

Stud Elle Et Moi

Stud Everest

Stud Gold Black

Stud Hulk

Stud Ilse

Stud La Nave Va

Stud Mengão 1981

Stud Palura

Stud Quando Será?

Stud Recanto do Derby

Stud Rotterdam

Stud Spumao

Stud Terceira Margem

Stud Turfe

Stud Verde

Stud Wall Street

  Associação Carioca dos Proprietários do Cavalo Puro-Sangue Inglês